Custo da vacinação para crianças ficou 68 vezes mais cara em países pobres

vacina


A vacinação de crianças em países pobres ficou 68 vezes mais cara nos últimos 14 anos, revelou um relatório da organização MSF (Médicos Sem Fronteiras).

O encarecimento se deu, principalmente, "devido a um grupo de grandes companhias farmacêuticas que estão cobrando muito caro de países doadores e países em desenvolvimento por vacinas com as quais já ganham bilhões de dólares nos países ricos", disse Rohit Malpani, diretor de políticas e análises da Campanha de Acesso do MSF.

As informações foram divulgadas em um relatório que, segundo a organização, "jogam uma luz na sigilosa indústria de vacinas e na impressionante falta de dados sobre os preços", porque a indústria esconde preços e cobra valores muito diferentes em certos mercados para o mesmo produto.

Diante disso, a organização humanitária fez um apelo às companhias farmacêuticas GSK (GlaxoSmithKline) e Pfizer para que reduzam o preço da vacina pneumocócica para R$ 13 (US$ 5) por criança em países em desenvolvimento, antes de uma importante conferência de doadores sobre vacinação em Berlim, na Alemanha.

"Existe uma situação irracional em que alguns países em desenvolvimento como o Marrocos e a Tunísia estão pagando mais do que a França pela vacina pneumocócica", disse Kate Elder, consultora de políticas para vacinas da Campanha de Acesso de MSF.

— Por causa do custo astronômico das novas vacinas, muitos governos precisam fazer escolhas difíceis sobre as doenças mortais contra as quais podem pagar para proteger suas crianças.

A vacina pneumocócica sozinha responde por cerca de 45% do custo total para vacinar uma criança hoje nos países mais pobres (o pacote completo inclui proteção contra 12 doenças).