farmacia manipulacao

O setor de farmácias de manipulação no Brasil se desenvolve impulsionado por pequenas e médias empresas onde 96,6% faturam menos de R$ 3,6 milhões ao ano – dado que confirma a predominância de empresas de pequeno porte e continua em crescente desenvolvimento.

 

 

Tais índices são comprovados pelo Panorama Setorial 2020, desenvolvido pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), entidade que representa institucionalmente o segmento e trabalha pelo desenvolvimento de toda a cadeia envolvida na promoção da terapia de saúde individualizada.

O levantamento reafirma a tendência apresentada no último panorama setorial em 2018. E é possível que continuem assim neste ano, mesmo com a retração em boa parte da economia nacional, ocasionada principalmente pela pandemia de Covid-19. Segundo o Panorama Setorial Anfarmag 2020, o setor de farmácias de manipulação somou R$ 6,96 bilhões de faturamento, com margem de crescimento relativo acima da inflação do país, de 2017 para 2019, de 5,8%, enquanto a evolução do PIB do Brasil foi de apenas 2,2% no mesmo período, segundo dados do IBGE, na comparação com a série histórica, enquanto o PIB do país caiu 4,2% de 2014 a 2019 em valores corrigidos pela inflação, o faturamento das farmácias de manipulação cresceu 10,8%.

 

NÚMERO DE FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO NO PAÍS

O segmento manteve a constância de aumento no número de abertura de CNPJ – o que representa novas empresas ou filiais – e de geração de empregos. Os dados permitem apontar que, com ou sem crise econômica, o setor segue sólido, destacando-se no cenário econômico como um importante empregador. O número de estabelecimentos presentes no segmento, isso é, o comércio varejista de produtos farmacêuticos com manipulação de fórmulas, totalizou 7.939 pontos de venda em 31 de dezembro de 2019, o que representa um crescimento de 6% em dois anos, já descontados os estabelecimentos baixados ou inativados no mesmo período, ou de 14,5% desde 31 de dezembro de 2014, quando foram registrados 6.936 CNPJ.

 

CRESCIMENTO REGIONAL

Os números indicam também expansão para regiões do país com percentual de representatividade menor, o que significa a consolidação de um modelo de serviço que se prova, cada vez mais, pertinente para a saúde e o bem-estar dos consumidores. Do total de empresas registradas com CNAE principal para a atividade de manipulação de fórmulas, 33% estão localizadas apenas no estado de São Paulo. As regiões que apresentaram as maiores variações positivas nos últimos dois anos em relação a novos empreendimentos foram o Nordeste, com taxa de 20,7%, e o Norte, que registrou crescimento de 17,9%. O saldo corresponde às empresas abertas até 31 de dezembro de 2019 e que permaneceram ativas no primeiro semestre de 2020.

Do total de unidades de farmácias de manipulação apontadas pelo IBPT, 79,7% são de estabelecimentos “matriz” e, 20,3% de filiais. Nesse cenário, a região Sudeste responde por 56,1% de todas as empresas do setor no Brasil. A participação sobe para 58%, quando verificadas apenas as do tipo “matriz”.

A situação positiva do setor vai na contramão do momento de recessão pelo qual o país vem passando, com taxa de desemprego de 11,9% em 2019, segundo o IBGE. Dados do Ministério do Trabalho e Emprego mostram que, de 2017 para 2019, o número de empregados celetistas das farmácias de manipulação teve maior crescimento relativo na região Norte, com aumento de 11%, seguido pelo crescimento das regiões Centro-oeste (10,4%) e Nordeste (8,4%). A empregabilidade do segmento na região Sul apresentou a menor variação, com a criação de 3,1% postos de trabalho. O Sudeste foi a região de maior participação no aumento de empregos do setor, com mais de 2.000 vagas criadas e representatividade de 59,5% sobre o volume total (3.431) de novos postos de trabalho formal no setor.

 

INDIVIDUALIZAÇÃO

O farmacêutico e diretor executivo da Anfarmag, Marco Fiaschetti, destaca que as farmácias de manipulação têm características específicas que ajudam a explicar o crescimento em número de estabelecimentos e em faturamento. “Nossos associados trabalham com produtos individualizados, feito especificamente para a as necessidades daquele cliente, além de serem de baixa elasticidade, ou seja, na maioria dos casos, a aquisição do produto se faz pela preocupação com a saúde, o que torna essa atividade menos suscetível à paralisação do consumo ou à substituição. Além disso, o público consumidor é formado por faixas com melhor poder aquisitivo”, diz.

Isso ajuda a entender o porquê, mesmo em um período de elevação do desemprego e queda na massa de renda circulante na economia, do segmento ter se mantido em expansão. O profissional complementa dizendo que o produto manipulado é muito consumido pelas classes A e B, mas que a tendência é que a terapia individualizada se torne cada vez mais acessível. “A capilaridade das farmácias de manipulação permite que o sistema público de saúde conte com profissionais especializados em todo o país, que podem suprir demandas de pacientes internados e de pacientes que precisam de cuidados em casa”, explica.

O acesso a este tipo de medicamento deve aumentar no decorrer dos anos devido a busca por tratamentos personalizados, que incluem medicamentos e produtos manipulados desenvolvidos especificamente para cada paciente, considerando as suas necessidades individuais. “Com a pandemia, famílias estão descobrindo que muitos medicamentos podem ser manipulados de acordo com suas necessidades ”, finaliza Fiaschetti.

 

Sobre a Anfarmag

A Associação Nacional dos Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag) é a entidade que representa institucionalmente o segmento de farmácias de manipulação e trabalha pelo desenvolvimento de toda a cadeia envolvida na promoção da terapia de saúde individualizada. Sem fins lucrativos, a Anfarmag possui regionais distribuídas em todo o território nacional e conta com cerca de 7.000 associados por ser um parceiro essencial no dia a dia dos profissionais e das empresas que atuam no setor. Entre suas atribuições está a criação de facilidades e benefícios exclusivos para os associados, além de instrumentalizar a realização de negócios. A Anfarmag também se tornou referência para os associados como orientadora no cumprimento de demandas técnicas e legais na condução de seus negócios, primando pela sustentabilidade técnica, econômica, política e social do setor. Entre suas diversas atribuições, a entidade, produz bianualmente o Panorama Setorial Anfarmag – publicação que norteia e atualiza todos aqueles que atuam no segmento de farmácias de manipulação ou se conectam com ele, além de servir como fonte de informações básicas para a estruturação de políticas e projetos em prol do desenvolvimento setorial.