A+ A A-

O Farmacêutico - A profissão e o mercado de trabalho

O Farmacêutico

 

KS1359Farmacêuticos são profissionais que identificam e manipulam substâncias químicas para a produção de medicamentos e cosméticos. Em muitas das atividades, seu nome aparecerá nas embalagens, como farmacêutico responsável. Colaboram também na produção e na conservação industrial de alimentos, comuns ou dietéticos, campo que vem sendo ocupado cada vez mais por bioquímicos ou farmacêuticos bioquímicos.

 


Dois assuntos estão em voga: falsificação de remédios e medicamentos genéricos. Os profissionais, assim, são requeridos para executar o controle de insumos farmacêuticos e medicamentos exigido por lei. Com a entrada dos genéricos, somente o farmacêutico em farmácias e drogarias pode substituir o medicamento de marca (referência), por outro equivalente. Portanto, a sua presença, que já era essencial nas casas especializadas, tornou-se obrigatória.


Fármacos de rápida ação e sem efeitos colaterais, cosméticos que ajudam a retardar o envelhecimento, novas vacinas. Desde os tempos remotos, o homem busca medicamentos, primeiro naturais, depois mais e mais sintéticos, para a cura de seus males e para o prolongamento da juventude. Mas foi principalmente a partir do século XVI que o estudo dos remédios começou a registrar avanços notáveis. Por essa época surgiram as primeiras "boticas", onde se preparavam os medicamentos. Foi também nos séculos XVI e XVII que começaram os estudos sistemáticos dos princípios ativos das plantas e dos minerais capazes de curar doenças e que se constatou a existência de microrganismos úteis e nocivos. Era a Farmácia se desenvolvendo como ciência.


O Brasil criou seu primeiro curso de Farmácia em 1832, no Rio de Janeiro. Até então, o boticário era o profissional autorizado a exercer as funções correspondentes às do atual farmacêutico. Em 1931, a profissão de farmacêutico foi finalmente regulamentada, passando a ser exercida apenas por profissional diplomado em instituições de ensino oficialmente reconhecidas. Para seguir esta carreira, é preciso ter aptidão em matérias ligadas à Química e à Biologia, que formam a base do conhecimento necessário à formação em Ciências Farmacêuticas. Em linhas gerais, o farmacêutico atua em três modalidades básicas: Fármacos e Medicamentos, Análises Clínicas e Toxicológicas e Alimentos. Na primeira, pode trabalhar na indústria farmacêutica, dedicando-se à pesquisa de novas drogas e cosméticos ou atuando na produção e no controle de qualidade de medicamentos. As farmácias de manipulação, fitoterápicas ou homeopáticas, além daquelas instaladas em hospitais e unidades de saúde, formam também um mercado de trabalho em expansão.


Se preferir a área de Análises Clínicas e Toxicológicas, o farmacêutico, absorvido por laboratórios de análise, públicos e particulares, será responsável pela execução de exames clínico-laboratoriais, que auxiliam no diagnóstico das doenças. Pode também controlar e identificar a presença de produtos que, atuando como tóxicos, afetam as pessoas, o ambiente, os alimentos e os próprios medicamentos. Outra possibilidade é a toxicologia ocupacional, que trata da adequação dos ambientes de trabalho às funções do trabalhador


Já na área de Alimentos, o profissional pode atuar na indústria de produtos alimentícios e de bebidas, principalmente no controle da qualidade microbiológica, físico-química e sensorial. Merecem destaque as indústrias de água mineral, de óleos vegetais comestíveis, de leite e derivados e de produtos que podem promover a saúde, todas em franca expansão. O farmacêutico trabalha também no desenvolvimento de novos produtos e ingredientes alimentícios. Nas instituições públicas ou privadas de pesquisa, suas atividades estarão voltadas para a pesquisa básica e aplicada.


Qualquer que seja a modalidade escolhida, o estudante ainda poderá, depois de formado, seguir a carreira acadêmica em universidades e centros de pesquisa públicos ou particulares, dentro dos vários campos que a profissão oferece.


