fiocruz

Parceria entre o IOC/Fiocruz, a UFF e a Prefeitura Municipal de Niterói possibilita uso de metodologia adotada no Hospital Universitário Antônio Pedro, que contribui para a vigilância e o controle de doenças, como a Covid-19

 

 

Uma parceria entre o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Prefeitura Municipal de Niterói tem possibilitado a realização de sequenciamentos genômicos no Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP/UFF). A técnica permite uma análise mais detalhada de informações genéticas contidas em moléculas de DNA ou RNA de microrganismos, como vírus e bactérias.

Colaborador da iniciativa e chefe do Laboratório de Biologia Computacional e Sistemas do IOC/Fiocruz, Alberto Dávila destaca que a contribuição do Instituto nesta parceria, além de trazer diagnósticos mais específicos para o Hospital, possibilita a apresentação de técnicas de alta complexidade para jovens estudantes de diferentes áreas da saúde.

“Não é apenas uma transferência de tecnologia e experiência de sequenciamento genômico [de uma instituição para outra], mas também a formação de massa crítica, especialmente num hospital público com a dinâmica e infraestrutura do HUAP, onde tem um fluxo grande de estudantes”, afirmou Alberto.

A tecnologia usada para sequenciar genomas é o aparelho portátil MinION. “A vantagem dessa tecnologia é a portabilidade. Além de ser pequeno, é um sequenciador relativamente barato. Ele cabe em qualquer laboratório, precisando apenas dele e de um computador que receba os dados sequenciados”, explicou o chefe do Laboratório do IOC.

Em um período em que o sequenciamento genômico tem sido um método bastante utilizado devido a pandemia provocada pelo Sars-CoV-2, a nova parceria possibilita também a atuação do HUAP na identificação e monitoramento de variantes do novo coronavírus.

“Neste momento da pandemia, o que nos deixa muito animados é saber que nós temos agora ferramentas que nos permitem ajudar a traçar inicialmente um mapa no Hospital, em Niterói, e contribuir para ação nacional. A identificação de variantes do novo coronavírus pode nos ajudar a traçar estratégias de saúde pública”, destacou o coordenador da Unidade de Pesquisa Clínica do HUAP, Gutemberg Alves.

Para Fábio Aguiar, coordenador do Grupo de Trabalho BIOSAÚDE da UFF, a parceria traz um formato ágil na vigilância de doenças. “A montagem do centro de genômica aqui na Unidade de Pesquisa Clínica do Hospital Universitário Antônio Pedro tem o objetivo de ter um setor de diagnóstico genômico inserido na beira do leito, dentro do ambiente hospitalar, para que façamos o acompanhamento das diferentes infecções, sejam elas causadas por vírus ou bactérias”, pontuou.

 

Max Gomes (IOC/Fiocruz), com informações da Unitevê (TV Universitária da UFF)