farmanguinhos producao medicamento

Nesta etapa serão avaliadas a eficácia e a segurança dos comprimidos em crianças de 3 meses a 6 anos de idade infectadas com esquistossomose

 

O Consórcio Praziquantel Pediátrico informou que deu início ao principal estudo (fase III) com os comprimidos dispersíveis orais pediátricos L-praziquantel (L-PZQ ODTs), logo após estabelecer a dose recomendada a partir dos resultados do estudo clínico de fase II, realizado na Costa do Marfim. Este foi desenvolvido para avaliar a eficácia e a segurança do L-PZQ ODTs em crianças de 3 meses a 6 anos de idade infectadas com esquistossomose. Esta é a última etapa do programa de desenvolvimento clínico que, em caso de resultado positivo, permitirá concluir o pacote de dados clínicos necessários para o registro do medicamento.

Em março, os parceiros do Consórcio tiveram a oportunidade de visitar um dos centros clínicos deste estudo em Homabay (Quênia) e se reunirem com as partes interessadas locais para compreender e evidenciar as condições e difuculdades para implementação do estudo. Eles também se encontraram no Instituto de Pesquisa Médica do Quênia (KEMRI), em Kisumu, para atualizar e discutir o futuro do projeto a fim de garantir o acesso à formulação pediátrica de praziquantel, além de reafirmarem o compromisso contínuo com o programa. Dentre os participantes, estavam os colaboradores Daniel Lacerda e Juliana Johansson, ambos do Departamento de Gestão de Desenvolvimento Tecnológico – DGDT, representando Farmanguinhos.

Na ocasião, o Fundo Global de Tecnologia Inovadora em Saúde (GHIT) anunciou que investirá outros US$ 4,1 milhões de dólares para apoiar o desenvolvimento, registro e acesso da nova formulação de ODT praziquantel, reiterando sua confiança no objetivo do Consórcio de reduzir a atual lacuna de tratamento para crianças em idade pré-escolar que sofrem de esquistossomose.

A equipe também continuou trabalhando para definir possíveis caminhos de acesso ao produto pediátrico, uma vez que ele seja registrado. Desde o início do Consórcio, em 2012, o grupo busca e recebe orientação continuamente do departamento de doenças tropicais negligenciadas (DTN) da Organização Mundial da Saúde (OMS-DTN). Em dezembro passado, a OMS-DTN realizou uma reunião das partes interessadas sobre o acesso ao praziquantel pediátrico para quimioterapia preventiva. A reunião permitiu compartilhar o status atual do projeto com possíveis financiadores e representantes de países endêmicos e discutir futuros mecanismos de compras.

 

 

Texto por Tatiane Sandes - Farmanguinhos/Fiocruz
Imagem: Banco de Fotos Fiocruz