Cresce a distribuição de medicamentos fora do eixo Rio-São Paulo

distribuicao-medicamentoO fortalecimento das economias além Rio-São Paulo impulsiona a distribuição de medicamentos pelo país. Segundo dados da IMS Health relativos a 2010 e divulgados pela Abafarma - Associação Brasileira do Atacado Farmacêutico, 13 Estados brasileiros ampliaram sua participação percentual no montante de medicamentos repassados às redes de farmácias e drogarias, na comparação com 2009.


A diversidade regional é ainda mais evidente quando se leva em conta as regiões dos Estados que elevaram sua representatividade - um no Sul, dois no Norte, três no Nordeste, três no Sudeste e quatro no Centro-Oeste. "Em todo o Brasil houve aumento de medicamentos vendidos. Mas o que impressionou foi a participação das unidades da Federação fora de Rio e São Paulo subir de 56,42% para 57,37%, algo sem similares em nosso setor", observa Luiz Fernando Buainain, presidente da Abafarma, que agrega as 23 maiores atacadistas do Brasil.

Do total de 1,99 bilhões de unidades de medicamentos computadas no levantamento, aumentaram sua fatia Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, São Paulo e Tocantins. "Os dois maiores Estados do país ainda mantêm larga liderança, mas todos os demais apresentam expansão vigorosa. É um termômetro da eficiência, mas também dos desafios da atividade atacadista, cada vez mais estratégica", atesta.

 

Sobre a Abafarma

Fundada em 1986, a entidade reúne as 23 maiores distribuidoras de medicamentos e HPC (Higiene, Perfumaria e Cosméticos) do Brasil, responsáveis por 80% do PIB do setor e com faturamento mensal médio de R$ 1,5 milhão. Atualmente, as associadas à Abafarma atendem 63 mil farmácias, hospitais e clínicas e geram 28 mil empregos diretos e indiretos.

Luiz Fernando Buainain: "Indicadores são termômetros da eficiência da distribuição farmacêutica no país"

 

Fonte: Abafarma