Concurso para farmacêutico na Unicamp

concurso-público-unicamp-farmaceuticoInscrições Prorrogadas até 13/01/2013.


A UNICAMP divulgou a abertura de inscrições no Processo Seletivo Público para a função de Farmacêutico, destina-se ao preenchimento de 1 vaga para atuar junto ao Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti - CAISM.

O salário inicial da função em disputa será de R$ 3.881,35

Incrições

A inscrição on-line deve ser efetuada via internet, no endereço www.dgrh.unicamp.br, entre o período de 08h do dia 10 de setembro de 2012 a 17h do dia 24 de setembro de 2012, com taxa de inscrição no valor de R$ 57,00.

A UNICAMP/DGRH disponibilizará um posto de atendimento para a realização da inscrição, on-line, para os candidatos que não possuem acesso à internet, nos dias 10 a 14, 17 a 21 e 24 de setembro de 2012, das 9h às 12h e das 14h às 16h no Recursos Humanos do Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti - CAISM/Unicamp, à Rua Alexander Fleming, nº. 101 - Campus da Unicamp - Cidade Universitária "Zeferino Vaz" - Barão Geraldo - Campinas-SP.

 

Conteúdo programático

Farmácia Hospitalar: conceito, objetivos, localização, planejamento e organograma. Sistema de distribuição de medicamentos em farmácia hospitalar. Logística: técnicas de armazenamento parâmetros e instrumentos gerenciais (curva ABC, XYZ). Inventário físico. Seleção, padronização de medicamentos e aquisição de medicamentos Controle de Qualidade em farmácia hospitalar. Legislação Farmacêutica. Atenção farmacêutica e farmácia clínica. Nutrição parenteral: conceito e atribuições do farmacêutico. A Farmácia no Controle de Infecções Hospitalares - Controle de Antimicrobianos. Cálculos em farmácia. Modalidades de Licitação. Conceitos Gerais de Farmacologia. Farmacologia dos medicamentos utilizados no tratamento e controle do câncer. Biossegurança na Central de Quimioterapia. Equipamentos de proteção coletiva e individual para manuseio de medicamentos e substâncias de risco. Preparo dos medicamentos injetáveis antineoplásicos e de apoio ao tratamento e controle do câncer. Requisitos físico-estruturais de uma unidade de preparo de soluções estéreis. Farmacovigilância. Farmacoeconomia. Farmacotécnica. Resíduos Hospitalares.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

