Residência em Farmácia Hospitalar e Multiprofissional 2013 - UFF

residencia-farmacia-hospitalar-uffA Universidade Federal Fluminense, através da Comissão de Residência Multiprofissional em Saúde e em Área Profissional da Saúde da UFF, torna público, o Concurso de Seleção para Residentes Multiprofissionais e em Área de Saúde da UFF, visando ao preenchimento de 67 vagas para o ano de 2013.


Os Cursos de Residência Multiprofissional e em Área da Saúde são regulamentados pela Lei nº 11.129, de 30 dejunho de 2005, pela Portaria interministerial nº 1.077/2009, pelas demais Resoluçõesemanadas pela Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde (CNRMS), sendo desenvolvidos em regime de dedicação exclusiva, com carga horáriade 60 horas semanais, duração mínima de 02 (dois) anos e totalizando 5.760 horas.

 

Oportunidades em Farmácia

São 20 vagas para Residência em Farmácia Hospitalar e 2 vagas para candidatos formados em farmácia Residência Multiprofissional na área de Atenção em Oncologia.

 

Inscrições

As inscrições estão abertas até as 12 horas do dia 5 de novembro.  Clique aqui para inscrever-se.

A GRU poderá ser paga até o final do expediente bancário do dia 05/11/2012 ou em correspondentes bancários, caixas eletrônicos ou via Internet Banking, de acordo com o horário da instituição escolhida.

 

Quadro de Vagas

 

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Número de vagas

ENFERMAGEM

FARMÁCIA

EDUCAÇÃO FÍSICA

NUTRIÇÃO

SERVIÇO SOCIAL

TOTAL

Atenção em Saúde da Mulher e da Criança e do Adolescente

2(1) - 1 - 2 5

Atenção em Oncologia

2 2 1 2 2(1) 9

Atenção em Terapia Intensiva

1 - 1 1 - 3

Saúde do Idoso

2 - 2 1 - 5

TOTAL

7 2 5 4 4 22

(1) Sendo 1 (uma) vaga reservada de acordo com o item 2 do Capítulo VI  do Edital

QUADRO DE VAGAS - Residências em Área de Saúde da UFF

Curso

Número de vagas

Residência em Farmácia Hospitalar

20 (2)

Residência em Medicina Veterinária

15 (2)

Residência em Enfermagem em Saúde Coletiva

10 (3)

TOTAL

45

(2) Sendo 2 (duas) vagas reservadas de acordo com o item 2 do Capítulo VI  do Edital (3) Sendo 1 (uma) vaga reservada de acordo com o item 2 do Capítulo VI  do Edital 

 

2.1.2 Área profissional de FARMÁCIA

PÚBLICO ALVO: Farmacêutico (graduados em Farmácia)

Assistência farmacêutica e organização do serviço de farmácia hospitalar: legislação
técnica e sanitária, gestão dos serviços, seleção de medicamentos, logística
hospitalar (programação, aquisição e armazenamento), distribuição e dispensação
de medicamentos, farmacoeconomia, serviço de informação de medicamentos,
comissões interdisciplinares (licitação, farmácia e terapêutica, infecção hospitalar,
terapia nutricional, terapia antineoplásica). Administração farmacêutica.
Farmacotécnica. Farmacocinética. Interação fármaco-receptor. Farmacologia do
Sistema Nervoso Autônomo. Farmacologia do Sistema Nervoso Central.
Analgésicos de ação central e periférica. Antiinflamatórios. Farmacologia
Cardiovascular e Renal. Farmacologia Endócrina. Fármacos Antimicrobianos.


Bibliografia indicada
Ansel, H.; Popovich, N.; Allen, L. Formas Farmacêuticas e Sistemas de Liberação
de Fármacos. 6 ed. Premier. São Paulo, 2000.
Aulton, M. Delineamento de Formas Farmacêuticas. Ed. ARTMED. Porto Alegre,
2005.
BARBIERI, JC; MACHLINE, C. Logística hospitalar: teoria e prática. 2 ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
BRASIL. Lei n.º 5.991, de 17 de dezembro de 1973.
BRASIL. Lei n.º 6.360, de 23 de setembro de 1976
BRASIL. Lei n.º 9.787, de 10 de fevereiro de 1999.
BRASIL. Lei n.º 3.820, de 11 de novembro de 1960.
BRASIL. Lei n.º 6.437, de 20 de agosto de 1977.
BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n.º 3.916/GM, de 30 de outubro de 1998;
Política Nacional de Medicamentos.
BRASIL. Ministério da Saúde. Portarian.º 344, de 12 de maio de 1998, suas
complementações e atualizações.

