Saulo de Carvalho Jr fala sobre a Anfarlog - Associação Nacional dos Farmacêuticos Atuantes em Logística

Saulo Carvalho Jr. fala sobre o nascimento e os planos da Anfarlog

11 de Agosto de 2009


Dizem que a profissão de médico é uma das mais nobres atividades, já que este profissional lida diretamente com a saúde humana. Seguindo este raciocínio, pode-se dizer que o farmacêutico tem tanta importância quanto o médico, pois é ele quem fabrica, manipula, armazena, transporta e comercializa os medicamentos que utilizamos após a devida prescrição médica.

E se falamos em fabricação, armazenagem e transporte, nos referimos, portanto, à logística. Partindo da ideia de que o farmacêutico deve ser um gestor de toda a cadeia que envolve os medicamentos, tendo conhecimento da logística que envolve estes produtos, para garantir a qualidade e integridade deles até o destino final, foi criada a Anfarlog – Associação Nacional dos Farmacêuticos Atuantes em Logística(Fone: 17 3227.7527).

Para entender a fundo o que motivou a criação, bem como quais são as ações e os objetivos da Anfarlog, a Logweb conversou com o presidente da entidade, o doutor Saulo de Carvalho Jr., farmacêutico- bioquímico formado pela UNIP – Universidade Paulista e pós-graduando em Logística pela Universidade Católica de Brasília.

Carvalho Jr. atuou durante dois anos na BBEx Transportes, empresa especializada em transporte de medicamentos, e presidiu a 1ª Jornada sobre Transporte e Distribuição de Medicamentos, Correlatos e Perfumarias da Noroeste Paulista, ocorrida em São José do Rio Preto, SP, nos dias 1 e 2 de dezembro de 2008. Além disso, atuou como assessor de gerenciamento de risco da Transportadora Cocenza, é investigador de Polícia e membro da Comissão Assessora de Distribuição e Transporte do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.

Logweb: Quem teve a ideia de criar a Anfarlog e quando ela surgiu?
Carvalho Jr.: A ideia foi minha. Em dezembro de 2008 presidi a 1ª Jornada sobre Transporte e Distribuição de Medicamentos, Correlatos e Perfumarias da Noroeste Paulista e, na ocasião, para o grupo que estava ali presente, lancei a ideia de criar a Anfarlog e todos concordaram por sentirem a necessidade veemente de uma associação desta natureza. Costumo dizer que a entidade surgiu de um ideal de um grupo de profissionais na busca de soluções para as reais necessidades da profissão farmacêutica na área de logística.

Logweb: Comente os ideais da entidade.
Carvalho Jr.: Foram realizadas diversas reuniões até finalizarmos os ideais da Anfarlog. A entidade acredita que uma grande profissão se faz necessariamente com grandes profissionais. E para ser um grande profissional, é preciso estar apoiado em três pilares fundamentais: capacitação técnica, postura profissional, moral e ética e participação política. Dentro do ciclo de assistência farmacêutica, a cadeia logística é uma área de importância vital para assegurar a qualidade e a eficácia do medicamento. É uma área que exige conhecimentos específicos, na qual – a todo o momento – surgem novas tecnologias. Por isso, acreditamos que o farmacêutico deve reciclar constantemente seus conhecimentos, entendendo profundamente como garantir a qualidade dos produtos sob sua responsabilidade nos mais diferentes ambientes. É essa garantia que faz a diferença, sendo um dos fatores essenciais para o sucesso terapêutico de um tratamento. Este conhecimento técnico do produto deve estar aliado ao cumprimento das legislações sanitárias vigentes e das necessidades de adequações das empresas. O farmacêutico deve ser um verdadeiro gestor em sua área.

Logweb: Quais são os objetivos gerais e a missão da Anfarlog?
Carvalho Jr.: Defender e qualificar o profissional farmacêutico. A Anfarlog tem como missão defender os interesses da classe farmacêutica atuante em logística junto aos poderes constituídos, contribuir para a excelência da formação continuada, amparada pelos princípios da responsabilidade social e elevado nível ético e democrático para desenvolvimento e progresso dos associados, reconhecimento da profissão e atuação responsável na melhoria da qualidade de vida da sociedade.
 
Logweb: Fale sobre o apoio que a Anfarlog recebeu por parte de outros órgãos e associações. Qual a importância desse suporte?
Carvalho Jr.: Recebemos apoio do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo, através dos diretores da entidade, as doutoras Raquel Rizzi Grecchi e Margarete Akemi Kishi, além do doutor Pedro Menegasso e Marcelo Polacow Bisson, que abraçaram a causa da Associação e incentivaram a criação da Anfarlog. Isso foi extremamente importante para firmarmos nossa seriedade e respeito perante a classe farmacêutica. No lançamento oficial pudemos contar, também, com as presenças dos doutores Ricardo Stanev e Catarina Vicena Buque e do investigador Carlos Alberto, do DEIC – Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil do Estado de São Paulo, do doutor Dirceu Raposo de Melo, presidente da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e do doutor Vagner Miguel, diretor-executivo da Anfarmag – Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais, entre outros representantes de órgãos públicos, entidades e sindicatos.

