probioticos

A relação entre o consumo de probióticos e a saúde do intestino tem sido cada vez mais estudada por cientistas e médicos

 

Os probióticos são microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, proporcionam benefícios à saúde das pessoas, com a melhora do equilíbrio intestinal e a proliferação de bactérias boas no intestino. Os probióticos podem ser encontrados em alimentos industrializados, como leites fermentados, ou suplementos alimentares.

Estudos sugerem que há mais de 100 trilhões² de bactérias presentes no intestino de um ser humano adulto. O médico Abrão Abuhab, Doutor pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e Gerente Médico da Unidade de Consumer Health da Hypera Pharma, explica que a microbiota, também conhecida como flora intestinal, começa a se formar logo após o parto. “No primeiro momento, depende de fatores como tipo de parto, aleitamento materno, e interação com o novo mundo fora da barriga da mãe. Mas, posteriormente, será influenciada também pelos hábitos alimentares, atividade física, uso medicações ao longo da vida, entre outras variantes”, acrescenta.3,4,5

O interesse da população na manutenção da saúde e cuidados pessoais tornou o assunto mais relevante nos últimos anos. Uma busca por ensaios clínicos em humanos no PubMed mostra que foram publicados mais de 1500 ensaios sobre probióticos. A partir dos estudos, inúmeras bactérias, de cepas distintas, com propriedades diferentes foram identificadas.3,4,5

“Algumas bactérias têm propriedades singulares que podem explicar sua influência em atividades neurológicas, imunológicas e antimicrobianas, mas estas também podem ser comuns a famílias de bactérias (de diferentes CEPAS). Como, por exemplo, a capacidade de colonizar e equilibrar a flora do intestino, melhorando a saúde do aparelho digestivo”, exemplifica Abrão. Acredita-se que uma maior proporção de bifidobactérias e lactobacilos indica uma composição microbiana mais “saudável”.4,5,6 Uma vez ingeridos, os probióticos podem ajudar no metabolismo de nutrientes e auxiliar na proteção do intestino contra as bactérias ditas “ruins” devido sua patogenicidade e produção de toxinas1,6. Por serem microorganismos vivos, os probióticos precisam ter condições de armazenamento adequadas e devem ter fórmulas testadas e comprovadas.

Uma boa opção, levando em conta o estilo de vida de cada pessoa, é a suplementação de probióticos em cápsulas. Tamarine Probium possui 2 bilhões de probióticos estudados para auxiliar no equilíbrio da flora intestinal*, que quando equilibrada auxilia nas descompensações causadas pela diarreia, distúrbios gastrointestinais como flatulência e dores abdominais, entre outros problemas no sistema gastro intestinal7. Também é fundamental que a ingestão de probióticos esteja em harmonia com uma alimentação saudável e rica em fibras, que são as principais fontes de alimentos para os probióticos, possibilitando sua sobrevivência no intestino por mais tempo8.

*os probióticos Lactobacillus acidophilus NCFM e Bifidobacterium lactis HN019 contribuem para o equilíbrio da flora intestinal. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

 

O produto pode ser encontrado nas principais farmácias e drogarias do país. Para conhecer mais sobre Tamarine Probium, acesse: https://tamarineprobium.com.br/.

Referências bibliográficas:

  1. Probiotics and prebiotics.World Gastroenterology Organisation Global Guidelines.WGO, 2017. Disponível em:<http://www.worldgastroenterology.org/UserFiles/file/guidelines/probiotics-and-prebiotics-english-2017.pdf>. Acesso em fevereiro, 2019.
  2. Sender R, Fuchs S, Milo R. Revised Estimates for the Number of Human and Bacteria Cells in the Body.PLoS Biol. 2016;14(8):e1002533.3. Almeida L.B. et al. Disbiose intestinal.Rev Bras Nutr Clin 2009; 24 (1): 58-65
  3. Kho ZY, Lal SK. The Human Gut Microbiome - A Potential Controller of Wellness and Disease.Front Microbiol. 2018;9:1835.
  4. Thursby E, Juge N. Introduction to the human gut microbiota.Biochem J. 2017;474(11):1823-1836.
  5. Rondanelli M, Faliva MA, Perna S, et al.Using probiotics in clinical practice: Where are we now? A review of existing meta-analyses. Gut Microbes. 2017;8(6):521-543.
  6. Waller PA, et al. Dose-response effect of Bifidobacterium lactis HN019 on whole gut transit time and functional gastrointestinal symptoms in adults. Scand J Gastroenterol. 2011;46(9):1057-64.
  7. Gibson GR, Roberfroid MB. Dietary modulation of the human colonic microbiota: introducing the concept of prebiotics.J Nutr. 1995;125(6):140

 

Fonte: Assessoria de Imprensa Hypera