A+ A A-

Nota Técnica Anvisa: prevenção e controle de infecções por microrganismos resistentes a antibióticos

Anvisa Pública Nota Técnica Nº1/2010 - Medidas para identificação, prevenção e controle de infecções relacionadas à assistência à saúde por microrganismos multirresistentes

 

infeccao-hospitalar-bacteria-resistente-antibioticosA Anvisa reuniu na sexta-feira (22/10), em Brasília (DF), infectologistas, microbiologistas e especialistas em infecção hospitalar para discutir recomendações e medidas de prevenção das infecções hospitalares provocadas por microrganismos resistentes a antibióticos. O resultado das discussões integram uma nota técnica dirigida a hospitais, secretarias de saúde e comissões de controle de infecção hospitalar que foi publicada nesta segunda-feira (25/10).

Os diretores da Agência aprovaram a obrigatoriedade de que os serviços de saúde brasileiros disponibilizem solução alcóolica para a higienização das mãos dos profissionais de saúde em todos os pontos de atendimento aos pacientes. Os estabelecimentos deverão cumprir a norma a partir de 60 dias, contados da publicação da resolução no Diário Oficial da União.

Já as farmácias e drogarias brasileiras vão passar a reter a receita médica durante a venda dos antibióticos. Esses estabelecimentos terão 30 dias para se adequar à norma a partir da publicação da medida. As duas resoluções devem ser publicadas no Diário Oficial da União na próxima semana.

Os recentes casos de infecção hospitalar registrados no Brasil trouxeram à tona um problema de amplitude mundial: a resistência natural que microrganismos, como bactérias, vírus e fungos, adquirem ao longo do tempo e que pode ser acelerada por ações humanas, como o uso irracional de antibióticos.

O problema dos microrganismos resistentes a antibióticos foram levantados devidos ao aumento de casos registrados de infecções por bactérias portadoras da enzima KPC.

 

Enzima KPC: entenda o que é

bacteria-resistente-antibiotico-kpcA enzima Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC) tem sido apontada como principal causadora de algumas infecções mais recentes. Entre 2009 e 2010 já foram relatados casos nos hospitais do Espírito Santo (3); Goiás (4); Minas Gerais (12); Santa Catarina (3); Distrito Federal (157) e São Paulo (70).

Essa enzima pode ser produzida por vários tipos de enterobactérias (bactérias que estão presentes no trato gastrintestinal ) e o conhecimento científico tem demonstrado que ela confere às bactérias uma resistência ainda maior aos antibióticos, podendo inativar penicilinas, cefalosporinas e monobactâmicos.

A enzima KPC já foi documentada em diferentes bactérias, como Salmonella enterica, Enterobacter sp, Enterobacter cloacae e na própria Klebsiella pneumoniae, que pode agir como uma bactéria oportunista em pessoas que estão com a saúde muito debilitada, provocando infecções graves no ambiente hospitalar.

No Brasil, o primeiro relato desse novo mecanismo de resistência ocorreu em 2005, em Recife (PE), e estava relacionado à bactéria Klebsiella pneumoniae. Atualmente o tratamento dos pacientes é realizado com os antibióticos Polimexina B e Colistina.

 

Higienização das Mãos em Serviços de Saúde

A Anvisa tem intensificado o conselho aos profissionais de saúde da importância da Higienização das Mãos, todo o material pode ser conferido no Hotsite - http://www.anvisa.gov.br/hotsite/higienizacao_maos/index.htm


Cursos Online na Área de Farmácia

Pfarma © Portal Farmacêutico | 2006-2013. Todos os direitos reservados.