Como a maioria dos profissionais da área de saúde do novo milênio, o farmacêutico também persegue a melhoria da qualidade de vida. Tem a seu favor a onda de novos conhecimentos científicos, além dos sofisticados equipamentos que a tecnologia criou. Seu campo de atuação é amplo e há muito tempo não se restringe mais aos balcões de drogarias, embora essa área ainda empregue vários profissionais - ou porque são os próprios patrões ou em obediência à lei que obriga as farmácias a ter um farmacêutico responsável.


Hoje é possível encontrar farmacêuticos atuando na indústria de alimentos, onde cuidam para que não haja microrganismos em produtos como tomates enlatados, leite condensado etc. Na indústria farmacêutica seu papel poderá ser o de controlar a qualidade da produção dos medicamentos ou ainda o de realizar pesquisas no departamento científico de grandes laboratórios em busca de novos princípios ativos ou novas formas de aplicação de medicamentos. Boas oportunidades também existem na indústria de cosméticos, onde se encarregará da formulação do produto, atuando junto a profissionais de diversas áreas.


A flora brasileira é um campo quase inesgotável a ser investigado pelo farmacêutico. Ele pode atuar, ainda, no estudo e no desenvolvimento de terapias como homeopatia e fitoterapia, e em programas que visem promover a saúde da comunidade - como saneamento básico, imunizações, educação em saúde e controle de natalidade. "O farmacêutico deve estar apto a assessorar as equipes de saúde nas questões ligadas a medicamentos", diz Norberto Reci, vice-presidente do Conselho Federal de Farmácia.


O mercado brasileiro tem grandes diferenças regionais. O Sudeste, por exemplo, está saturado nos segmentos de análises clínicas e toxicológico, áreas mais procuradas pelos recém-formados. São as áreas em que o profissional desenvolve e aplica exames de laboratório. Já nas Regiões Nordeste e Centro-Oeste, ainda há mercado para essa área. Ajudar a desvendar crimes analisando evidências deixadas no local (como fios de cabelo) também é tarefa de farmacêuticos, mas a demanda por profissionais nesse segmento quase não existe.


A polêmica sobre os medicamentos genéricos colocou na ordem do dia o papel do farmacêutico, sem falar no escândalo dos remédios falsificados, em 1998. "O grande desafio do profissional de farmácia é ocupar os espaços e levar a discussão sobre os medicamentos para o âmbito da política nacional de assistência farmacêutica dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), assegurando o acesso a medicamentos com eqüidade e universalidade", defende Reci.


Algumas faculdades exigem que os candidatos ao vestibular escolham previamente entre as habilitações de farmácia e bioquímica. A maioria, no entanto, oferece ao aluno a possibilidade de, após o quarto ano - quando ele já adquiriu o grau de bacharel em farmácia -, fazer mais dois semestres e assim se habilitar em bioquímica. Na formação básica estudam-se disciplinas como química orgânica e inorgânica, físico-química, parasitologia, microbiologia e anatomia humana. Na parte profissionalizante, toxicologia, microbiologia clínica, cosmetologia, qualidade de alimentos, entre outras.

 

Principais Atividades


Atuando em pesquisa, produção e vendas, as atividades dos farmacêuticos incluem:


• planejar, testar e desenvolver processos de fabricação e produtos, realizando e documentando testes, monitorando equipamentos e procedimentos de seus assistentes;


• produzir e divulgar artigos que apresentem suas descobertas;


• participar do controle e fiscalização das várias etapas da produção, em contato com técnicos e operários da linha de produção;


• monitorar equipamentos e inspecionar o produto final, a embalagem e o armazenamento;


• estabelecer, monitorar e fiscalizar projetos, volume de produção, prazos, níveis de segurança;


• manter contato com o pessoal da área de vendas para gerenciar as necessidades de estoque;


• atuar como fiscal profissional e sanitário de empresas de natureza farmacêutica;


• ser responsável técnico ou assessor na fabricação de produtos biológicos, vacinas, alérgenos, derivados do sangue, produtos para uso veterinário;


