teste vacina coronavirus

- A Johnson & Johnson e a Barda comprometeram-se com mais de US$ 1 bilhão em pesquisa e desenvolvimento de vacina contra o coronavírus. A empresa espera começar os estudos clínicos da fase 1 com humanos da possível vacina até setembro de 2020
- Johnson & Johnson estabelecerá nova capacidade de fabricação de vacinas nos EUA e capacidade adicional fora dos EUA para iniciar a produção em risco e ajudar a garantir o fornecimento global de vacinas

 

A Johnson & Johnson anunciou hoje a seleção de uma possível principal vacina contra a COVID-19 a partir de construções nas quais vem trabalhando desde janeiro de 2020: a ampliação significativa da parceria existente entre as empresas farmacêuticas Janssen da Johnson & Johnson e a Autoridade Biomédica de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado (BARDA) e a rápida expansão da capacidade de fabricação da empresa, com o objetivo de fornecer suprimento global de mais de um bilhão de doses de vacina.

A empresa espera começar os estudos clínicos em humanos de sua principal possível vacina, o mais tardar em setembro de 2020, e prevê que os primeiros lotes da vacina contra o COVID-19 possam estar disponíveis para autorização de uso emergencial no início de 2021, um período significativamente acelerado em comparação com o típico processo de desenvolvimento de vacinas.

Por meio de uma nova parceria histórica, a BARDA, que faz parte do Gabinete do Secretário Assistente de Preparação e Resposta (ASPR) do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, e a Johnson & Johnson juntas se comprometeram com investimentos de mais de US$ 1 bilhão para financiarem a pesquisa da vacina, o desenvolvimento e os estudos clínicos. A Johnson & Johnson usará sua plataforma validada de vacinas e está alocando recursos globalmente, inclusive de pessoal e infraestrutura, conforme necessário, para se concentrar nesses esforços. Separadamente, a BARDA e a empresa disponibilizaram financiamento adicional que permitirá a expansão de seu trabalho em andamento para identificar possíveis tratamentos antivirais contra o novo coronavírus.

Como parte de seu compromisso, a Johnson & Johnson também está expandindo sua capacidade global de fabricação, inclusive por meio do estabelecimento de nova capacidade de fabricação de vacinas nos EUA e do aumento da capacidade em outros países. A capacidade adicional ajudará na produção rápida e permitirá o fornecimento de mais de um bilhão de doses de vacina segura e eficaz no mundo todo. A empresa planeja iniciar a produção em risco imediatamente e está comprometida em levar ao público uma vacina acessível, sem fins lucrativos, para uso emergencial decorrente da pandemia.

Alex Gorsky, presidente e diretor executivo da Johnson & Johnson, disse: "O mundo está enfrentando uma crise de saúde pública urgente, e estamos comprometidos em fazer a nossa parte para disponibilizar globalmente a vacina contra o vírus da COVID-19 de forma acessível o mais rápido possível. Por sermos a maior empresa de assistência médica do mundo, sentimos profunda responsabilidade de melhorar a saúde das pessoas no mundo todo diariamente. A Johnson & Johnson está bem posicionada por meio da nossa combinação de conhecimento científico, escala operacional e força financeira para unir nossos recursos em colaboração com outras pessoas para acelerar a luta contra essa pandemia".

O Dr. Paul Stoffels, vice-presidente do Comitê Executivo e diretor científico da Johnson & Johnson, disse: "Valorizamos muito a confiança e o apoio do governo dos EUA aos nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento. A equipe global de especialistas da Johnson & Johnson aumentou nossos processos de pesquisa e desenvolvimento para níveis sem precedentes, e as nossas equipes estão trabalhando incansavelmente com a BARDA, parceiros científicos e autoridades globais de saúde. Estamos muito satisfeitos por ter identificado uma possível vacina a partir das construções em que vimos trabalhamos desde janeiro. Estamos avançando em um cronograma acelerado para os estudos clínicos de fase 1 em humanos, o mais tardar em setembro de 2020 e, apoiados pela capacidade de produção global que estamos ampliando paralelamente a esses estudos, esperamos que a vacina esteja pronta para uso emergencial no início 2021".

