Anvisa regulamenta o uso de plantas medicinais de tradição popular

fitoterapia-plantas-medicinaisOs benefícios das chamadas “drogas vegetais” passam de geração em geração. Quase todo mundo já ouviu falar de alguma planta, folha, casca, raiz ou flor que ajuda a aliviar os sintomas de um resfriado ou mal-estar. Unindo ciência e tradição, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer popularizar esse conhecimento, esclarecendo quando e como as drogas vegetais devem ser usadas para se alcançar efeitos benéficos. A medida faz parte da RDC 10, publicada nesta quarta-feira (10).


 

“O alho é um famoso expectorante e muita gente tem o hábito de usá-lo com água fervente. No entanto, para aproveitar melhor as propriedades terapêuticas, o ideal é deixá-lo macerar, ou seja, descansar em água à temperatura ambiente”, explica a coordenadora de fitoterápicos da Anvisa, Ana Cecília Carvalho.

 

Inaladas, ingeridas, usadas em gargarejos ou em banhos de assento, as drogas vegetais têm formas específicas de uso e a ação terapêutica é totalmente influenciada pela forma de preparo.  Algumas possuem substâncias que se degradam em altas temperaturas e por isso devem ser maceradas. Já as cascas, raízes, caules, sementes e alguns tipos de folhas devem ser preparados em água quente. Frutos, flores e grande parte das folhas devem ser preparadas por meio de infusão, caso em que se joga água fervente sobre o produto, tampando e aguardando um tempo determinado para a ingestão.

 

- Confira aqui a forma correta de preparo em cada caso

 

Outra novidade da resolução diz respeito à segurança: a partir de agora as empresas vão precisar notificar (informar) à Agência sobre a fabricação, importação e comercialização dessas drogas vegetais no mínimo de cinco em cinco anos. Os produtos também vão passar por testes que garantam que eles estão livres de microrganismos como bactérias e sujidades, além da qualidade e da identidade.

 

Além disso, os locais de produção deverão cumprir as Boas Práticas de Fabricação, para evitar que ocorra, por exemplo, contaminação durante o processo que vai da coleta, na natureza, até a embalagem para venda. As embalagens dos produtos deverão conter, dentre outras informações, o nome, CNPJ e endereço do fabricante, número do lote, datas de fabricação e validade, alegações terapêuticas comprovadas com base no uso tradicional, precauções e contra indicações de uso, além de advertências específicas para cada caso.

 

Drogas vegetais e fitoterápicos

 

As drogas vegetais não podem ser confundidas com os medicamentos fitoterápicos. Ambos são obtidos de plantas medicinais, porém elaborados de forma diferenciada.  Enquanto as drogas vegetais são constituídas da planta seca, inteira ou rasurada (partida em pedaços menores) utilizadas na preparação dos populares “chás”, os medicamentos fitoterápicos são produtos tecnicamente mais elaborados, apresentados na forma final de uso (comprimidos, cápsulas e xaropes).

 

Todas as drogas vegetais aprovadas na norma são para o alívio de sintomas de doenças de baixa gravidade, porém, devem ser rigorosamente seguidos os cuidados apresentados na embalagem desses produtos, de modo que o uso seja correto e não leve a problemas de saúde, como reações adversas ou mesmo toxicidade.

 

As informações são da Impresa Anvisa

Comentários  

# Daiana Janini 15-03-2010 13:44
Ola sou farmacêutica e gostaria de abrir uma loja de produtos naturais, gostaria de saber se precisa de licensa da vigilância sanitária ou algum órgão responsável. Obrigada pela resposta, e se possível indicar saites de ajuda sobre este tipo de comercio eu agradeceria
# Rogério 17-03-2010 00:33
Olá Daiana, Bacana você querer abrir uma loja. Olha Daiana, você pode abrir uma ervaneria ou uma farmácia especializada em fitotérapicos a população necessita de farmacêuticos presentes nesses estabelecimentos.
Você pode ir até o CRF se informar o que é necessário ou então ligar.
Boa Sorte
# GABRIELA 18-03-2010 15:41
Olá,

Sobre a regulamentação de fito em cosméticos, poderiam de indicar alguma regulamentação?

Obrigada
# GABRIELA 18-03-2010 15:44
Gostaria de saber se existe alguma regulamentação para fitoCOSMÉTICOS.

Obrigada
# Pfarma 21-03-2010 00:33
Olá Gabriela deve-se seguir a aplicação da legislação a outros produtos. Por exemplo, o seu produto será considerado medicamento? cosmético grau 1? ou grau 2?
Se for considerado medicamento deverá seguir as regras para fitoterápicos, se for considerado cosmético seguirá a regra para cosméticos.
# Carla Sampaio 21-03-2010 17:49
Melhor coisa que a Anvisa fez a respeito dos fitoterápicos, melhor regularmentar do que deixar de qualquer jeito
# Henrique Delicio 10-07-2010 23:52
Ouvi dizer que a ANVISA TEM UM CADASTRO DE PLANTAS MEDICINAIS.
COMO POSSO OBTER ESSE CADASTRO?
ATT.
hENRIQUE