venclextat venetoclax

- Os dados de estudo fase 3 VIALE-A demonstram que venetoclax mais azacitidina reduziu o risco de morte em 34% em comparação com azacitidina mais placebo em pacientes recém-diagnosticados com LMA inelegíveis para o tratamento com quimioterapia.
- LMA é um dos cânceres no sangue mais agressivos, com uma taxa de sobrevida muito baixa e poucas opções para pacientes que não podem se submeter à quimioterapia intensiva, o padrão de tratamento atual (1,2)
- No Brasil, venetoclax (em combinação com agente hipometilante, como a azacitidina, ou citarabina em baixa dose) foi aprovado pela Anvisa em janeiro de 2019 para o tratamento de pacientes recém diagnosticados com LMA e inelegíveis para quimioterapia intensiva, a critério do médico. Venetoclax também está aprovado no Brasil para Leucemia Linfocítica (ou Linfoide) Crônica (LLC)(11).

 

 

A AbbVie anunciou a publicação dos resultados do estudo clínico de Fase 3 VIALE-A em pacientes com LMA no New England Journal of Medicine (NEJM). O estudo, que avaliou pacientes recém-diagnosticados com LMA que ainda não haviam sido tratados e intolerantes a quimioterapia intensiva tradicional, indicou que venetoclax em combinação com a azacitidina estendeu a sobrevida global (OS) em comparação com a azacitidina mais placebo. O artigo, intitulado "Azacitidine and Venetoclax in Previously Untreated Acute Myeloid Leukemia," foi publicado na edição de 13 de Agosto de 2020 do NEJM.3

"A capacidade de venetoclax mais azacitidina em melhorar os índices de pacientes recém-diagnosticados com LMA, incapazes de tolerar a quimioterapia intensiva, representa um avanço que pode alterar a prática clínica no tratamento de LMA", disse a médica Courtney D. DiNardo, do Departamento de Leucemia, Divisão de Medicina do Câncer do MD Anderson Cancer Center, da Universidade do Texas, e investigador principal do estudo.

O estudo de Fase 3 VIALE-A (randomizado, duplo-cego e placebo controlado) avaliou eficácia e segurança de venetoclax em combinação com azacitina em pacientes com LMA não elegíveis para a terapia de indução padrão. O estudo alcançou todos os desfechos primários de melhora dos índices de sobrevida global (SG) e remissão completa composta (RC + RCi), com significância estatística. O tratamento com venetoclax mais azacitidina reduziu o risco de morte em 34% em comparação com a azacitidina em combinação com placebo (Hazard Ratio [HR] = 0,66 [IC 95%: 0,52-0,85], p <0,001)3.

Os pacientes no braço do estudo que receberam a combinação de venetoclax apresentaram uma SG média de 14,7 meses (IC 95%: 11,9-18,7) versus 9,6 meses para os pacientes no braço que receberam a combinação de azacitidina com placebo (IC 95%: 7,4-12,7). Além disso, 66,4% (IC 95%: 60,6-71,9) dos pacientes tratados com venetoclax mais azacitidina alcançaram RC + RCi versus 28,3% (IC 95%: 21,1-36,3) dos pacientes tratados com azacitidina mais placebo (p <0,001). Outros desfechos secundários que foram mencionados no artigo do NEJM incluem RC e RCi com recuperação hematológica parcial (RC + RPh)3.

O perfil de segurança observado é consistente com os perfis de segurança conhecidos de venetoclax combinados com azacitidina e com os perfis de segurança conhecidos dos dois medicamentos isoladamente. Os eventos adversos mais comuns (ocorrendo em > 10% dos pacientes) grau 3/4 nos pacientes que receberam venetoclax mais azacitidina foram trombocitopenia (45%), neutropenia (42%), neutropenia febril (42%), anemia (26%), leucopenia (21%), pneumonia (20%) e hipocalemia (11%)3.

Os resultados de VIALE-A foram apresentados durante o 25th European Hematology Association (EHA) Annual Congress, que este ano aconteceu virtualmente, em Junho de 2020 (abstract #LB2601)6.

A LMA é a leucemia aguda mais comum no mundo.7 Nem todos os pacientes são elegíveis para quimioterapia intensiva padrão8, tornando-se um dos cânceres no sangue mais difíceis de tratar9. Apesar dos avanços nas terapias e cuidados disponíveis, a taxa de sobrevida de cinco anos para pacientes diagnosticados com LMA permanece aproximadamente 28%10.

