Fiocruz e Pasteur criam curso online na área de bioinformática

genetica


Pesquisadores e estudantes de qualquer lugar do mundo que tenham interesse na área de bioinformática poderão se inscrever, a partir de janeiro de 2017, no curso Princípios e Tendências em Genômica e Biologia Computacional. Trata-se de uma disciplina online em nível de pós-graduação, desenvolvida pelo Grupo de Pesquisa de Informática em Biossistemas da Fiocruz Minas, em parceria com pesquisadores do Instituto Pasteur. O curso, oferecido em idioma inglês, será disponibilizado, gratuitamente, na Plataforma Pasteur.

“É o primeiro projeto colaborativo de ensino a distância envolvendo as duas instituições. A ideia é facilitar o acesso ao aprendizado, permitindo ao aluno obter conhecimento, estando em qualquer lugar e no momento em que for mais apropriado para ele”, destaca a pesquisadora da Fiocruz Minas Sara Cuadros, uma das idealizadoras do projeto.

O curso é composto por quatro módulos que abordam diversos aspectos da bioinformática, incluindo estrutura e organização do genoma, introdução ao Linux, além de tópicos mais avançados como transcriptômica e proteômica. O conteúdo será apresentado por meio de aulas de vídeo, leitura recomendada, exercícios e, em alguns módulos, serão disponibilizados ainda links externos e atividades complementares.

Com duração estimada de 30 horas, o curso será aberto como um MOOC que, em português, significa curso online aberto e massivo. A principal característica dessa modalidade é que, embora o conteúdo possa ser acessado a qualquer momento, há tarefas que devem ser realizadas semanalmente. Dessa forma, ao se inscrever, o aluno receberá um cronograma e um calendário que o ajudarão a acompanhar o processo.

“Cada pessoa pode seguir o ritmo que encaixar melhor à sua rotina; entretanto, há um prazo para que as tarefas sejam entregues. A proposta desse tipo de curso é estimular o engajamento do aluno e evitar que a atividade seja abandonada antes da conclusão, uma situação ainda comum no campo da educação a distância”, explica Sara.

Outra característica do MOOC é que o curso é totalmente autoinstrucional e, dessa forma, não há monitoria. Assim, em cada sessão disponibilizada, o aluno encontrará um resumo, nome do instrutor, além de diretrizes sobre como navegar e acessar o conteúdo.

 

Equipe multidisciplinar

Idealizado pela pesquisadora do Instituto Pasteur Carolina Mizuno e pelos pesquisadores da Fiocruz Minas Sara Cuadros, Fabiano Pais e Victor Pylro, o curso Princípios e Tendências em Genômica e Biologia Computacional contou, em todo o processo de elaboração, com uma equipe multidisciplinar, formada por profissionais conhecidos internacionalmente, que atuam em diversas instituições, como Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de São Paulo (USP), centros de pesquisas da Espanha, Holanda e Portuga (veja coordenação e corpo docente). O financiamento foi feito pela Rede Internacional do Instituto Pasteur (RIIP).

“A coordenação de um curso de âmbito internacional foi uma experiência bastante positiva. Trata-se de uma iniciativa que favoreceu a consolidação de colaborações entre diversos grupos de pesquisa, da qual esperamos obter resultados ainda mais favoráveis. O Instituto Pasteur tem investido em iniciativas nesse formato e, certamente, nosso curso será amplamente divulgado para os pesquisadores da RIIP, da qual a Fiocruz também faz parte”, afirma a pesquisadora do Instituto Pasteur Carolina Mizuno, uma das idealizadoras do projeto e também integrante da equipe de coordenação.

 

Piloto

O conteúdo do curso foi produzido ao longo deste ano e disponibilizado aos alunos de pós-graduação da Fiocruz Minas durante o 2º semestre, dentro de uma disciplina intitulada Tópicos em Genômica e Biologia Computacional. Diferentemente da modalidade MOOC, os estudantes puderam se comunicar com os professores para esclarecer dúvidas ou resolver problemas técnicos.

“Essa possibilidade de interação com o corpo docente é o que caracteriza uma modalidade de EaD, conhecida como SPOC (Small Private Online Course). A vantagem desse tipo de disciplina em um programa de pós-graduação é que o aluno que, por algum motivo, estiver viajando para outro país tem a opção de dar prosseguimento ao período letivo”, diz Sara. Segundo ela, a intenção agora é oferecer essa modalidade em outros programas de pós-graduação da Fiocruz, conforme haja demanda.

A criação do curso online em idioma inglês, disponibilizado gratuitamente a qualquer interessado, vai ao encontro das ações de internacionalização da Fiocruz Minas. Para a vice-diretora de ensino e comunicação da unidade, Cristiana Brito, a iniciativa possibilita estabelecer novos contatos, aumentando a troca de conhecimentos entre pesquisadores da Fiocruz e de outras instituições de diversas partes do mundo.

“ O interesse em firmar parcerias e trabalhar em conjunto com outras instituições é uma característica da Fiocruz, consolidada na área da pesquisa há muito tempo. Precisamos fortalecer essa prática também no ensino, pois essa troca, sabemos, é benéfica para todos”, afirma. Segundo ela, é preciso pensar em novas formas de abrir as portas para o estudante estrangeiro.

“Essa disciplina em inglês é um primeiro passo. Precisamos pensar sobre como facilitar a vida dos estudantes estrangeiros que querem estudar na nossa instituição”, destaca.

Fonte: Fiocruz Notícias