A população do Distrito Federal, 37,8%, compra remédios sem prescrição médica e sempre ou de vez em quando. É o que aponta estudo realizado pela pesquisadora da Universidade de Brasília (UNB), Maristela Raquel de Almeida. Entre os motivos mais comuns para a automedicação, apontados pelos usuários, o que predomina é o uso anterior do remédio - 47,2% dos entrevistados responderam dessa forma. Outros 17,6% levaram em consideração a recomendação do farmacêutico na hora da compra do remédio sem receita.

Esse é o dado mais relevante da pesquisa, que avalia a percepção da população do Distrito Federal sobre a existência de riscos na utilização de medicamentos. O trabalho revela ainda que um terço dos entrevistados consideram que todos os remédios fazem mal à saúde, mas apesar disso o brasiliense altera as doses da medicação e faz uso dos produtos sem compreender totalmente as orientações das bulas dos remédios.

Fonte: UNB Notícias