Logweb: Quais serão os focos de atuação da entidade?
Carvalho Jr.: Tendo como base o conceito de logística, que significa planejar, implementar e controlar eficientemente todo o fluxo de armazenagem, serviços e informações do produto farmacêutico desde o ponto de origem até o ponto de consumo, chegamos à conclusão que praticamente todas as atividades realizadas pelo farmacêutico são etapas inseridas na cadeia logística de distribuição. Nesse intuito, a Anfarlog pretende defender o profissional das áreas de importação, exportação, fabricação, armazenagem, distribuição, transporte e dispensação de medicamentos, buscando saídas para o reconhecimento e a valorização da profissão farmacêutica na área de logística.

Logweb: Quem pode se associar à Anfarlog? Quais as expectativas quanto ao número de sócios e à aceitação da entidade perante os profissionais farmacêuticos?
Carvalho Jr.: Podem ser sócios todos os profissionais que atuam na cadeia logística do medicamento e produtos afins, principalmente farmacêuticos. Após apenas três semanas desde a fundação, já tínhamos 50 associados, com média de duas inscrições por dia. Projetamos em médio e longo prazo sermos a maior associação farmacêutica do Brasil. As expectativas são as melhores possíveis, porque o farmacêutico integrado com a empresa passa a ser um gestor. Dessa forma, com o profissional qualificado, os ganhos para a empresa são certos.

Logweb: Qual é a abrangência de atuação da Associação e de que forma pretende-se divulgá-la? Comente as perspectivas da entidade em curto, médio e longo prazo.
Carvalho Jr.: A abrangência é nacional e pretendemos divulgá-la por meio do nosso site, que se encontra em construção, e através da internet em suas mais diversas modalidades, como as comunidades de relacionamento e grupos de discussão interativos. Em curto prazo pretendemos participar de todos os eventos farmacêuticos e de logística para difundir e angariar associados. Já em médio e longo prazo, buscaremos promover congressos e simpósios. Nesses eventos pretendemos realizar a integração entre os profissionais farmacêuticos e gestores de empresas relacionadas, como indústrias, distribuidoras, Operadores Logísticos, transportadoras, demais prestadores de serviços, órgãos de segurança pública e de fiscalização, pois um de nossos papéis é contribuir no combate ao roubo de carga e falsificação de medicamentos.

Logweb: O que a Anfarlog já pode adiantar aos interessados? Quais ações já foram iniciadas?
Carvalho Jr.: Dentro de nossa proposta de trabalho já concretizamos algumas parcerias em benefício dos associados, dentre as quais posso citar a parceria com a Drogasil, para desconto em medicamentos, a parceria com a FGV-COC, de Ribeirão Preto, SP, para desconto nos cursos de pós-graduação, e a criação do primeiro curso no Brasil de pós-graduação lato sensu em Logística Farmacêutica, com desconto de 20% na mensalidade para os associados. Este curso, cujo certificado será emitido pela Anfarlog, foi criado por meio de parcerias com a Faculdade de Administração de São Paulo e as Faculdades Alfa Castelo e será oferecido simultaneamente nas duas instituições.

Logweb: Qual a importância da logística para o setor farmacêutico?
Carvalho Jr.: A logística pode contribuir para a adequação dos processos voltados às boas praticas de fabricação, armazenagem, distribuição e transporte, visando à melhoria da qualidade dos serviços e, consequentemente, a dos produtos, otimizando ganhos e minimizando perdas.

Logweb: Comente a preocupação da Anfarlog com a questão da distribuição de medicamentos no território nacional. Quais são os entraves? Fale também sobre a preocupação nas questões de importação e exportação.
Carvalho Jr.: Na distribuição nacional, nossa preocupação é garantir a entrega do medicamento com qualidade à população, mantendo desta forma a eficácia de seu uso. Levando em consideração a extensão territorial do Brasil, as diferenças climáticas e as deficiências da infraestrutura do transporte, otimizar os processos em logística farmacêutica torna-se um grande desafio para as empresas atuantes e para os profissionais da área. Já nas questões de importação e exportação, temos outro maior desafio, que é diminuir os entraves burocráticos de liberação dos produtos nos portos e aeroportos, visando agregar valor à qualidade do serviço e do produto ao longo do canal de fabricação/distribuição. Sendo assim, o farmacêutico como profissional integrante e responsável pela gestão da qualidade desses processos poderá contribuir em muito nesse sentido.

Logweb: De que forma a entidade analisa o roubo de medicamentos no Brasil?
Carvalho Jr.: A Anfalog enxerga este tema com preocupação, tanto que uma das metas de nosso trabalho é promover a integração com os órgãos competentes de combate ao roubo de cargas, para encontrar as melhores soluções possíveis. Ressaltamos, ainda, que a presença do farmacêutico da transportadora e sua atuação efetiva ajudam a coibir o roubo de cargas de medicamentos por meio do cumprimento da sua função estabelecida nas normas de regulamentação da profissão nesta área (Resolução CFF 433/05).

Logweb: Qual a visão da entidade quanto à Logística Reversa no setor farmacêutico.
Carvalho Jr.: Consideramos extremamente importante o aperfeiçoamento desta área, visto que os processos de devolução realizados corretamente contribuem para a rastreabilidade do produto, e logo coíbe quaisquer desvios da cadeia de distribuição. Desta forma, assegura a saúde da população. Sendo assim, nos eventos que pretendemos realizar um dos objetivos é promover discussões voltadas ao tema.

Saulo de Carvalho Jr. e Sonja Helena realizam no dia 16 de outubro no Rio de Janeiro o Curso de Capacitação em Logística Farmacêutica, confira mais em http://pfarma.com.br/curso

Fonte: Notícias - Revista Logweb Ed. 90