Déficit na indústria química nacional

 industria quimica brasileira


A indústria química nacional acumulou prejuízo comercial de US$ 6 bilhões no primeiro trimestre de 2015, segundo a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). O valor representa uma queda de 5,9% em relação ao mesmo período de 2014. Entre abril de 2014 e março de 2015, o déficit já ultrapassa US$ 30,8 bilhões.

Segundo a Associação, nos três primeiros meses de 2015, as importações de produtos químicos somaram US$ 9,1 bilhões, uma retração de 6,8% em relação a igual período de 2014. Já as exportações ficaram em US$ 3,1 bilhões, queda de 8,5% na mesma comparação.

"A redução da atividade industrial e as incertezas quanto às perspectivas econômicas futuras para todo o transcurso de 2015, atreladas à forte desvalorização do real frente ao dólar nos primeiros meses do ano, fizeram com que menos insumos e matérias-primas fossem demandados pelo País e, logo, os reflexos se estenderam naturalmente para o comércio exterior brasileiro de produtos químicos", afirmou em nota a diretora de Assuntos de Comércio Exterior da Abiquim, Denise Naranjo.

Os intermediários para fertilizantes foram o principal item da pauta de importação brasileira de produtos químicos, com compras que alcançaram US$ 1,2 bilhão no primeiro trimestre do ano, ultrapassando as importações de resinas termoplásticas, que totalizaram US$ 1,1 bilhão no período.

A Abiquim informou ainda que, em março, as compras externas de produtos químicos chegaram a US$ 3,2 bilhões, um aumento de 15,6% em relação a fevereiro. As exportações, de US$ 1,1 bilhão, registraram, por sua vez, elevação de 28,5% em igual comparação. Em relação a março de 2014, foram registradas queda de 2,3% das importações e aumento de 7,4% das exportações.

Fonte: Estadão