Anvisa nega renovação de certificado de boas práticas à EMS

ems industria farmaceutica


O pedido de renovação do certificado de boas práticas de fabricação de medicamentos (BPF) da EMS foi indeferido pela Anvisa. A decisão foi publicada na última segunda-feira (2 de março) no Diário Oficial da União.

Com o indeferimento a EMS fica limitada de vender medicamentos para o poder público, também não pode pedir registro de novos medicamentos ou renovar os registro antigos. Porém a venda de medicamentos para empresas privadas continua normal, destas forma a EMS podem negociar medicamentos com farmácias , distribuidoras e hospitais privados.

De acordo com a Anvisa, a negativa de renovação do certificado é decorrente de problemas registrados no almoxarifado da empresa, onde as matérias-primas utilizadas na fabricação de dois antibióticos não estavam sendo conservadas na temperatura e umidade recomendadas. Além disso, segundo a agência, a empresa estava usando matéria-prima diferente da relatada no registro dos medicamentos. Se corrigir os problemas, a EMS S.A. pode fazer um novo pedido para obter a certificação.

A Anvisa destacou, entretanto, que a negativa de renovação do certificado não implica a interdição dos produtos da EMS S.A.

 

Casos recentes

No dia 4 de fevereiro a Anvisa suspendeu dois medicamentos fabricados pela EMS em hortolândia.Um dos produtos era a Amoxicilina + Clavulanato de Potássio 50 Mg/ML + 12,5 Mg/ML Pó Para Suspensão Oral e o outro a Rifamicina 10 Mg/ML Solução Tópica Spray.

A empresa também teve o almoxarifado da fábrica de hortolância.

No dia 18 de fevereiro a Anvisa determinou a suspensão da fabricação, distribuição, comercialização e uso do medicamento Policlavumoxil 250MG/5ML + 62,5MG/5ML pó para suspensão oral fabricado pela empresa EMS S/A.

 

Resposta da EMS

Em nota, a empresa informou que todas as providências para a renovação do certificado foram tomadas e reforçou que não há restrição para que seus medicamentos sejam comercializados no país. Consumidores podem tirar dúvidas por meio do telefone 0800-191914, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.