omicron variante coronavirus

A nova variante omicron do SARS-CoV-2 (B.1.1.529.) possui 50 mutações, algo que ainda não tinha sido visto. A descoberta da variante gerou novas restrições a viagens de vários países (imagem: alive)

 

Autoridades sanitárias da África do Sul informam na quinta-feira que a uma nova variante B.1.1.529 do coronavírus havia sido descoberta na província de Gauteng, onde estão situadas a capital, Pretória, e Joanesburgo, a maior cidade do país.

A OMS nomeu a nova variante de Omicron (ou Ómicron ou Ômicron, do grego: όμικρον, transl.: ómikron) do coronavírus SARS-CoV-2, B.1.1.529. Segundo especialistas ela possui mais de 50 mutações, sendo 32 mutações na proteína spike, a parte do vírus que a maioria das vacinas usa para preparar o sistema imunológico contra a covid-19.

Para os cientistas a variante Omicron é considerada a que tem o maior número de mutações, e foi classificada como "de preocupação" pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a organização as evidências preliminares sugerem que o Omicron também apresenta um risco maior de reinfecção, em comparação com outras variantes preocupantes.

Em publicação o cientista brasileiro Tulio de Oliveira, Diretor do Ceri, que participou da identificação da nova variante disse "Dia agitado por causa da B.1.1.529 - uma variante de grande preocupação - O mundo deve fornecer apoio à África do Sul e à África e não discriminá-la ou isolá-la! Ao protegê-lo e apoiá-lo, protegeremos o mundo! Um apelo para bilionários e instituições financeiras.

Segundo o virologista do Imperial College London Tom Peacoca a quantidade incrivelmente alta de mutações no spike sugere que isso pode ser uma preocupação real.

Pesquisadores e fabricantes da vacina como Pfizer/BioNTech, Janssen, AstraZeneca e Moderna comunicaram recentemente a imprensa que já estão trabalhando para testar a eficácia de suas vacinas contra a Omicron.

 

Preocupação causada pela Omicron leva a retrição de viagens

Os países da União Europeia concordaram em introduzir restrições temporárias a todas as viagens da África do Sul, Botswana, Eswatini, Lesoto, Moçambique, Namíbia, África do Sul, Zimbabué.

Os EUA também vai restringir viagens da África do Sul e de outras sete nações a partir de segunda-feira como medida de precaução. Já o Canadá vai proibir a entrada de estrangeiros que viajaram pelo sul da África nos últimos 14 dias.

Na parte da tarde da sexta-feira a Anvisa recomendou medidas de restrição para voos e viajantes procedentes da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. Logo depois na parte da noite, o Ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, anunciou em sua conta no twitter "vamos fechar as fronteiras aéreas para 6 países da África: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. A medida foi necessária para que a nova variante do coronavírus não cause grave impacto no Brasil.

 

Especialista brasilero pede esforços para conter a nova variante Õmicron

O cientista Tulio de Oliveira fez diversas considerações em suas publicações no Twitter, em uma delas ele ressaltou a transparência na divulgação das informações "temos sido muito transparentes com as informações científicas. Identificamos, tornamos os dados públicos e alertamos, pois as infecções estão aumentando. Fizemos isso para proteger nosso país e o mundo, apesar de sofrermos potencialmente uma discriminação massiva".

Destacou também a grande quantidade de mutação "Esta nova variante é realmente preocupante no nível mutacional. A África do Sul e a África precisarão de apoio (financeiro, de saúde pública, científico) para controlá-la para que não se espalhe pelo mundo. Nossa população pobre e carente não pode ficar presa sem apoio financeiro".

Sobre a capacidade de transmissão disse "Esta nova variante, B.1.1.529, parece se espalhar muito rápido! Em menos de 2 semanas agora domina todas as infecções após uma onda Delta devastadora na África do Sul (nova variante azul, agora em 75% dos últimos genomas e em breve atingirá 100 %)"

Em relação a detecção de pessoas contamidas com a nova variante Nu "Como essa variante (B.1.1.529) pode ser detectada por um qPCR normal devido à exclusão na posição de pico 69-70 (como Alpha), será mais fácil para o mundo rastreá-la. Estimamos que 90% dos casos em Gauteng (pelo menos 1000 por dia são esta variante, devido ao teste de proxy qPCR)"

Em relação ao trabalho para conter a nova variante detalhou "Estamos trabalhando sem parar para entender os efeitos em 1) Transmissibilidade, 2) vacinas, 3) Reinfecção, gravidade da doença e diagnósticos. Temos financiamento para ciência, mas a África do Sul e a África precisam de ajuda financeira para sustentar sua população carente e seu sistema de saúde."

Doutor Tulio de Oliveira finalizou sua publicação marcando os bilionários Elon Musk, Bill Gates, Jeff Bezos, Pat Soon-Shiong, Pat Soon Shiong e Warren Buffett e pediu para eles apoiarem a África e a África do Sul financeiramente para controlar e extinguir as variantes do coronavírus, ao proteger sua população pobre e oprimida, protegeremos o mundo.

 

ERRATA: anteriormente atribuímos de forma errada o nome Nu para a nova variante.

 (imagem: reprodução de reportagem em vídeo do alive)