Saúde coloca em funcionamento sistema para controle e distribuição de medicamentos

O Ministério da Saúde lançou, em dezembro do ano passado, o Hórus – Sistema Nacional da Assistência Farmacêutica. A ferramenta será implementada como projeto-piloto em 16 cidades a partir de março e permitirá aos municípios o acompanhamento individualizado do uso de medicamentos e o controle da distribuição e do estoque em tempo real.

O Hórus está em funcionamento em Recife (PE) desde novembro de 2009. Para utilizar o programa, os profissionais dos 16 municípios do projeto-piloto vão passar por treinamento em janeiro e fevereiro e, em março, começam a utilizar o sistema. A partir de abril, todos os municípios do Brasil poderão usar o sistema gratuitamente. Para isso, as prefeituras que tiverem interesse podem fazer o cadastro no site www.saude.gov.br/medicamentos

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, o novo programa terá um impacto importante na assistência farmacêutica do SUS. “O Hórus permite a melhoria da qualidade da informação, do gasto e da segurança dos pacientes, pois eles tomarão os medicamentos na dose e na data corretas”, afirmou o secretário.

O nome do sistema vem da expressão “Olho de Hórus”, símbolo egípcio que significa saúde e felicidade. No contexto do sistema, ele simboliza o recebimento correto, racionalidade no uso e bom gerenciamento dos medicamentos.

Com o novo programa, as pessoas vão conhecer o custo de cada fármaco na hora em que o receberem. O governo poderá controlar a regularidade em que os medicamentos são fornecidos e saber se o paciente foi buscá-los na data marcada.
O sistema foi desenvolvido pelo Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos (DAF) do Ministério da Saúde em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Recife.
 

SAIBA MAIS SOBRE O NOVO SISTEMA

 

Objetivos 


• Contribuir com a gestão da Assistência Farmacêutica dos municípios;

• Auxiliar no planejamento, monitoramento e avaliação das ações da Assistência Farmacêutica;

• Aperfeiçoar os mecanismos de controle e a aplicação dos recursos financeiros;

• Ampliação do acesso de maneira a promover o uso racional de medicamentos pela população;

• Qualificar a atenção à saúde da população assistida no SUS.

 

Vantagens para a Assistência Farmacêutica


• Permitir a elaboração de indicadores de Assistência Farmacêutica;

• Possibilitar intervenções em tempo real - gerenciamento estratégico em qualquer ponto do município;

• Aperfeiçoar a gestão da Assistência Farmacêutica (evitar desperdícios; evitar desabastecimento nas farmácias);

• Permitir a rastreabilidade dos medicamentos (registro de lote e validade);

• Permitir a realização de estudos de utilização de medicamentos;

Maior disponibilidade do profissional farmacêutico para as atividades assistenciais e de treinamento.

 

Fonte: Assessoria de imprensa da Anvisa