Concurso para Farmacêutico no Rio de Janeiro

concurso-farmaceutico-prefeitura-do-rio-de-janeiroConcurso público para Farmacêutico na Secretaria Municipal da Saúde da Prefeitura do Rio de Janeiro.


As inscrições no processo seletivo podem ser realizadas no período entre às 10h do dia 11 de junho até às 23h59 do dia 20 de junho de 2013.

 

Vagas

CARGO

(*)VAGAS

CARGA HORÁRIA

TAXA DE INSCRIÇÃO

R

 PD

 NI 

Farmacêutico  

 4 

1

1

24h

60,00

 

Remuneração

CARGO

REMUNERAÇÃO BÁSICA (R$)

TOTAL REMUNERAÇÃO BÁSICA (R$)

VENCIMENTO

GARTIF INSALUBRIDADE

AUX. TRANSPORTE

Farmacêutico

1.580,10

316,02

121,00

2.017,12

 

Qualificação Exigida

CARGO

QUALIFICAÇÃO

             Farmacêutico

I- Nível Superior, e

II- Registro no órgão fiscalizador da profissão

 

Inscrição

As inscrições serão recebidas das 10h do dia 11/06/2013 até as 23h59min do dia 20/06/2013, horário de Brasília, incluindo sábados, domingos e feriados, somente via Internet, através de requerimento específico disponível no site http://concursos.rio.rj.gov.br

 

Processo seletivo

A avaliação dos candidatos constará de prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, com questões sobre língua portuguesa, SUS e conhecimentos específicos.


Atribuições do Cargo de Farmacêutico

Atividades de supervisão, coordenação ou execução, referentes a trabalhos e estudos relativos a métodos e técnicas de produção, controle e análise clínica e toxicológica de medicamentos (Decreto 3.410/1982).


Conteúdo Programático para Farmacêutico

1. Legislação Sanitária e Farmacêutica. 2. Farmacologia, Assistência Farmacêutica e Farmácia Hospitalar: 2.1Farmacologia: Interações medicamentosas. Farmacocinética. Terapia farmacológica: sistema nervoso, renal, cardiovascular, da inflamação, da função gastrointestinal, do sangue e órgãos hematopoiéticos, Quimioterapia das infecções parasitárias e microbianas. Hormônios, insulinas e hipoglicemiantes orais. 2.2Assistência Farmacêutica: definições e conceitos. Ciclo da Assistência Farmacêutica: seleção, programação, aquisição, armazenamento, distribuição, dispensação. Atenção Farmacêutica. Farmacoepidemiologia: Estudos de Utilização de Medicamentos. Farmacovigilância. Farmacoeconomia. Educação farmacêutica na Assistência Farmacêutica. Uso racional de medicamentos. 2.3 Farmácia Hospitalar e Comunitária: Farmácia clínica. Ética em pesquisa. Gestão de suprimentos e custos. Sistemas de distribuição de medicamentos. Gestão e garantia da qualidade. Indicadores de qualidade. Manipulação de medicamentos e correlatos. Controle de infecção hospitalar e suporte nutricional. Gerenciamento de resíduos nos serviços de saúde. Centros de informação de medicamentos. Erros de medicação. Padrões mínimos para Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde.

 

Referência bibliográfica:

BRASIL. Lei n.º 5991, de 17 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, e dá outras providências. Brasília: MS, 1973. Disponível em http://www4.planalto.gov.br/legislacao. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. Lei nº 9.787, de 10 de fevereiro de 1999. Altera a Lei nº 6.360, de 23 de setembro de 1976, que dispõe sobre a vigilância sanitária, estabelece o medicamento genérico, dispõe sobre a utilização de nomes genéricos em produtos farmacêuticos e dá outras providências. Brasília: MS, 1999. Disponível em http://www4.planalto.gov.br/legislacao. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Resolução da Diretoria Colegiada RDC Nº. 67, de 8 de outubro de 2007. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso Humano em Farmácias. Brasília, 2007. Disponível em www.saude.gov.br/saudelegis. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. Portaria n.º 344, de 12 de maio de 1998 (e suas atualizações). Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Brasília, Ministério da Saúde. Disponível em www.saude.gov.br/saudelegis. Acessado em 08/09/2013.

CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Resolução nº. 338, de 06 de maio de 2004. Política Nacional de Assistência Farmacêutica. Brasília: 2004. Disponível em http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/reso04.htm. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL, 1998. Portaria nº. 3916, de 30 de outubro de 1998. Política Nacional de Medicamentos. Brasília: MS, 1998. Disponível em www.saude.gov.br/saudelegis.Acessado em 08/09/2013.

BRASIL, 2010. Portaria nº 4.283, de 30 de dezembro de 2010. Aprova as diretrizes e estratégias para organização, fortalecimento e aprimoramento das ações e serviços de farmácia no âmbito dos hospitais. Brasília: MS, 2008. Disponível em www.saude.gov.br/saudelegis. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. Portaria nº. 4.217 de 28 de Dezembro de 2010. Aprova as normas de financiamento e execução do Componente Básico da Assistência Farmacêutica. Brasília: MS, 2010. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/PortariaMS421728122010.pdf. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. Decreto nº 85.878 de 7 de abril de 1981. Estabelece normas para execução de Lei nº 3.820, de 11 de novembro de 1960, sobre o exercício da profissão de farmacêutico, e dá outras providências. Brasília: MS, 1981. Disponível em http://www4.planalto.gov.br/legislacao. Acessado em 08/09/2013.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Resolução nº 417, de 29 de setembro de 2004. Código de Ética Farmacêutico (e retificação). Brasília, 2004 e 2005. Disponível em www.cff.org.br. Acessado em 08/09/2013.

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA. Resolução nº. 492, de 26 de novembro de 2008. Regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública ou privada. Brasília, 2008. Disponível em www.cff.org.br. Acessado em 08/09/2013.

BRASIL. Resolução nº 568, de 6 de dezembro de 2012.

EMENTA: Dá nova redação aos artigos 1º ao 6º da Resolução/CFF nº 492 de 26 de novembro de 2008, que regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública ou privada. (Publicada no D.O.U. de 07/12/2012, Seção 1, Página 353). Brasília, 2012.

STOPIRTIS, S. et al. Ciências farmacêuticas - farmácia clínica e atenção farmacêutica. 1. Ed. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR (SBRAFH). Padrões Mínimos em Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde. Goiânia, 2007. Disponível em http://www.sbrafh.org.br/site/. Acessado em 08/04/2013.

MARIN, Nº et al (org). Assistência Farmacêutica para Gerentes Municipais. Rio de Janeiro: Organização Pan-Americana de Saúde, 2003. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/afgerentesmunicipais.pdf. Acessado em 08/04/2013.

BRASIL. Assistência farmacêutica na atenção básica: instruções técnicas para sua organização. 2. Ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 100p. Disponível em http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/assistenciafarmaceuticanaatencaobasica.pdf. Acessado em 08/04/2013.

BRUNTON, L.L.; LAZO, J.S.; PARKER, K.L. Goodman & Gilman: As bases farmacológicas da terapêutica. 11. ed. Rio de Janeiro: McGraw Hill, 2006.


Edital

Confira o edital em http://concursos.rio.rj.gov.br/