Farmacêutico brasileiro descobre nova molécula para tratamento da disfunção erétil

pimenta-asiatica-java-piper-cubeba


Farmacêutico da Unifran conseguiu patente para usar nova molécula potencial para produção de um medicamento inovador para o tratamento da disfunção erétil. A descoberta foi feita durante pesquisa para tratar o Mal de Chagas.

A molécula (-)-cubebina, retirada das sementes secas de Piper cubeba, ou pimenta-de-java, apresenta potente atividade contra disfunção erétil, além de não indicar diversos efeitos colaterais, como taquicardia, hiperatividade e confusão mental que existem nos medicamentos para a mesma finalidade. "Nossa molécula diminuiu a frequência cardíaca em vez de aumentá-la; o animal fica mais calmo e, é claro, provoca potente atividade de ereção", a substância age bloqueando a PDE5, conhecida como fósforo-diestarase 5. "Ela bloqueando esta substância, ela aumenta ou provoca a ereção, já que a PDE5 é a causa da degradação de outra substância que, através do metabolismo, permite o enchimento de sangue no corpo cavernoso do pênis."relata Marcio Luis Andrade Silva, pesquisador responsável pela descoberta.

Segundo a pesquisa, o efeito da molécula se mostrou 50% mais potente quando comparado a outras substâncias, como o Viagra (citrato de sildenafila).

O assunto, de grande interesse científico, foi notícia em diversas mídias, e até já recebeu alguns apelidos, como "viagra caipira", "viagra verde" e "estimulante caipira".