Medicamentos genéricos são em média 56% mais baratos

preco-medicamento-generico-proconA conclusão é da pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, em farmácias e drogarias da capital. Comparando-se os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação verificou-se que, em média, os medicamentos genéricos são 56,63% mais baratos do que os de referência.


Entre os medicamentos genéricos, foi possível detectar diferença de até 1.132%. O medicamento Diclofenaco Sódico, 50 mg – 20 comprimidos, custava R$ 1,00 em um estabelecimento e em outro, R$ 12,32. Diferença de R$ 11,32 em valor absoluto.

Quanto aos de referência, a maior diferença entrada foi de 364,29%. O Dexason (Acetato de Dexametasona) – Teuto, 1mg/g – Creme derm 10g, foi encontrado em um estabelecimento da capital paulista pelo preço de R$ 2,10 e em outro, por R$ 9,75. Diferença de R$ 7,65 em valor absoluto.

A pesquisa, realizada em agosto, envolveu 15 drogarias, distribuídas pelas cinco regiões do município de São Paulo, onde foram pesquisados 58 medicamentos, sendo 29 de referência e 29 genéricos. Veja aqui a pesquisa completa.

 

No interior

No interior paulista, a maior variação de preços entre os medicamentos genéricos apontada pela pesquisa da Fundação Procon-SP em 11 cidades, foi de 938%, o medicamento Paracetamol, 200 mg/ml, gotas 15 ml, foi encontrado em um estabelecimento da cidade de São Vicente por R$ 0,89 e em outro, R$ 9,24. Diferença de R$ 8,35 em valor absoluto.

Entre os medicamentos de referência a maior variação também foi encontrada em São Vicente, o Amoxil (GlaxoSmithKline) 500mg, 21 cápsulas, apresentou variação de 300%. Em um estabelecimento ele custava R$ 14,67 e em outro, R$ 58,68. Diferença de R$ 44,01 em valor absoluto.
A média dos preços dos genéricos em comparação aos de referência nos municípios paulistas, teve a maior diferença, 60,82%, detectada em São José dos Campos. A menor diferença foi encontrada em Presidente Prudente, 46,44%.

A pesquisa, realizada em agosto, contou com a participação dos Procons municipais de Jundiaí, Campinas, Jacareí, Caçapava e São José dos Campos.

 

Dicas do Procon-SP para compra de medicamentos:

  1. Evite comprar ou adquirir medicamentos sem bula e sem embalagem e antes de comprar o medicamento verificar sempre o prazo de validade.
  2. Verifique se os números de lote, prazo de validade e data de fabricação que constam na caixa são iguais aos marcados nas cartelas ou frascos.
  3. Todo medicamento deve possuir o número de registro no Ministério da Saúde.
  4. Guarde sempre o medicamento em local seco, arejado e fora do alcance de crianças. Tenha cuidado especial com remédios de formato ou aroma atrativos às crianças (formato de bichinhos, cheiro ou gosto de chiclete ou bala etc.)

 

Com informações da Assessoria de Comunicação Procon-SP