19
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 300/97, de 30 de janeiro de
1997.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 417, de 29 de setembro de
2004.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 418, de 29 de setembro de
2004.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 437, de 28 de julho de 2005.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia.Resolução n.º 449, de 24 de outubro de
2006.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 461, de 02 de maio de 2007.
BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n.º 338/2004.Política Nacional de
Assistência Farmacêutica.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução
RDC nº. 67, de 8 de outubro de 2007.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução
RDC nº. 87, de 21 de novembro de 2008.
BRASIL. Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar - Padrões Mínimos em Farm.
Hospitalar e Serviços de Saúde, 2007.
BRUTON, L.L.; LAZO, J.S.; PARKER, K.L. Goodman & Gilman. As Bases
Farmacológicas da Terapêutica. 11 ed. 2006.
Chiavenatto, I. Administração nos novos tempos. Editora Campus, Rio de Janeiro,
2004.
FERRACINI, F.T.; BORGES FILHO, W.M. Prática farmacêutica no ambiente
hospitalar: do planejamento à realização. 2 ed. – São Paulo : Editora Atheneu,
2010.
GOMES, M.J.V. de (org.) etal. Ciências farmacêuticas: uma abordagem em
farmácia hospitalar. 1 ed. – São Paulo : Editora Atheneu, 2000.
Katzung, B. Farmacologia. 10 ed. Guanabara Koogan, 2008.
Lachman, L. et al. Teoria e prática na indústria farmacêutica. 2 ed., 2 v. – Ed.
Calouste Gulbenkian, 2010.
MARIN, N. (org.) et al. Assistência farmacêutica para gerentes municipais. Rio de
Janeiro : OPAS/OMS, 2003.
SILVA, R. B. et al. Logística em organizações de saúde.  Rio de Janeiro : Ed. FGV,
2010.
Vecina Neto, G. e Reinhardt Filho W., Gestão de Recursos Materiais e
Medicamentos. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 1998.

 

2.4 Curso de Residência em Farmácia Hospitalar

Público alvo: Graduados em Farmácia


Conteúdo Programático:
Assistência farmacêutica e organização do serviço de farmácia hospitalar: legislação
técnica e sanitária, gestão dos serviços, seleção de medicamentos, logística
hospitalar (programação, aquisição e armazenamento), distribuição e dispensação
de medicamentos, farmacoeconomia, serviço de informação de medicamentos,
comissões interdisciplinares (licitação, farmácia e terapêutica, infecção hospitalar,
terapia nutricional, terapia antineoplásica). Administração farmacêutica.
Farmacotécnica. Farmacocinética. Interação fármaco-receptor. Farmacologia do
Sistema Nervoso Autônomo. Farmacologia do Sistema Nervoso Central.
Analgésicos de ação central e periférica. Antiinflamatórios. Farmacologia
Cardiovascular e Renal. Farmacologia Endócrina. Fármacos Antimicrobianos.


Bibliografia Indicada:
ANSEL, H.; POPOVICH, N.; ALLEN, L. Formas Farmacêuticas e Sistemas de
Liberação de Fármacos. 6 ed. Premier. São Paulo, 2000.

33
AULTON, M. Delineamento de Formas Farmacêuticas. Ed. ARTMED. Porto Alegre,
2005.
BARBIERI, JC; MACHLINE, C. Logística hospitalar: teoria e prática. 2 ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
BRASIL. Lei n.º 5.991, de 17 de dezembro de 1973.
BRASIL. Lei n.º 6.360, de 23 de setembro de 1976.
BRASIL. Lei n.º 9.787, de 10 de fevereiro de 1999.
BRASIL. Lei n.º 3.820, de 11 de novembro de 1960.
BRASIL. Lei n.º 6.437, de 20 de agosto de 1977.
BRASIL. Ministério da Saúde. Portarian.º 3.916/GM, de 30 de outubro de 1998;
Política Nacional de Medicamentos.
BRASIL. Ministério da Saúde. Portarian.º 344, de 12 de maio de 1998, suas
complementações e atualizações.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 300/97, de 30 de janeiro de
1997.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 417, de 29 de setembro de
2004.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 418, de 29 de setembro de
2004.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 437, de 28 de julho de 2005.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia.Resolução n.º 449, de 24 de outubro de
2006.
BRASIL. Conselho Federal de Farmácia. Resolução n.º 461, de 02 de maio de 2007.
BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n.º 338/2004.Política Nacional de
Assistência Farmacêutica.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução
RDC nº. 67, de 8 de outubro de 2007.
BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução
RDC nº. 87, de 21 de novembro de 2008.
BRASIL. Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar - Padrões Mínimos em Farm.
Hospitalar e Serviços de Saúde, 2007.
BRUTON, L.L.; LAZO, J.S.; PARKER, K.L. Goodman & Gilman. As Bases
Farmacológicas da Terapêutica. 11 ed. 2006.
CHIAVENATTO, I. Administração nos novos tempos. Editora Campus, Rio de
Janeiro, 2004.
FERRACINI, F.T.; BORGES FILHO, W.M.  Prática farmacêutica no ambiente
hospitalar: do planejamento à realização.2 ed. – São Paulo : Editora Atheneu,
2010.

34
GOMES, M.J.V. de (org.) et al.  Ciências farmacêuticas:uma abordagem em
farmácia hospitalar.1 ed. – São Paulo : Editora Atheneu, 2000.
KATZUNG, B. Farmacologia. 10 ed. Guanabara Koogan, 2008.
LACHMAN, L. et al. Teoria e prática na indústria farmacêutica. 2 ed., 2 v. – Ed.
Calouste Gulbenkian, 2010.
MARIN, N. (org.) et al. Assistência farmacêutica para gerentes municipais.Rio de
Janeiro : OPAS/OMS, 2003.
SILVA, R. B. et al. Logística em organizações de saúde. Rio de Janeiro : Ed. FGV,
2010.
VECINA NETO, G. e REINHARDT FILHO W., Gestão de Recursos Materiais e
Medicamentos. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 1998.