crf pr

 

 

Uso de ivermectina na COVID-19

A ivermectina é um antiparasitário de amplo espectro usado sob prescrição no tratamento de pediculose, escabiose, ascaridíase, filariose, estrongiloidíase intestinal e oncocercose.

O fármaco também está disponível em medicamentos veterinários, que não devem ser usados em humanos.

 

Uso na COVID-19

Em um estudo realizado por Caly e colaboradores (2020) em células in vitro a ivermectina demonstrou atividade antiviral contra o SARS-CoV-2, com grande repercussão nos meios de comunicação.

Porém, estudos in vitro não são suficientes para que um medicamento seja considerado eficaz e seguro, por isso estudos bem conduzidos em humanos são necessários para determinar se a ivermectina poderá ser útil na prevenção ou no tratamento da COVID-19 e em quais doses.

 

Prescrição de ivermectina na COVID-19

A prescrição de medicamentos para indicações não aprovadas pela Anvisa não é proibida, mas deve levar em conta as evidências científicas disponíveis e os potenciais riscos e benefícios aos pacientes.

O farmacêutico deve analisar cada caso e decidir se irá atender à prescrição, considerando o Código de Ética Farmacêutica e as demais legislações aplicáveis.

Recomenda-se o uso dos modelos publicados pelo Conselho Federal de Farmácia tanto no atendimento quanto na recusa das prescrições: http://covid19.cff.org.br/notificacao-em-defesa-do-ato-farmaceutico 

 

Reações adversas potenciais com o uso da ivermectina

Cardiovasculares

Hipotensão ortostática

Dermatológicas

Erupções cutâneas, urticária, prurido. Há relatos de reações como Síndrome de Stevens-Johnson e Necrólise Epidérmica Tóxica

Gastrintestinais

Náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, constipação

Hepáticas

Hepatite, elevação de enzimas hepáticas

Neurológicas

Convulsões, tontura, confusão, sonolência

Oftálmicas

Visão borrada, conjuntivite, hemorragia

    

Palavra de Presidente aos farmacêuticos sobre o uso da Ivermectina na Covid-19

 

 

Fonte: Comunicação CRF-PR