Medley é a empresa mais citada nas Mídias Sociais

industria-farmaceutica-midia-socialEstudo inédito da MITI Inteligência apontou que a líder em genéricos é a empresa farmacêutica mais citada em notícias e redes sociais.


A MITI Inteligência realizou um estudo inédito sobre a indústria farmacêutica na era digital. Entre 19 e 23 de janeiro de 2011, foram capturadas mais de 850 interações em redes sociais, citando os termos “indústria farmacêutica”, “automedicação” ou um dos 13 laboratórios monitorados. “O objetivo da análise é avaliar como está a imagem das grandes empresas farmacêuticas junto à população”, explica Elizangela Grigoletti, gerente de inteligência e marketing da MITI Inteligência.

A Medley, terceira maior empresa farmacêutica e líder em genéricos no Brasil, foi o laboratório mais citado, com 60% das interações em mídias sociais – Twitter, Facebook, Youtube, blogs, fóruns e sites de reclamação. Em seguida vieram as empresas Bayer, com 11,5% das menções, e Eurofarma, com 5,5%. A Medley investe em patrocínios para fortalecer sua imagem junto ao público e usa seu site oficial para promover o trabalho realizado, mantendo uma página exclusiva sobre o time de vôlei Medley Campinas e outra dedicada à equipe Medley de Stock Car.

Os patrocínios esportivos também foram responsáveis pela repercussão da Medley na imprensa. No período do estudo, foram monitoradas também notícias da imprensa on-line e o laboratório foi citado em um terço das veiculações. “Essa repercussão na imprensa influencia diretamente o buzz nas mídias sociais já que muitas das menções são replicações de notícias sobre a marca”, ressalta.

A Bayer, segundo laboratório farmacêutico mais citado no período, procura fortalecer sua imagem por meio de projetos de responsabilidade sócio-ambiental, entre eles, o Programa Bayer Jovens Embaixadores Ambientais. No período do estudo, entretanto, 65% das menções em redes sociais foram negativas, replicando uma notícia que levantou a discussão sobre um dos inseticidas da marca que estaria matando abelhas em todo o mundo. “Devido à força da disseminação nas redes sociais, uma notícia pode resultar em um buzz negativo para a empresa. Não monitorar essa repercussão pode representar a perda de uma grande oportunidade, inclusive de fortalecimento da marca”.

O terceiro laboratório mais citado, Eurofarma, também deve boa parte de sua repercussão às atividades de patrocínio. O laboratório é ativo nas mídias sociais, mantendo um blog dedicado a sua equipe da stock car, uma página institucional no Facebook, perfil no Twitter, além de canal no Youtube e Flickr.

Os outros laboratórios monitorados – Abbott, Astrazaneca, Glaxosmithkline, Merck, Norvartis, Pfizer, Roche, Sanofi-Aventis, Wyeth e EMS – somaram juntos 23% de citações em mídias sociais. Na imprensa online, a Medley foi a mais citada com 33% das notícias capturadas, seguida pela Roche (16%), Sanofi-Aventis (13%) e Pfizer (12%).

Fonte:  MITI