coronavac vacina coronavirus

Laudo do IML aponta suicídio como causa da morte de voluntário da CoronaVac (Informação foi divulgada pela TV Cultura).

 

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) atestou que foi suicídio a causa da morte do voluntário que recebeu a vacina Coronavac.  Ontem, 10/10, a Anvisa publicou a decisão de que decidiu interromper o estudo da vacina após a ocorrência de um evento adverso grave.

Um boletim de ocorrência da Polícia Civil do Estado de São Paulo da 93º DP de Jaguaré, registrado em 29/10, aponta Suicídio como natureza da ocorrência de óbito.

O IML deve divulgar o laudo da causada da morte, oficialmente, às 17h de hoje (10/11).

Durante coletiva Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, disse "Como eu disse, do ponto de vista clínico do caso e nós não podemos dar detalhes, infelizmente, é impossível, é impossível que haja relacionamento desse evento com a vacina, impossível, eu acho que essa definição encerra um pouco essa discussão”.

A decisão da Anvisa causou repercussão negativa nas redes sociais e entre pesquisadores. O Instituto Butantan comunicou em nota na noite desta segunda-feira que lamentava ter sido informado pela imprensa e não diretamente pela Anvisa, como normalmente ocorre em procedimentos clínicos desta natureza, sobre a interrupção dos testes da vacina Coronavac.

Wanderson de Oliveira, ex-secretário de Vigilância em Saúde, disse para um portal de notícias nesta terça-feir que espera que o episódio seja um mal entendio. "“Agora há pouco a Secretaria de Saúde de São Paulo realizou os esclarecimentos sobre a interrupção dos testes pela Anvisa. Na coletiva, fica claro que o evento não tem relação com a vacina. Há poucos minutos o UOL publicou que a morte está relacionada a suicídio, segundo laudo do IML. Sendo assim, é preocupante considerarmos que mesmo que seja por princípio de precaução a agência tenha adotado medida desproporcional ao risco" completou "Conhecendo a Anvisa há muitos anos e sabendo da qualidade de seu corpo técnico, desejo que esse episódio não passe de mal-entendido e que sejam restabelecidos os estudos da vacina CoronaVac o quanto antes”.

 

Por Fábio Reis 

* A reprodução é permitida desde que citada a fonte com link para https://pfarma.com.br