VENCLEXTA® (venetoclax) está sendo desenvolvido pela AbbVie e Roche. É comercializado em conjunto pela AbbVie e Genentech, companhia do Grupo Roche, nos EUA e pela AbbVie fora dos EUA, incluindo Brasil. Juntas, as companhias estão comprometidas com a pesquisa do BCL-2 e com venetoclax em estudos clínicos para vários tipos de câncer.

 

Sobre o estudo de fase 3 VIALE-A

Um total de 433 pacientes com LMA inelegíveis para quimioterapia intensiva, sem tratamento anterior, foram randomizados (2:1) para o estudo VIALE-A de fase 3, duplo-cego e controlado por placebo. O estudo foi desenvolvido para avaliar a eficácia e segurança do venetoclax em combinação com azacitidina (n = 286) em comparação com placebo em combinação com azacitidina (n = 145)3.

 

Sobre VENCLEXTA® (venetoclax)

VENCLEXTA® (venetoclax) primeiro de uma nova classe de medicamentos que seletivamente inibe a proteína BCL-2. Em alguns tipos de câncer do sangue e outros tumores, a BCL-2 impede o processo natural de morte das células do câncer, ou processo de autodestruição chamado de apoptose. VENCLEXTA®(venetoclax) tem como alvo esta proteína, BCL-2, e atua para restaurar o processo de apoptose. Venetoclax vem sendo desenvolvido pela AbbVie e Roche. É comercializado em conjunto pela AbbVie e Genentech, membro do Grupo Roche, nos EUA; e pela AbbVie fora dos EUA.

 

 

Sobre AbbVie Oncologia

Na AbbVie, nos empenhamos para descobrir e desenvolver medicamentos que proporcionem melhoria transformadora no tratamento do câncer, combinando de forma única nosso profundo conhecimento em áreas fundamentais da biologia com tecnologias avançadas, e pelo trabalho conjunto com nossos parceiros – cientistas, especialistas clínicos, pares da indústria, grupos de apoio a pacientes e pacientes. Nós continuamos focados em gerar estes avanços transformadores no tratamento de alguns dos tipos mais complexos e agressivos de câncer. O portfólio de Oncologia na AbbVie consiste em medicamentos já em uso e novas moléculas em avaliação em todo o mundo, por meio de mais de 300 estudos clínicos e mais de 20 diferentes tipos de tumores. Para mais informações, acesse www.abbvie.com/oncology

 

Referências

1 Döhner H, et al. Acute myeloid leukemia. N Engl J Med. 2015;373(12):1136-1152.

2 National Cancer Institute (2018). Adult Acute Myeloid Leukemia Treatment (PDQ®)–Patient Version. https://www.cancer.gov/types/leukemia/patient/adult-aml-treatment-pdq. Acessado em novembro de 2018

3 DiNardo CD, et al. Azacitidine and Venetoclax in Previously Untreated Acute Myeloid. N Engl J Med. 2020;383(7):617-629.

4 Medeiros B (2018). Interpretation of clinical endpoints in trials of acute myeloid leukemia https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0145212618300304. Acessado em Junho de 2020

5 TechOverflow. What is Composite Complete Remission (CRc) in cancer research? https://techoverflow.net/2019/11/22/what-is-composite-complete-remission-crc-in-cancer-research/. Acessado em Junho de 2020

6 DiNardo CD, et al. A randomized, double-blind, placebo-controlled study of venetoclax with azacitidine vs. azacitidine in treatment-naïve patients with acute myeloid leukemia ineligible for intensive therapy: VIALE-A. Oral LB2601. 25th EHA Congress. Junho 11-21, 2020. https://library.ehaweb.org/eha/2020/eha25th/303390/courtney.dinardo.a.randomized.double-blind.placebo-controlled.study.of.html?

7 National Cancer Institute. Adult Acute Myeloid Leukemia Treatment (PDQ)-Patient Version. https://www.cancer.gov/types/leukemia/patient/adult-aml-treatment-pdq.

8 American Cancer Society (2020). Treatment Response Rates for Acute Myeloid Leukemia (AML). https://www.cancer.org/cancer/acute-myeloid-leukemia/treating/response-rates.html.

9 American Cancer Society (2018). Typical Treatment of Most Types of Acute Myeloid Leukemia (Except Acute Promyelocytic M3). https://www.cancer.org/cancer/acute-myeloid-leukemia/treating/typical-treatment-of-aml.html.

10 National Cancer Institute (2018). Acute Myeloid Leukemia - SEER Stat Fact Sheets. https://seer.cancer.gov/statfacts/html/amyl.html.

11 Bula disponível em: https://www.abbvie.com.br/content/dam/abbvie-dotcom/br/documents/VENCLEXTA-VP.pdf