Concurso para Farmacêutico Bioquímico em Riachinho - MG

concurso-publico-farmaceuticoConcurso público para Farmacêutico Bioquímico na Prefeitura de Riachinho, Minas Gerais.


As inscrições no processo seletivo podem ser realizadas de 1 a 30 de agosto.


Cargo: Farmacêutico Bioquímico / CRH14
Vagas: 02
Requisitos: Superior específico + CRF
Carga Horária: 20 horas
Vencimento: R$ 2.735,00


Inscrição

Para garantir a participação na disputa basta se inscrever pelo endereço eletrônico www.liberalconsultores.com.br, no período de 1º a 30 de agosto. Também será possível se inscrever de forma presencial na sede administrativa, localizada na avenida JK, nº.455, centro, Riachinho, das 13h às 17h.

Taxa de inscrição: R$ 109,00

 

Processo seletivo

Haverá prova objetiva. A prova objetiva será aplicada no dia 29 de setembro


Atribuições do Cargo de Farmacêutico

Atribuições pertinentes ao Profissional de Farmácia/bioquímica, dispostas na Lei Federal nº. 6.684/79 e Código de Ética da Profissão.

 

Conteúdo Programático para Farmacêutico Bioquímico

LÍNGUA PORTUGUESA: 1. Leitura, compreensão e interpretação de textos. 2.Conhecimentos lingüísticos gerais e específicos relativos à leitura e produção de textos. 3. Conhecimento gramatical de acordo com o padrão culto da língua. 4. Estrutura fonética: letra, fonema, encontros vocálicos e consonantais, dígrafo, divisão silábica, ortografia, ortoépia, acentuação tônica e gráfica. 5. Estrutura dos vocábulos e processos de formação de palavras: elementos mórficos (radical, afixo desinência, vogal temática de verbo e nome, fonema de ligação, radicais gregos e latinos), derivação, composição, hibridismo e outros processos não incluídos na Nomenclatura Gramatical Brasileira - NGB. 5. Classes de palavras: classificação, flexões nominais e verbais, emprego. 7. Teoria geral da frase e sua análise: orações, períodos e funções sintáticas. 8.Sintaxe de concordância: concordância nominal e verbal (casos gerais e particulares). Concordância ideológica (silepse). 9. Sintaxe de regência: verbos quanto à predicação, regência nominal e verbal. 10. Crase. 11. Colocação de pronomes: próclise, mesóclise e ênclise. 12. Pontuação: emprego dos sinais de pontuação. A nova regra da Língua Portuguesa.

 

Bibliografia sugerida:

ANDRÉ, Hildebrando. Gramática ilustrada. São Paulo: Moderna, 1990.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. São Paulo: Ed. Nacional, 1998. CIPRO NETO, Pasquale & INFANTE, Ulisses. Gramática da língua portuguesa. São Paulo: Scipione, 1998.

CUNHA, Celso & CINTRA, L. F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

ROCHA LIMA, Carlos Henrique. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1985. Livros didáticos de Língua Portuguesa para o ensino fundamental e médio. Nova Regra da Língua Portuguesa.

 

SAÚDE PÚBLICA: 1. Organização dos Serviços de Saúde no Brasil - Sistema Único de Saúde: antecedentes históricos, princípios e diretrizes do SUS, controle social - organização da gestão colegiada, financiamento do SUS, legislação e normalização complementar do SUS. 2. Planejamento e Programação Local de Saúde. 3. A medida da saúde coletiva: indicadores de saúde. 4. Administração e inovação nos serviços públicos de saúde. 5. Ações coletivas de saúde, vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, controle das principais zoonoses. 6. Calendário de Vacinação Nacional. 7. Doenças Infecciosas e Parasitárias. 8. Modelo Assistencial. Política Nacional de Humanização.

 

Bibliografia sugerida:

1. BRASIL. Constituição Federal de 1988 - Capítulo Saúde.

2. BRASIL, Legislação Federal, Leis Federais nº 8.080, de 19/09/90, Lei Federal nº 8.142, de 28/12/90.

3. BRASIL, Ministério da Saúde. CENEPI/FNS Doenças infecciosas e parasitárias: manual de bolso: aspectos clínicos, vigilância epidemiológica e medidas de controle - Anexo. Brasília, 1999.

4. BRASIL, Ministério da Saúde. Relatório Final da X Conferência Nacional de Saúde. Brasília, 1996.

5. BRASIL, Ministério da Saúde. Norma Operacional da Assistência à Saúde/SUS: NOAS 01/2002/DOU: 28/02/2002.

6. CECÍLIO, Luiz Carlos de Oliveira (org.). Inventando a Mudança na Saúde. São Paulo.

7. HUCITEC, 1994, cap. 1 e 6. J.P. Vaughan e R.H. Morrow. Epidemiologia para os Municípios - Manual para Gerenciamento dos Distritos Sanitários. 3ª ed. São Paulo: HUCITEC, 2002.

