USP FARMÁCIA

Resumo

Oportunidade aberta para bolsa FAPESP de Pós-Doutorado no âmbito do projeto "Desenvolvimento e padronização de uma nova metodologia para avaliar o efeito de peptídeos intracelulares em interações proteína-proteína". A pesquisa será desenvolvida na Universidade de São Paulo, Instituto de Ciências Biomédicas, Departamento de Farmacologia, situado na Av. Lineu Prestes 1524, Sala 317, São Paulo, SP, 05508-000, Brasil.

O projeto está vinculado ao Projeto Temático "Farmacologia de oligopeptidases e peptídeos intracelulares/Pharmacology of oligopeptidases and intracellular peptides" (Processo #2016/04000-3).

Nosso objetivo nesse projeto será desenvolver e validar um protocolo experimental que permita a quantificação de interações entre proteínas in vivo (em células e/ou animais), que possa ser aplicado para determinarmos o efeito de peptídeos intracelulares específicos, ou de alterações globais na composição intracelular de peptídeos.

Buscamos indivíduos qualificados e capazes de combinar habilidades em farmacologia molecular e bioquímica com a capacidade de trabalhar em equipe e liderar projetos científicos no campo.

Os candidatos devem ter Doutorado ou PhD em Farmacologia, Bioquímica, Biologia Celular ou Biologia Molecular, com foco em estudos moleculares e celulares que visem a descoberta de novos fármacos e novas vias de sinalização celular.

Além disso, é necessário experiência em farmacologia, análise de sistemas celulares de sinalização como dosagem de segundos mensageiros e avaliações de atividade enzimática. Conhecimentos de cromatografia liquida e espectrometria de massas são desejados.

O candidato contribuirá com análise e integração dos resultados gerados para publicação em revistas de alto impacto. Nível avançado de inglês para escrita e conversação é obrigatório. O candidato ideal será aquele apto a contribuir na supervisão de estudantes de pós-graduação.

O candidato dever ter registro de publicações em revistas especializadas de qualidade, indexadas no Pubmed, e de preferência de impacto igual ou superior a dois (2).

Deve ter disponibilidade imediata para residir em São Paulo.

Caso seja selecionado, o candidato terá uma bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP (www.fapesp.br/bolsas/pd) no valor mensal de R$ R$ 7.174,80 por 24 meses (renovável por até mais 12 meses).

Submissões devem ser enviadas pelo email emersferro@gmail.com até 20 de Abril de 2018.

 

Documentos Necessários:

- Currículo Lattes ou Curriculum vitae atualizado;
- Carta de apresentação indicando a razão de interesse na bolsa, com um breve relato de sua experiência na área da farmacologia bioquímica e molecular, e na busca por novos fármacos;
- Duas cartas de referências.

 

Resumo do Projeto

As proteínas são fundamentais para a dinâmica fisiológica da vida, formando redes interativas que respondem às circunstâncias espaciais e temporais (por exemplo, condições ambientais, estresse ou situações patológicas ou à ação de drogas). As proteínas não agem sozinhas, mas interagem entre si, participando de uma série de modulações fisiológicas. Estas interações proteína(s)-proteína(s) podem ser dinâmicas ou estáveis, e ocorrem através de mecanismos estruturais físico-químicos, controlados pelo microambiente estrutural e celular. Devido à dinâmica e complexidade destas reações, o ideal ao serem analisadas é que os métodos analíticos utilizados perturbem minimamente o contexto natural celular.

Dentre a vasta variedade de proteínas e peptidases sugeridas regulando interações proteína-proteína encontramos a thimet oligopeptidase (EC 3.4.24.15; EP24.15). Essa enzima se destaca pela presença em ambos os compartimentos intracelular e extracelular, onde metaboliza diversos peptídeos (degrada e produz) produzidos pelo proteassomo ou pela via secretória (i.e. neuropeptídeos). A EP24.15 participa da rede de interações celulares interagindo, por exemplo, com a 14-3-3 epsilon de forma dependente da fosforilação na serina 644 pela proteína quinase A (Carreño ET AL., 2005). Por outro lado, a EP24.15 também foi sugerida participar da rede de interações proteicas celulares metabolizando peptídeos intracelulares (Cunha ET AL., JBC 2008; Russo ET AL., FEBS Letters, 2012).

Diante disso, nosso desafio nesse projeto é desenvolver e validar um protocolo experimental que permita a quantificação de interações entre proteínas in vivo (em células e/ou animais), que possa ser aplicado para determinarmos o efeito de peptídeos intracelulares específicos, ou de alterações globais na composição intracelular de peptídeos. Fonte: FAPESP