• ser responsável técnico ou assessor de laboratórios de análises clínicas;


• atuar como vendedor de produtos farmacêuticos, alimentícios, de higiene e limpeza, o que exige conhecimento técnico;


• atuar junto às equipes de saúde dos hospitais para recomendar lançamentos da indústria, controlar prazos de validade de remédios do estoque e fiscalizar o receituário dos setores do hospital;


• como responsável técnico por farmácias de manipulação, identificar, pesar e misturar substâncias para a produção de medicamentos e cosméticos, de acordo com o receituário que lhe é encaminhado;


• atuar em laboratórios de análises clínicas e bioquímicas, exames toxicológicos institutos médico-legais, controle de drogas, medicamentos e alimentos em órgãos de saúde pública.

 


Ambiente de Trabalho


O farmacêutico deve estar preparado para trabalhar muitas horas de pé. Os laboratórios são geralmente ambientes limpos, climatizados e bem iluminados. A atividade pode exigir o uso de luvas ou máscaras e de aparelhos de precisão, como microscópios e balanças. Nas farmácias hospitalares, a jornada de trabalho pode ser longa, com plantões noturnos e nos fins de semana. Lidam com materiais tóxicos, fazendo jus a acréscimos salariais por conta da insalubridade.

 

 

Características Pessoais


• atenção a detalhes
• boa visão
• bom olfato
• capacidade de concentração
• capacidade de observação
• curiosidade
• espírito de investigação
• facilidade para matemática
• gosto pela pesquisa e pelos estudos
• habilidade manual
• interesse pelas ciências
• método
• senso de responsabilidade

 

 

Qualificação Necessária


Farmacêuticos e farmacêuticos bioquímicos precisam ter diploma de curso superior, com cinco anos de duração e estágio obrigatório. Para se sobressair na carreira é preciso estar sempre atualizado através da leitura de revistas especializadas. Conhecimento de inglês é muito importante.

 

 

Contratação


Farmacêuticos recém-formados podem iniciar a carreira fazendo concurso para farmácias hospitalares. Grandes empresas da indústria farmacêutica muitas vezes recrutam alunos nos melhores cursos, para seus programas de estágio, após os quais os melhores são efetivados. Algumas empresas colocam anúncios nos jornais e analisam currículos.

 

 

Futuro da Profissão


O mercado de trabalho para farmacêuticos é muito promissor. A indústria farmacêutica e cosmética cresceu muito na última década e hoje é um dos setores com melhores perspectivas em termos de mercado de trabalho. Segundo o Conselho Federal de Farmácia, existem atualmente aproximadamente 67 mil farmacêuticos registrados no país e a cada ano se formam cerca de 8 mil profissionais. A demanda por profissionais em farmácias e drogarias vem aumentando dramaticamente devido à exigência legal da presença de farmacêuticos em todos os estabelecimentos, para combater fraudes de medicamentos. A promulgação da lei dos genéricos em 2000 gerou investimentos das indústrias na produção destes medicamentos abrindo novas vagas para farmacêuticos. Por sua vez, as farmácias também foram obrigadas pela lei a ter em seu quadro um profissional habilitado a prestar informações sobre os genéricos e fornecer indicações de produtos. Há oportunidades também em áreas novas como laboratórios de análise e pesquisa de poluição atmosférica e de tratamento de dejetos industriais; além disso, pesquisas sobre tratamento e controle de águas para consumo humano e para uso industrial tendem a crescer em função da maior preocupação da sociedade com o meio ambiente. A saúde pública é uma área muito carente, necessitando de grandes volumes de investimentos por parte dos governos federal, estaduais e municipais, que se forem efetivamente feitos criarão ainda mais oportunidades para profissionais da área de farmácia. O setor de produção de medicamentos de homeopatia também tem oferecido boas oportunidades.

 

Duração do Curso:
4 anos


Cursos Online na Área de Farmácia

Pfarma © Portal Farmacêutico | 2006-2013. Todos os direitos reservados.