8. MALETTA, Carlos Henrique Mudado. Bioestatística - Saúde Pública. 2 ed. Belo Horizonte: COOPMED, 1992.

9. MENDES, Eugênio Vilaça. Uma Agenda para a Saúde. São Paulo: HUCITEC, 1996, cap. 1.

10. ROUQUAYROL, M.Z. Epidemiologia & Saúde. 6ª ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 2003.

11. BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 648, de 28 de março de 2006. Brasília, 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde.

12. MENDES, E.V. (Org). Distrito sanitário: o processo social de mudança das práticas sanitárias do Sistema Único de Saúde. São Paulo: Ed. Hucitec, 3. ed., 1995. Capítulos 1, 2 e 3.

13. FREITAS, Carlos Machado de. A Vigilância da Saúde para a Promoção da Saúde. In: Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências (capítulo 7). Autores: Dina Czeresnia e Carlos Machado de Freitas. Editora Fiocruz, 2003.

14.BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização: documento base para gestores e trabalhadores do SUS - 2ª edição Brasília - Ministério da Saúde, 2004.

15. MERHY EE, MALTA D et al.

16. PINHEIRO R, MATTOS RA. (Org.). Construção da Integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro. UERJ/MS: Abrasco, 2003.

17. SANTANA, JP (Org.). Organização do cuidado a partir de problemas: uma alternativa metodológica para atuação da equipe em saúde da família. Brasília, Organização Pan Americana da Saúde/representação do Brasil, 2000.

18. CUNHA, J.P., Cunha, R.E. Sistema Único de Saúde - Princípios. In _____ Brasil. Ministério da Saúde. Gestão Municipal de Saúde. Textos Básicos, Brasília, 2001, pp 285-304.

19. VAUGHAN, J. P. e MORROW, R. H. Epidemiologia para os municípios. CAP. XIII: Epidemiologia e planejamento de saúde ao nível do distrito. Editora Hucitec, 1997. 19. Ministério da Saúde - Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de bolso - 6ª edição revista.

 

CONHECIMENTO ESPECÍFICO: Farmacologia: Farmacocinética; Biodisponibilidade, Absorção, Distribuição, Eliminação; Mecanismo de ação dos fármacos que atuam nos principais sistemas orgânicos; Fármacos que atuam sobre a musculatura lisa; Fármacos usados no tratamento de doenças infecciosas, Agentes antibacterianos, Antifúngicos, Antivirais, Antiparasitários; Citostáticos; Fármacos que atuam sobre o coração; Antitrombóticos; Vasodilatadores; Diuréticos; Analgésicos antipiréticos; Anestésicos; Hormônios; Psicofármacos; Opióides e narcóticos; Antianginosos; Antihipertensivos; Antídotos. Farmacotécnica: Tecnologia de sólidos orais,líquidos e semi-sólidos; Pomadas; Loções; Emulsões; Suspensões; Comprimidos; Drágeas; Supositórios;Colírios; Preparações para uso injetável; Esterilização; Operações Farmacêuticas; Pesagem; Medição de Volumes e líquidos; .Acondicionamento e estabilidade das diversas formas farmacêuticas; Vias de administração das diferentes formas farmacêuticas; Boas Práticas de Manipulação Farmacêutica(RDC 67/07). Atribuição e competência do farmacêutico na farmácia com manipulação. Farmácia Hospitalar:Estrutura,organização e funções; Sistemas de distribuição de medicamentos; Seleção de medicamentos; Comissão de Farmácia e Terapêutica, Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, Medicamentos Genéricos Central de Abastecimento Farmacêutico; Aquisição de medicamentos, armazenamento e controle de estoque; Modalidades de licitação; Farmacovigilância; Reação Adversa a Medicamento; Nutrição Parenteral; Pesquisa Clínica;Atenção farmacêutica;Política Nacional de medicamentos; Biossegurança; Gerenciamento de resíduos;.Ética Farmacêutica; Legislação farmacêutica:RDC67/07 RDC306/04, Portaria 344/98 , .Lei 8.666/83,RDC 417/2004.15.6.Lei 9.787/99; RDC84/02;RDC 44/10;Sistema Único de Saúde. Bibliografia Sugerida: H.P.Rang, M.M.Dale, J.M,Ritter. Farmacologia. 6ª edição. Editora Elsevier.; H.Lullmann, K.Mohr . Farmacologia Texto e Atlas. 5ª edição. Editora Artmed.; L. Nogueira Prista, A. Correia Alves, R. M. R. Morgado. Técnica Farmacêutica e Farmácia Galênica Vol I, II e III. 3ª edição. Editora Fundação Calouste Gulbenkian.; M.J.V.Magalães Gomes, A.M.Moreira Reis. Ciências Farmacêuticas Uma Abordagem em Farmácia Hospitalar. 1ª edição. Editora Atheneu, Rio; P.R. Carvalho. Boas Práticas Químicas em Biossegurança. 1ª edição. Editora Interciência; Dan. L. Waitzberg; RENAME. Nutrição Enteral e Parenteral na Prática Clínica. 2ª edição. Editora Atheneu. 2010.


Edital

Confira o edital em http://www.liberalconsultores.com.br/site3/ria_co_42.html.