OMS pré-qualifica vacina inovadora para febre tifoide

vacina

Ao fim de dezembro de 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) pré-qualificou a primeira vacina conjugada contra a febre tifoide, a Typbar-TCV®, da empresa Bharat Biotech. As vacinas conjugadas contra a febre tifoide são produtos inovadores que possuem imunidade de longa duração, mais do que as vacinas antigas, e requerem menos doses, além de poderem ser administradas em crianças pequenas por meio dos programas rotineiros de imunização infantil. O fato de a vacina ter sido pré-qualificada pela OMS significa que ela atende padrões aceitáveis de qualidade, segurança e eficácia. Isso torna a vacina elegível para compras por agências das Nações Unidas, como o UNICEF, bem como para a Gavi - Vaccine Alliance.

Em outubro de 2017, o Grupo Consultivo Estratégico de Peritos (Strategic Advisory Group of Experts – SAGE) sobre Vacinação, que aconselha a OMS, recomendou a vacina para uso rotineiro em crianças com mais de seis meses de idade em países endêmicos. O SAGE também solicitou que a introdução da Typbar-TCV® seja priorizada nos países com maior carga de febre tifoide ou de resistência antibiótica à Salmonella Typhi, bactéria que causa a doença em humanos. O uso da vacina também deve ajudar a conter o uso frequente de antibióticos para o tratamento de febre tifoide presumida e, assim, ajudar a retardar o aumento alarmante da resistência da Salmonella Typhi aos antibióticos.

Pouco tempo após a recomendação do Grupo Consultivo, o Conselho da Gavi aprovou US$ 85 milhões em financiamento para a vacina a partir de 2019. A pré-qualificação é, portanto, um passo crucial para tornar a Typbar-TCV® disponível para os países de baixa renda, onde ela é necessária. Mesmo em países que não recebem apoio da Gavi, a pré-qualificação pode ajudar a acelerar o licenciamento.

A pré-qualificação da OMS ajuda a garantir que as vacinas utilizadas nos programas de imunização sejam seguras, eficazes e apropriadas para as necessidades dos países. O procedimento de pré-qualificação consiste em uma avaliação transparente e cientificamente sólida, que inclui a revisão da evidência, o teste da consistência de cada lote de vacina fabricada e a visita ao local de fabricação.

A febre tifoide é uma doença grave e às vezes fatal espalhada por alimentos e água contaminados. Os sintomas incluem febre, fadiga, dor de cabeça, dor abdominal e diarreia ou constipação. Para milhões de pessoas que vivem em países de baixa e média renda, a doença é uma realidade sempre presente. As estimativas globais da carga causada pela enfermidade estão entre 11 e 20 milhões de casos e entre cerca de 128 mil e 161 mil mortes anualmente. Comunidades pobres e grupos vulneráveis, como crianças, são muitas vezes mais suscetíveis.

A urbanização e as mudanças climáticas têm o potencial de aumentar a carga global da febre tifoide. Além disso, o aumento da resistência aos antibióticos facilita a propagação da doença em superpopulações nas cidades e por meio de sistemas de saneamento e/ou água inadequados.

*Conteúdo traduzido pela Representação da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil. A versão original, em inglês, foi publicada pela sede da OMS no dia 3 de janeiro de 2017, no seguinte link: http://www.who.int/medicines/news/2017/WHOprequalifies-breakthrough-typhoid-vaccine/en/.

Fonte: OMS