Tratamento com Radiofármacos são armas para a luta contra o câncer

 




 

 

As armas da medicina contra o câncer, as novas técnicas e o atendimento personalizado são ferramentas fundamentais no combate à doença.

O câncer no intestino atinge 25 mil brasileiros. Se descobertos no início, todos os casos são curados. Mas quando chegam ao ponto de resistir à cirurgia e afetar outros órgãos, os tratamentos não funcionam mais. A esperança que resta é a medicina nuclear.

Durante o tratamento, um material radioativo é injetado no paciente e absorvido só pelas células cancerígenas. Uma vez lá dentro, ele libera radiação em quantidade suficiente para destrui-las.

 

Novos medicamentos

 

Enquanto a medicina avança no desenvolvimento de novas técnicas, 400 medicamentos para o câncer estão em fase de pesquisa. A maioria criada para atacar um único alvo: a célula com câncer e poupar as saudáveis.

Na década de 90, a cada três anos surgia um novo medicamento. Hoje são pelo menos três novas fórmulas todos os anos, diversidade que chegou à quimioterapia.

 

Saiba mais sobre os Radiofármacos:

Radiofármacos passam a ter registro no Brasil

Resolução sobre radiofármacos - RDC 63 de 2009

Laboratório de Radiofármacos brasileiro desenvolve novo agente terapêutico