Farmoquímica define nova estratégia para crescer

Farmoquímica define nova estratégia para crescer (Valor Econômico)

Jornalista: Marli Lima


08/09/2009 - O Farmoquímica, laboratório farmacêutico do Rio de Janeiro controlado pelo grupo argentino Roemmers, definiu em 2008 duas áreas para expansão, a fitoterápica e a dermatológica.

 

A reportagem publicada na versão impressa do jornal Valor Econômico encontra-se disponível para assinantes no site www.valoronline.com.br.

 

O Farmoquímica, laboratório farmacêutico do Rio de Janeiro controlado pelo grupo argentino Roemmers, definiu em 2008 duas áreas para expansão, a fitoterápica e a dermatológica. O primeiro passo foi dado na semana passada, com a compra do Herbarium, laboratório paranaense que tem o maior número de fitoterápicos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O próximo envolve o lançamento, em 2010, de uma linha de produtos para a pele importada da França, mas uma nova aquisição não está descartada. "Podemos partir para essa solução", informa o presidente do Farmoquímica, Marcelo Geraldi.

A negociação com os donos do Herbarium durou 10 meses. Ele foi criado há 24 anos pela enfermeira Magrid Teske e era uma empresa familiar, com sede em Colombo (PR), 430 empregados e faturamento previsto de R$ 70 milhões para 2009. O valor da transação não foi revelado e será feita com recursos próprios. Com a aquisição, a intenção do Farmoquímica é ganhar posições entre os maiores laboratórios em vendas de produtos com prescrição médica, ampliar a liderança em fitoterápicos no país e expandir a atuação do Herbarium no mercado internacional.

O Farmoquímica esperar faturar R$ 238 milhões em 2009 e emprega 700 pessoas. Geraldi conta que para abrigar as duas empresas, que serão independentes, foi criado o grupo FQM, que no futuro deverá ter também uma unidade de dermatologia. O executivo conta que a empresa já fabricava medicamentos fitoterápicos e o segmento respondia por 16% das receitas. "Uma empresa brasileira que é referência nessa área tem tudo para crescer em outros países", diz ele, sobre a intenção de aumentar as exportações do Herbarium.

Fundado nos anos 30 por uma família italiana, o Farmoquímica foi adquirido em 1975 por um grupo de executivos de uma multinacional. No início, atuou no interior do país no tratamento de doenças endêmicas, parasitológicas e infecciosas. Na segunda metade da década de 90, mudou o enfoque para produtos de receituário e, depois, com novos itens, foi para o grandes centros urbanos. O controle do laboratório foi adquirido pelo grupo Roemmers em 2001 (a empresa ainda tem sócios brasileiros) . No ano seguinte, comprou o laboratório Zest.

O presidência da Herbarium era ocupada por Clovis Teske, irmão de Magrid e um dos sócios do negócio. Os dois não falaram sobre a venda da empresa.