Parceria entre Lassbio e Eurofarma visa promover intercâmbio científico e tecnológico

 

O Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (Lassbio) firmou, em 22/5, contrato com a Eurofarma para estabelecer parceria técnico-científica visando à pesquisa e ao desenvolvimento de medicamentos inovadores, além do intercâmbio do conhecimento.

Durante a cerimônia de assinatura do acordo, estiveram presentes Eliezer Barreiro, coordenador científico do Lassbio e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos e Medicamentos (INCT); José Abreu, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB); Luiz Eurico Nasciutti, decano do Centro de Ciências da Saúde (CCS); Eliete Bouskela, diretora científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e Martha Penna, vice-presidente de inovação da Eurofarma.

Barreiro celebrou a construção da parceria entre academia e indústria e enfatizou que os dois setores estão buscando os mesmos resultados: o bem-estar da população por meio da criação de novos fármacos, promovendo a inovação no setor. “Os grandes exemplos de inovação brasileira têm um pé fortíssimo na academia”, disse. O coordenador do Lassbio destacou que a universidade produz conhecimento, mas nem sempre as pesquisas geram produtos que chegam às prateleiras, culminando apenas em publicações científicas. Segundo ele, as parcerias podem ajudar nessa materialização.

Penna completou a fala do diretor do Lassbio, ressaltando que a academia no Brasil é muito forte e precisa ser valorizada. “Essa é a riqueza que enxergamos pela frente. Precisamos deixar de ser uma indústria de cópias e nos tornarmos uma de inovação. Esse caminho passa pela universidade”, afirmou.

 

A parceria no dia a dia

O contrato firmado busca aproximar o setor de inovação com o produtivo, se concentrando em fármacos que mantenham relação entre o portfólio desenvolvido pelo Lassbio e a Eurofarma. Segundo Barreiro, o foco inicial está em quimioterápicos, antibacterianos e substâncias contra dor neuropática, depressão e doenças negligenciadas, como a leishmaniose.

Em seus 25 anos, o Lassbio construiu uma “quimioteca” com mais de 2 mil compostos com propriedades bioativas confirmadas, que agora poderão ser pesquisadas mais a fundo. A parceria garante bolsas de pós-doutorado para pesquisadores da UFRJ, com seguro de saúde oferecido pela empresa, e apoio ao laboratório para permitir os estudos clínicos necessários ao avanço das pesquisas. Além disso, o contrato pode render para universidade, futuramente, royalties advindos dos medicamentos produzidos.

 

Fonte: 

Fábio Reis
Author: Fábio ReisWebsite: https://linkedin.com/in/fabiolreis
Fundador do Pfarma. Possui registro como Jornalista MTB 39014/RJ e Farmacêutico CRF-RJ 14376.