 

Possível principal vacina contra o vírus da COVID-19 da Johnson & Johnson

A Johnson & Johnson começou seus esforços em janeiro de 2020 para pesquisar possíveis vacinas, assim que o novo sequenciamento do coronavírus (COVID-19) ficou disponível. As equipes de pesquisa da Janssen, em colaboração com o Beth Israel Deaconess Medical Center, que faz parte da Escola de Medicina da Harvard, criaram e testaram várias possíveis vacinas usando a tecnologia AdVac® da Janssen.

Por meio de colaborações com cientistas de várias instituições acadêmicas, as vacinas foram testadas para identificar aquelas mais promissoras na produção de resposta imune em estudos préclínicos.

Com base nesse trabalho, a Johnson & Johnson identificou uma possível principal vacina contra o vírus da COVID-19 (com dois backups), que seguirá para as primeiras etapas de fabricação. Com um cronograma acelerado, a empresa pretende iniciar um estudo clínico de fase 1, em setembro de 2020, com dados clínicos sobre segurança e eficácia que deverão estar disponíveis até o final do ano, o que poderá permitir a disponibilidade da vacina para uso emergencial no início de 2021. Em termos de comparação, o processo típico de desenvolvimento de vacinas envolve vários estágios de pesquisa, que variam de cinco a sete anos, antes mesmo de uma possível vacina ser considerada para aprovação.

Por mais de 20 anos, a Johnson & Johnson investiu bilhões de dólares em antivirais e recursos de vacinas. O programa de vacinas da COVID-19 está aproveitando as tecnologias AdVac® e PER.C6® comprovadas da Janssen, que oferecem a capacidade de desenvolver rapidamente novas possíveis vacinas e aumentar a produção da vacina ideal. Essa mesma tecnologia foi usada para desenvolver e fabricar a vacina da empresa contra o vírus ebola e criar nossas possíveis vacinas contra a zika, o VSR e o HIV, que estão nos estágios de desenvolvimento clínico da fase 2 ou 3.

 

Pesquisa antiviral ampliada

Além dos esforços de desenvolvimento de vacinas, a BARDA e a Johnson & Johnson também ampliaram sua parceria para acelerar o trabalho contínuo da Janssen na triagem de bibliotecas química, incluindo compostos químicos de outras empresas farmacêuticas. O objetivo da empresa é identificar possíveis tratamentos contra o novo coronavírus. A Johnson & Johnson e a BARDA estão fornecendo financiamento como parte dessa parceria. Esses esforços de triagem antiviral estão sendo realizados em parceria com o Instituto Rega de Pesquisa Médica (KU Leuven/Universidade de Leuven), na Bélgica.

Conforme anunciado em fevereiro de 2020, a empresa e a BARDA vêm trabalhando em estreita colaboração com parceiros globais para fazer a triagem da biblioteca de moléculas antivirais da Janssen para acelerar a descoberta de possíveis tratamentos para o COVID-19.

O COVID-19 pertence a um grupo de vírus chamado coronavírus, que ataca o sistema respiratório. Atualmente, não existe vacina, tratamento ou cura aprovados para o COVID-19.

  

Sobre teste de medicamentos experimentais para combater o coronavírus:

Hidroxicloroquina apresenta bons resultados contra o coronavírus

Terapia combinada de hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento do COVID-19

 - Sobre o uso do Ibuprofeno, Cortisona e Tiazolidinediona em infecções por Coronavírus

Takeda está desenvolvendo terapia derivada do plasma para o coronavírus

Favipiravir demonstra eficácia no tratamento do Coronavírus

Mefloquina é testada na Rússia no tratamento do COVID-19 

Medicamento Interferon alfa 2b é testado por Cuba e China contra o Coronavírus