Ministério da saúde aumenta prazo de fornecimento do Interferon

tratamento-hepatite-interferonSemana passada o Bom Dia Brasil mostrou o drama de pacientes com hepatite C no interior de São Paulo. O Ministério da Saúde anunciou mudanças no tratamento e são mudanças para melhor.


Os portadores do vírus da hepatite C comemoraram ainda no corredor do hospital a boa notícia. Só em Botucatu, 300 pacientes estão em tratamento. Há seis anos com a doença, o motorista Douglas Carvalho era o próximo a ter o fornecimento do medicamento interrompido. A mudança no prazo deixou o motorista mais tranquilo.

“Sem o tratamento não tem outra opção. Estou mais aliviado hoje”, comentou o motorista.

Em todo o Brasil, 12 mil pessoas recebem do Sistema Único de Saúde (SUS) o medicamento “Interferon Peguilado”, usado para o tratamento da hepatite C. Mas, como o Bom Dia Brasil mostrou no começo da semana, o remédio só era fornecido durante 48 semanas. Os pacientes que não conseguiam se livrar do vírus neste prazo tinham o tratamento interrompido por determinação do Ministério da Saúde.

O ministério aprovou uma alteração no protocolo de tratamento e aumentou para 72 semanas o prazo de fornecimento do remédio. Em Brasília, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou o novo sistema de tratamento dos pacientes contaminados com a hepatite C.

“Aquilo que antes precisava de uma avaliação de um comitê estadual de especialistas, passa a ser uma orientação desde o começo: pacientes que, em até 48 semanas, foram respondedores lentos, ou seja, reduziu a quantidade de vírus, mas não chegou a negativar como a situação de um bom respondedor, já tem a orientação de continuar até 72 semanas. Quem decide é o médico que conduz esse paciente”, explicou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O número de portadores de hepatite C é controverso. Oficialmente, o Ministério da Saúde estima em 1,5 milhão de pessoas no Brasil, mas médicos e entidades ligadas a pacientes contestam esta estimativa, já que a hepatite C é uma doença silenciosa e a maior parte das pessoas não sabe que está contaminada.