anvisa

Segundo a Anvisa, não há nenhum produto químico da empresa investigada pela Polícia Civil do Paraná que tenha sido utilizado como insumo ou matéria-prima para a fabricação de vacinas.

 

 

A Anvisa foi comunicada pelo Poder Judiciário do Paraná a respeito de irregularidade em uma empresa que realizou o fornecimento de produtos químicos supostamente utilizados para a produção de vacinas. A Polícia Civil do Paraná (PC/PR) suspeita que tenha havido troca intencional de produtos químicos, após investigação realizada nas dependências da empresa.

Tão logo foi informada do caso, a Agência notificou a indústria que teria recebido produtos químicos fraudados para fabricação de vacinas. A indústria considerou que nenhum dos produtos químicos apresenta risco para a qualidade das vacinas, uma vez que a maioria dos produtos é utilizada com finalidade de pesquisa ou como reagentes no preparo de soluções. Não há nenhum produto químico da empresa investigada pela PC/PR que tenha sido utilizado como insumo ou matéria-prima para a fabricação de vacinas.

Pelo fato de o caso ainda estar em investigação criminal e sanitária, as empresas e os produtos envolvidos não podem ser divulgados.

A Anvisa mantém o compromisso de monitorar possíveis riscos relacionados a vacinas e tem atuado em estreita cooperação com as autoridades policiais.