japao varariante coronavirus

 

 

Variantes do coronavírus com a mutação L452R, detectadas primeiramente na Índia, estão se disseminando com rapidez em Tóquio.

Na quarta-feira, o governo metropolitano da capital japonesa confirmou 55 novos casos de variantes com a mutação. O número diário é o segundo maior para infecções com tais variantes, fazendo com que o total de casos em Tóquio chegasse a 349.

Variantes envolvendo a mutação foram registradas pela primeira vez em Tóquio no dia 20 de abril. O número de casos ultrapassou 300 em 72 dias.

Por outro lado, casos envolvendo variantes com a mutação N501Y, detectadas primeiramente no Reino Unido, atingiram a marca de 300 cerca de 80 dias após terem sido encontradas pela primeira vez na capital japonesa em janeiro. Casos de variantes que carregam a mutação superaram a casa de 1.000 nove dias depois de ultrapassarem 300.

Segundo especialistas do governo metropolitano, variantes com a mutação L452R seriam mais transmissíveis do que as do tipo N501Y. Eles acrescentam que, tendo em vista a situação no exterior, as variantes L452R podem substituir rapidamente as do N501Y.

Com o aumento dos casos envolvendo o L452R, o número total de infecções pelo coronavírus também tem subido em Tóquio. Na quarta-feira, o governo metropolitano confirmou 714 novos casos de coronavírus. Trata-se de uma alta de 95 em relação ao mesmo dia da semana anterior. Esta é a primeira vez desde 26 de maio que o total diário ultrapassa a marca de 700.

 

Especialistas alertam que infecções em Tóquio podem voltar a ultrapassar mil por dia

Em Tóquio, autoridades observam com preocupação a reincidência de mais casos de coronavírus. Especialistas alertam que, dentro de quatro semanas, o número diário pode chegar a mais de mil novas infecções.

Autoridades sanitárias da capital japonesa confirmaram 673 novos casos na quinta-feira. O total representa um aumento de 103 infecções em comparação com o mesmo dia da semana passada e marca um aumento pelo 12° dia consecutivo na contagem semana a semana.

O diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, Ohmagari Norio afirmou: “Considerando o aumento na circulação de pessoas e as variantes do vírus, é provável que os casos venham a aumentar ainda mais rápido do que o ocorrido durante a terceira onda no começo deste ano”.

A governadora de Tóquio, Koike Yuriko, participou de uma reunião remotamente, já que permanece em casa após ter recebido alta do hospital na quarta-feira, onde passou por tratamento contra fadiga extrema.

Koike afirmou: “Peço que a população coopere novamente com o governo de Tóquio e que evite circular à noite, siga de maneira rígida as medidas para conter riscos de infecção, bem como trabalhe remotamente tanto quanto possível”.

 

Tóquio registra 660 novos casos de coronavírus nesta sexta-feira

O governo metropolitano de Tóquio informa que na sexta-feira foram confirmados 660 novos casos de coronavírus na capital japonesa. O número é um aumento de 98 casos em relação ao total registrado na sexta-feira da semana passada, assinalando o décimo terceiro dia consecutivo de aumento de casos em relação à semana anterior.

Segundo as autoridades de Tóquio, na sexta-feira o número de pacientes em estado grave subiu para 54, três a mais do que o número registrado na quinta-feira e o segundo dia seguido com mais de 50 pacientes nesta situação.

Okinawa reporta 16 mortes causadas por foco de infecções de coronavírus

A província de Okinawa, localizada no extremo sul do Japão, diz que 16 pessoas morreram devido a um foco de infecções por coronavírus em um hospital público na cidade de Uruma.

A chefe do departamento de saúde pública e cuidados médicos do governo da província, Oshiro Reiko, relatou o número de mortes em uma sessão da assembleia provincial na quarta-feira.

Oshiro revelou que a instituição é o hospital público Okinawa Chubu, que tem aceito pacientes de coronavírus com sintomas de maior gravidade, que os outros hospitais não têm como tratar.

A chefe disse que o foco envolveu 50 pessoas, sendo elas 36 internados e 14 funcionários do hospital.

 

Com informações do Jornal NHK