drauzio varella

 Imagem: foto reprodução site oficial Drauzio Varella

 

Um áudio do Drauzio Varella no qual ele fala do papel do farmacêutico no combate a disseminação do coronavírus (COVID-19), na orientação aos pacientes e a importância do profissional no sistema de saúde brasileiro repercutiu nas redes sociais nos últimos dias.

Transcrevemos o áudio para torná-lo mais acessível. Leia a transcrição na íntegra e escute o áudio:

 

"Olá meus amigos, eu sou Drauzio Varella.

Há anos que eu defendo a importância dos farmacêuticos e dos funcionários das farmácias no sistema de saúde brasileiro.

Vocês estão aí na linha de frente em contato direto com as pessoas que vão comprar os medicamentos.

Neste momento, nós estamos vivendo uma epidemia de um vírus que se transmite com muita facilidade.

Tomem cuidado! Adotem todas as precauções que têm sido divulgadas nos meios de comunicação - lavar as mãos, guardar distância e etc.

Mas especialmente vocês têm a importância muito grande agora em informar as pessoas, em explicar para elas como é que elas devem se comportar para evitar infecção, e para aqueles que já foram infectados quais são os cuidados que eles devem ter para não transmitir e também os cuidados consigo mesmo. Qual é a hora de ir para os hospitais, qual é a hora que tem que procurar atendimento. Especialmente avisar que eles têm que prestar atenção quando sentirem falta de ar.

Vocês estão vendo agora essa corrida atrás da hidroxicloroquina. Não tem sentido uma coisa dessas, os estudos são muito preliminares, tomara que essa droga funcione, mas a gente ainda não sabe. Vocês têm que desestimular as pessoas que vão atrás dela como se fosse um tratamento milagroso.

Olha, eu acho que a profissão de vocês tem que ser melhor estruturada no Brasil, o sistema de saúde não pode prescindir da falta e de colaboração dos farmacêuticos.

Vocês são muito importantes especialmente, neste momento, mas não só nele eu acho que depois que epidemia passar vai haver um entendimento melhor de como os farmacêuticos têm que ser incorporados ao sistema de saúde brasileiro.

Eu tenho maior respeito pela profissão de vocês.

Boa sorte e tomem cuidado!"

 

 

Sobre Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico cancerologista formado pela USP. Nasceu em São Paulo, em 1943. Foi um dos fundadores do Curso Objetivo, onde lecionou química durante muitos anos.

No início dos anos 1970, trabalhou com o professor Vicente Amato Neto, na área de moléstias infecciosas do Hospital do Servidor Público de São Paulo. Durante 20 anos, dirigiu o serviço de Imunologia do Hospital do Câncer (SP) e, de 1990 a 1992, o serviço de Câncer no Hospital do Ipiranga, na época pertencente ao Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (INAMPS).

Foi um dos pioneiros no tratamento da aids, especialmente do sarcoma de Kaposi, no Brasil. Em 1986, sob a orientação do jornalista Fernando Vieira de Melo, iniciou campanhas que visavam ao esclarecimento da população sobre a prevenção à aids, primeiro pela rádio Jovem Pan AM e depois pela 89 FM de São Paulo.

Na Rede Globo, dr. Drauzio participou das séries sobre o corpo humano, primeiros socorros, gravidez, combate ao tabagismo, planejamento familiar, transplantes e diversas outras, exibidas no Fantástico.

Em 1989, iniciou um trabalho de pesquisa sobre a prevalência do vírus HIV na população carcerária da Casa de Detenção do Carandiru. Desse ano, até a desativação do presídio, em setembro de 2002, trabalhou como médico voluntário. Atualmente, faz o mesmo trabalho na Penitenciária Feminina de São Paulo.

Na Amazônia, região do baixo rio Negro, Drauzio Varella dirige um projeto de bioprospecção de plantas brasileiras com o intuito de obter extratos para testá-los experimentalmente em células tumorais malignas e bactérias resistentes aos antibióticos. Esse projeto, apoiado pela FAPESP, é realizado nos laboratórios da UNIP (Universidade Paulista) em colaboração com o Hospital Sírio-Libanês.