Cientistas da Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA), desenvolveram uma pílula capaz de encontrar células cancerígenas dentro de um corpo. Ao ser ingerido, o medicamento faz com que as células cancerosas liberem certas proteínas no sangue. Em teoria, estas proteínas poderão ser detectadas utilizando um teste de sangue rápido e fácil. Espera-se, que a droga seja sensível o suficiente para trabalhar com as células cancerosas em estados mais avançados.

A ideia é distribuir para pacientes com suspeitas com câncer a pílula fabricada com pedaços de DNA circulares. Ao ingeri-la, o comprimido ‘invade’ a célula tumoral e age especificamente sobre as células cancerosas, fazendo com que estas secretem uma proteína específica para a corrente sanguínea. O diagnóstico do câncer, portanto, poderia ser feito a partir de um exame de sangue, poupando o paciente das tradicionais biópsias.

A pesquisa será publicada na revista científica norte-americana "Proceedings Journal of the National Academy of Sciences".

Matéria original por Daily Mail, redação em português por Catraca Livre.