prescricao medicamentos

Esclarecimento da entidade aos profissionais farmacêuticos destaca ações em relação as prescrição ilegíveis

 

 

O CRF-SP orienta que caso o farmacêutico receba uma prescrição ilegível, para fotografar com o celular e envie para o CRF-SP. Confira abaixo a nota na íntegra:

Ao se deparar com uma prescrição ilegível, o farmacêutico deve evitar a dispensação. Afinal, informações imprecisas podem confundir a leitura e provocar equívocos perigosos, levar o paciente a utilizar outro medicamento, ou mesmo uma dosagem incorreta, e colocar em risco a qualidade do tratamento, além de resultar em consequências danosas à saúde. Para essas situações, o farmacêutico deve comunicar o paciente que a dispensação não será possível e que ele deve procurar o prescritor para a emissão de outra receita legível.

Antes disso, é importante que o farmacêutico faça a comunicação desses documentos ilegíveis ao CRF-SP. Para tanto, o Conselho disponibiliza um serviço eletrônico no portal para o acolhimento dessas receitas. Basta fotografar ou produzir uma cópia eletrônica e encaminhar o arquivo. Ao receber essas prescrições ilegíveis, o CRF-SP encaminhará os documentos aos conselhos correspondentes dos profissionais prescritores.

O material será usado para sensibilizar essas entidades de saúde e incentivar o desenvolvimento de ações educativas e preventivas direcionadas aos profissionais prescritores e à população.

O presidente do CRF-SP, Dr. Marcos Machado, destaca a importância de se estar atento a essa questão. “Em caso de dúvida em relação à prescrição, o farmacêutico deve evitar dispensar o medicamento, já que a partir do momento da dispensação ele se torna o responsável por aquele ato. Na dúvida, não dispense e encaminhe uma imagem da prescrição ilegível ao CRF-SP. Isso nos ajudará a sensibilizar os demais Conselhos sobre a importância da realização de campanhas para orientar seus profissionais”.

Clique aqui para o envio de uma prescrição ilegível.

 

Departamento de Comunicação CRF-SP