-MAIA, J F Farmácia Hospitalar e suas interfaces com a saúde. São Paulo, RX,2005. -CAVALLINI, Miriam Elias BISSON, Marcelo Polacow. Farmácia Hospitalar: Um enfoque em sistemas de saúde. 1ª São Paulo: Manole, 2002. -GOMES, Maria José Vasconcelos de Magalhães REIS, Adriano Max Moreira. Ciências Farmacêuticas: Uma Abordagem em Farmácia Hospitalar. 1º São Paulo: Atheneu, 2003. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 344, de 12 de maio de 1998 e suas atualizações. Substâncias e Medicamentos Sujeitos a Controle Especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, de 19 de maio de 1998. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. RDC Nº 44, DE 17 de agosto de 2009. Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias e dá outras providências. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. RDC nº 67, de 08/10/2007 - Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de Medicamentos para Uso Humano em farmácias. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. RDC 20/2011 Controle de Medicamentos Antimicrobianos. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 2814, de 29 de maio de 1998. Estabelece procedimentos a serem observados pelas empresas produtoras, importadoras, distribuidoras e do comércio farmacêutico, objetivando a comprovação, em caráter de urgência, da identidade e qualidade de medicamento, objeto de denúncia sobre possível falsificação, adulteração e fraude. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes para estruturação de farmácias no âmbito do Sistema Único de Saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Brasília: 2009. -RESOLUÇÃO- RDC/ANVISA Nº 220, DE 21 DE SETEMBRO DE 2004. Regulamento Técnico de funcionamento dos Serviços de Terapia Antineoplásica. -CVS-SP Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo. Portaria CVS nº 21, de 10/09/2008 - Norma Técnica sobre Gerenciamento de Resíduos Perigosos de Medicamentos em Serviços de Saúde. -CFF - Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 492 de 26 de novembro de 2008. Regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública ou privada. -MINISTÉRIO DA SAÚDE. Lei nº 9787, de 10 de fevereiro de 1999. Altera a lei nº 6.360, de 23 de setembro de 1976, que dispõe sobre a vigilância sanitária e estabelece medicamento genérico, dispõe sobre a utilização de nomes genéricos em produtos farmacêuticos e dá outras providências. D.O.U. Diário Oficial da União Poder Executivo, de 11 de fevereiro de 1999. -TRISSEL, L. A. - Handbook on Injectable Drugs. American Society of Health -System Pharmacists 13° Edição 2004. - Ministério da Saúde. Portaria nº 272 de 8 de Abril de 1998. Regulamento Técnico para fixar os requisitos mínimos exigidos para a terapia de Nutrição Parenteral.Diário Oficial da União, Brasília DF, de 23 de abril de 1998. - Resolução nº 492 de 26 de novembro de 2008, Regulamenta o exercício profissional nos serviços de atendimento pré-hospitalar, na farmácia hospitalar e em outros serviços de saúde, de natureza pública ou privada. Disponível em: http://www.cff.org.br/userfiles/file/resolucoes/res492_08.pdf -PORTARIA Nº 4.283, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010, Aprova as diretrizes e estratégias para organização, fortalecimento e aprimoramento das ações e serviços de farmácia no âmbitodos hospitais, Disponível em : http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Portaria_MS_4283_30_12_2010.pdf. -Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar. Padrões mínimos para farmácia hospitalar. Belo Horizonte, 2008. -STORPIRTIS, S. et al. Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica. 1ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. -ALMEIDA, JOSÉ RICARDO CHAMHUM DE. Farmacêuticos em Oncologia: uma nova realidade. 2ª ed. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte: Atheneu, 2010. -GOODMAN, Gilman. As bases farmacológicas da terapêutica. 10ª ed. São Paulo: Guanabara Koogan, 2003. -BRASIL, Portaria 485 de 11/11/2005, Ministério do Trabalho e Emprego NR 32 - Segurança e Saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. -BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Código de Ética da Profissão Farmacêutica. Brasília: CFF, 2004. -BRASIL. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e suas atualizações. -BORGES FILHO, W. M.; FERRACINI, F. T. B. F. Prática Farmacêutica no Ambiente Hospitalar - Do Planejamento À Realização. 2ª ed. Atheneu, 2010. -KFOURI FILHO, M.; AKAMINE, D. Terapia Nutricional Parenteral- 2º edição - São Paulo: Editora Atheneu, 2005. -CHARLES F. LACY, Drug InformationHandbook with International Trade Names Index, LEXI-COMP, INC.19th Edition. American Society of Health-SystemPharmacists. Disponívelem: http://www.ashp.org/default.aspx Relação Nacional de Medicamentos Essenciais - RENAME/2012. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos. Disponível em: http://www.ismp-brasil.org/ Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e serviços de Saúde. Disponível em: http://www.sbrafh.org.br/site/ Sociedade Brasileira de Farmacêuticos em Oncologia. Disponível em: http://www.sobrafo.org.br/ Site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária: http://www.anvisa.gov.br.

 

Atribuições

Desenvolver atividades relacionadas aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, físico-quimicas, biológicas, microbiológicas e outros exames laboratoriais nas diferentes áreas de atuação, e ao controle, produção, distribuição de insumos em benefício da sociedade. Avaliar prescrições médicas, verificando as possíveis interações medicamentosas, reações adversas, e/ou efeitos colaterais dos medicamentos prescritos. Emitir laudos técnicos e pareceres. Controlar o estoque, distribuição e consumo de fármacos, drogas e medicamentos da sua área de atuação, de acordo com a legislação vigente. Participar de atividades de apoio ao ensino e à pesquisa.