Medicamento Pramipexol contra mal de Parkinson será fabricado no Brasil

pramipexolO Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) inicia a distribuição do dicloridrato de pramipexol genérico, medicamento usado no tratamento da doença de Parkinson. A apresentação foi feita na sexta-feira (15/3), na sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro. A tecnologia para a produção do medicamento em solo nacional foi repassada pela companhia farmacêutica alemã Boehringer Ingelheim, por meio de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP). Além de beneficiar cerca de 20 mil pessoas que sofrem com a doença de Parkinson, a iniciativa permitirá uma economia de R$ 90 milhões aos cofres públicos durante os cinco anos do acordo de transferência tecnológica.


O dicloridrato de pramipexol será fabricado nas apresentações de comprimidos de 0,125 mg, 0,250 mg e 1,0 mg e distribuído por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Nesta primeira etapa, o medicamento será fabricado na Alemanha, pela Boehringer Ingelheim com a embalagem de Farmanguinhos. Até 2015, o Instituto produzirá metade da demanda nacional. A previsão é que em 2017 o pramipexol seja totalmente produzido no Complexo Tecnológico de Medicamentos (CTM) da unidade, localizada em Jacarepaguá, bairro da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Segundo o diretor da Farmanguinhos, Hayne Felipe da Silva, um dos objetivos do acordo é o fortalecimento da indústria farmoquímica nacional, que receberá a tecnologia para a produção do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA). "A nacionalização da tecnologia do medicamento e da produção do IFA significa diminuir a dependência internacional, já que mais de 80% dos insumos usados em medicamentos no Brasil ainda são importados", destaca. Ele diz ainda que a centralização da distribuição do medicamento permitirá maior controle da demanda e poderá resultar na ampliação da assistência.

"Essa parceria traduz a visão da Boehringer Ingelheim: saúde, bem-estar e inovação acessíveis à humanidade. A PDP marca os 56 anos da companhia no Brasil e de forma definitiva estabelece com o governo brasileiro, e também com os principais agentes de saúde pública, uma agenda comum na qual gerar acesso a medicamentos inovadores é o nosso principal objetivo" afirma Martin Nelzow, diretor geral da Boehringer Ingelheim no Brasil.

O dicloridrato de pramipexol consta nos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) do Ministério da Saúde para tratamento a doença de Parkinson. Trata-se de um agonista dopaminérgico não ergolínico, considerado uma das principais terapias contra esta doença degenerativa do Sistema Nervoso Central. Atualmente, o pramipexol é o único dessa classe disponível no Brasil.

 

Prevalência

A doença de Parkinson tem distribuição universal, atinge todos os grupos étnicos e classes socioeconômicas e os sintomas surgem a partir dos 50 anos de idade. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que 1% da população acima dos 65 anos sofre com a doença. No Brasil, a estimativa é de que pelo menos 200 mil pessoas tenham o problema.

Em estudo conduzido no Brasil, a prevalência encontrada foi de 3,3% em indivíduos com idades iguais ou maiores de 64 anos. Entre os indivíduos de 80 a 85 anos, a prevalência pulou para 8,5%. E naqueles com mais de 85 anos, quase dobra, indo para 14,3%. Os especialistas estimam que a prevalência cresça no futuro, em consequência do envelhecimento populacional.

 

Consumo

Em 2012, cerca de 830 mil unidades de dicloridrato de pramipexol foram adquiridas pelas Secretarias Estaduais de Saúde. Uma população de 20 mil pacientes é beneficiada mensalmente pela distribuição deste medicamento pelo SUS.

Com a marca Sifrol®, o dicloridrato de pramipexol foi lançado no Brasil em 1999. Em 2002, passou a fazer parte do Programa de Medicamentos de Alto Custo do Ministério da Saúde.

 

Farmanguinhos

Braço farmacêutico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Farmanguinhos é o único produtor de medicamentos ligado diretamente ao Ministério da Saúde. Com um importante papel no apoio às ações de saúde do SUS, participando na produção de medicamentos inclusos nos Componentes da Assistência Farmacêutica. Tais Componentes contemplam medicamentos utilizados para o tratamento de diferentes doenças que acometem a população brasileira.

A empresa Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais companhias farmacêuticas do mundo. Com matriz na cidade de Ingelheim, na Alemanha, opera globalmente com 145 afiliadas e mais de 44 mil funcionários. Em 2011, a companhia investiu 23,5% do seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento de novos tratamentos que contribuem para o aumento da expectativa de vida e bem-estar da população.

Fonte: Assessoria de Imprensa de Farmanguinhos/Fiocruz
Foto: Edson Silva