Cientistas desenvolvem vacina capaz de combater o câncer de próstata

vacina-cancer-prostataUma pesquisa realizada por cientistas dos EUA e Reino Unido trás novas esperanças para o combate ao câncer. Eles utilizaram vacinas gênicas que foram capazes de eliminar cerca de 80 por cento o câncer de próstata em camundongos, sem causar efeitos secundários graves.

A pesquisa foi co-liderada pelo professor Alan Melcher, da Universidade de Leeds. Melche diz que além da vacina ter sido testada apenas em tumores da próstata, esta mesma técnica pode funcionar em outros tipos de câncer, como tumores de mama, pulmão e pâncreas.


Como funciona a Vacina para combater o Câncer

As vacinas funcionam estimulando o sistema imunológico do organismo a reconhecer antígenos, proteínas que são encontradas na superfície das células. A maioria é projetada para ensinar o corpo a buscar e destruir vírus ou bactérias. Mas os cientistas estão desenvolvendo outras vacinas que provocam uma resposta às células cancerosas.

Uma das vantagens deste tipo de vacina é que ao contrário de uma vacina convencional dada para prevenir a infecção,esta poderia ser usada depois que alguém já tenha câncer.

Para produzir a vacina os pesquisadores coletaram milhares de trechos selecionados aleatoriamente do código genético de uma próstata humana saudável, e as inseriram em um vírus. Os vírus modificados foram então cultivados em laboratório e injetados na corrente sanguínea de um pequeno número de camundongos com câncer de próstata.

Os sistemas imunológicos dos camundongos produziram uma série de anticorpos, cada um voltado para reconhecer um antígeno diferentes do câncer de próstata.

Já haviam sido realizadas pesquisas com vacinas produzidas com terapia genética para combater o câncer, porém as anteriores usavam apenas um gene de uma célula do tumor para estimular o sistema imunológico.

No entanto, encontrar o gene direito tem sido difícil, e os cientistas temiam que usando dois ou mais pudessem desencadear uma resposta imunológica forte demais para o paciente.

O  Professor Peter Johnson, chefe da Cancer Research UK, que financiou a equipe de Leeds, disse que a vacina terá de ser desenvolvida e testada em seres humanos antes de podermos dizer que esta técnica poderá um dia ser usada para tratar pacientes com câncer.

 

Veja abaixo a reportagem exibida na rede globo:

Fonte: Herald Sun
Imagem: Reprodução do vídeo do Jornal da Globo
Vídeo: Jornal Nacional