Câmara discute a inclusão de caneta de insulina no Rename

caneta-insulinaA Comissão de Seguridade Social e Família realiza audiência pública hoje para discutir a inclusão de um kit contendo insulina injetável por caneta descartável na lista da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename). Os deputados Walter Feldman (PSDB-SP) e Nilson Leitão (PSDB-MT), que assinam requerimento da audiência, lembram que a lista é revisada e autualizada periodicamente pela Comissão Técnica e Multidisciplinar de Atualização do Rename, composta por órgãos do governo.


“Trata-se de uma insulina com um efeito de ação rápida que baixa o açúcar no sangue rapidamente, entre 10 a 20 minutos após a administração.Quem depende da aplicação diária de insulina para manter a sua sobrevivência sabe da importância e dos benefícios de utilizar a caneta e uma insulina de melhor qualidade”, argumentam os deputados. “Além de ser um método mais seguro e mais higiênico, é de fácil aplicação e colabora para evitar constrangimentos, tendo em vista que pessoas são abordadas constantemente em seus locais de trabalho, nas escolas, por pessoas que, ao se deparar com diabéticos aplicando o medicamento com o método da seringa, acreditam tratar-se de usuários de drogas”, acrescentam os parlamentares.

Outro beneficio da caneta, segundo Feldman e Leitão, é que ele dispensa o armazenamento em geladeira, enquanto a insulina de frasco tem necessidade de ser conservada em refrigeração. “Entendemos ser necessária e urgente a substituição do medicamento indicado em prol de uma melhor qualidade de vida aos portadores dessa grave enfermidade que hoje acomete milhares de brasileiros”, afirmam.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, quase 250 milhões de pessoas no mundo têm diabetes e, como esse número vem crescendo, a instituição já classifica a doença como uma epidemia. A cada ano sete
milhões de indivíduos entram nessa lista, aumentando a estatística. A insulina é o principal medicamento de controle da diabetes.

Fonte: Agência Câmara Notícias