japao especialista covid19

Chefe consultivo sobre COVID-19 adverte que sistema de saúde do Japão será ainda mais afetado

 

 

O líder do painel consultor do governo japonês sobre o coronavírus declarou que alertou o premiê Suga Yoshihide que o país está enfrentando a situação mais difícil desde o início da pandemia.

Omi Shigeru teceu este comentário para repórteres na sexta-feira, depois de se reunir com Suga para discutir medidas contra o vírus. Ele disse que informou Suga de que a implementação do programa de vacinação está ajudando a reduzir o número de pacientes idosos com sintomas graves. Contudo, Omi acrescentou que aumentou o número de pessoas necessitando de oxigênio em alta concentração ou esperando por hospitalização, principalmente na faixa etária de 40 e 50 anos.

Omi enfatizou que o sistema de saúde do país está sobrecarregado novamente, o que não é contemplado pelas medidas atuais.

O especialista também disse a Suga que o governo precisa observar as deficiências de sua resposta para o coronavírus e fortalecer as medidas contra o vírus, de modo a garantir a viabilidade destas ações para superar a crise.

Omi pediu o estabelecimento de um sistema para possibilitar maior facilidade na realização de testes para o vírus em pessoas que não estejam se sentindo bem. Ele também disse que deve ser viabilizada uma cooperação com várias organizações envolvidas em assistência médica para aumentar a capacidade hospitalar.

Omi afirmou ter pedido a Suga para conclamar governos locais e central para em conjunto emitir uma solicitação enérgica pela mudança de comportamento da população.

Na quinta-feira, Omi Shigeru falou em uma reunião de comitê da Câmara Alta que há diversos fatores que podem levar a um repique ainda maior de casos de coronavírus, ao passo que há apenas poucos capazes de conter a disseminação das infecções.

Omi afirmou que esses fatores incluem: mais pessoas se acostumando com o coronavírus; a disseminação da altamente contagiosa variante Delta – que foi detectada pela primeira vez na Índia; as férias de verão; e a Olimpíada de Tóquio. Ele disse que a maior de todas as crises é que o senso de urgência não é partilhado pela sociedade japonesa.

O especialista declarou que, caso a situação não mude, o vírus se alastrará ainda mais e o sistema de saúde ficará muito mais sobrecarregado.

Ele disse que esta é a situação mais dura dos últimos 18 meses, e exortou ao governo que transmita uma mensagem mais contundente à população, depois que o total diário de novas infecções em Tóquio ultrapassou a marca de três mil na quarta-feira.

 

Japão decide expandir estado de emergência

Na sexta-feira, o governo do Japão decidiu que vai expandir o atual estado de emergência por conta do coronavírus a três províncias vizinhas de Tóquio, a saber, Saitama, Chiba e Kanagawa, e também à província de Osaka.

Atualmente a declaração de emergência está em vigor em Tóquio e em Okinawa.

O governo decidiu também implementar restrições rigorosas nas províncias de Hokkaido, Ishikawa, Hyogo, Kyoto e Fukuoka.

Ambas as medidas serão implementadas entre os dias 2 e 31 de agosto. As declarações de emergência em Tóquio e Okinawa serão estendidas até o final de agosto.

Olímpiadas: Tóquio registra mais de 3 mil casos de covid-19 pelo 5º dia

 

Seis perdem credencial por desrespeitar regras antivírus da Olimpíada

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio afirmaram no domingo ter descredenciado seis pessoas envolvidas nos jogos por terem violado regras para a prevenção do coronavírus, entre outros problemas.

Segundo representantes do comitê organizador, dois judocas da Geórgia, vencedores de medalhas de prata na categoria masculina dessa edição dos jogos, estão entre os seis. Eles teriam deixado a vila olímpica sem permissão.

Os outros quatro eram contratados dos jogos vindos dos Estados Unidos e do Reino Unido e que foram presos e indiciados sob suspeita de uso de cocaína.

Ainda segundo o comitê, oito pessoas tiveram a credencial retirada temporariamente, dez foram repreendidos e quatro têm de submeter promessas escritas de respeitar as regras após já terem sido repreendidos verbalmente.

Manuais da Olimpíada de Tóquio 2020 contêm diretrizes para a prevenção de infecções para todos os envolvidos nos jogos. Eles estabelecem que os visitantes podem deixar suas acomodações somente para ir aos locais das disputas e outras áreas limitadas.

Também inclui um pedido para não comer em grupos na medida do possível e evitar contato próximo com outras pessoas durante refeições.

 

Com informações do NHK