taiwan coronavirus

Resposta ao COVID-19 em Taiwan - Análise de Big Data, novas tecnologias e testes proativos.

 

Taiwan fica a 81 milhas da costa da China continental e era esperado que tivesse o segundo maior número de casos de doença por coronavírus 2019 (COVID-19) devido à sua proximidade e número de voos entre a China. O país tem 23 milhões de cidadãos, dos quais 850 000 residem e 404 000 trabalham na China. Em 2019, 2,71 milhões de visitantes da China viajaram para Taiwan.

Além de tudo, Taiwan é apenas o 25º na lista mundial de contágio, com 50 casos confirmados, no mapa da Universidade Johns Hopkins. A título de comparação, o Ministério da Saúde contava que o Brasil possuía 98 casos de coronavírus registrado até este sábado (14/3), o que o coloca o Brasil na 17ª posição. Dada a proximidade com a China, a Coreia do Sul virou o 4º país com mais infectados e só conseguiu remediar a crise.

Contra todas as expectativas, Taiwan freou a disseminação do coronavírus. Mas como o país conseguiu isso? A resposta, detalhada abaixo, passa por um grande cruzamento de dados, agilidade no processamento dessas informações e transparência na orientação à população.

 

Como Taiwan consegui combater o Coronavírus tão rápido ?

O plano de contenção de Taiwan foi colocado em prática antes mesmo de a China reconhecer que havia um surto em seu país. Em 31 de dezembro de 2019, o gigante asiático notificou a Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre um caso de pneumonia desconhecida em Wuhan. A região concentrou o surto inicial de coronavírus e até hoje é onde há mais casos.

Enquanto os chineses tentavam esconder que havia um problema, as autoridades taiwanesas começaram a trabalhar. Passaram a investigar se passageiros vindos de Wuhan tinham febre ou sintomas de pneumonia. Em 5 de janeiro, ampliou o leque para aquelas pessoas que haviam estado na região chinesa nos 14 dias anteriores. Os indivíduos com esse quadro eram colocados em quarentena em casa.

Em 20 de janeiro, o Centro de Controle de Doenças ativou o Comando Central Nacional de Saúde (NHCC). Esse órgão foi criado em 2004, após o país ser atingido por uma onda de SARS. Ele reúne os centros de comando de epidemia (CECC), de desastre patogênico biológico, de ações contra o terrorismo e de operações médicas de emergência.

O governo de Taiwan aprendeu com sua experiência em SARS em 2003 e estabeleceu um mecanismo de resposta à saúde pública para permitir ações rápidas para a próxima crise. Equipes de funcionários bem treinadas e experientes foram rápidas em reconhecer a crise e ativaram as estruturas de gerenciamento de emergências para enfrentar o surto emergente.

 

Ciência de Dados contra o Coronavírus

Para tomar pé do problema, Taiwan começou a reunir e cruzar informação. Integrou duas bases de dados. Uma delas é o banco nacional de seguro de saúde, que agrupa todas as interações dos pacientes com o sistema médico do país. Outra é de dados de imigração.

A conexão entre os dois bancos ocorreu de forma ágil, apenas um dia após a decisão ser tomada. Isso permitiu que o país passasse já a partir de 27 de janeiro a analisar em tempo real quem eram as pessoas que deveriam ser priorizadas no atendimento.

No momento em que a pessoa ia a uma consulta, a equipe médica era alertada do grau de seriedade de seu caso, com base no histórico de viagens e dos sintomas do paciente.

 

Tecnologia para monitor viajantes: Controle de Fronteiras, Identificação de Casos e Contenção

Os viajantes que acabavam de chegar ao país recebiam atenção especial. Tanto é que tecnologias especiais foram criadas para eles. Todos tinham que preencher formulários online sobre o histórico de viagens e os possíveis sintomas que apresentavam.

Aqueles que não haviam viajado nos últimos 14 dias para áreas de risco elevado recebiam um SMS com um atestado de saúde para facilitar a entrada no país. Já os que haviam visitado regiões com alto contágio eram encaminhados para uma quarentena em casa. Para garantir que eles não burlassem, as autoridades os monitoravam por meio de seus smartphones. Todo esse sistema demorou 72 horas para ficar pronto.

Taiwan também analisou os dados de saúde para localizar as pessoas que haviam apresentado sintomas respiratórios severos recentemente e haviam testado negativo para gripe. Submeteu 113 pessoas a exames para averiguar se haviam contraído coronavírus. Achou um contaminado.

 

alcool gel coronavirus robo

Imagem: Crianças em Taiwan higienizam a mão com álcool gel dispensado por robô para prevenção do coronavírus.

 

Alocação de Recursos: Logística e Operações

O CECC teve um papel ativo na alocação de recursos, incluindo a fixação do preço das máscaras e o uso de fundos do governo e pessoal militar para aumentar a produção de máscaras. Em 20 de janeiro, o CDC de Taiwan anunciou que o governo tinha sob seu controle um estoque de 44 milhões de máscaras cirúrgicas, 1,9 milhão de máscaras N95 e 1100 salas de isolamento de pressão negativa.

 

Comunicação contra o Coronavírus

As ações para viajantes focavam viagens aéreas, já que se trata de uma ilha. Mas Taiwan foi forçada a criar um esquema para viagens por mar. Isso ocorreu após o cruzeiro Diamond Princess ser identificado em fevereiro como o lugar com maior concentração de casos de coronavírus fora da China em todo mundo. O barco passou por Keelung, próximo à Cidade de Nova Taipei, antes de ficar de quarentena no Japão.

Isso gerou pânico imediato entre os taiwaneses. Para amenizar a situação, o governo levantou 50 localidades no país onde os passageiros do cruzeiro poderiam ter visitado. Avisou todas as pessoas que costumavam frequentar essas áreas de que deveriam ficar alertas casos apresentassem sintomas e que, se pudessem, mantivessem uma quarentena doméstica.

O governo também direcionou uma linha telefônica gratuita para receber relatos de pessoas que achavam ter os sintomas de covid-19 ou que suspeitavam que seus conhecidos estivessem com a doença. Como o temor em relação ao contágio aumentou, a linha ficou congestionada. Taiwan contornou o problema exigindo que todas as grandes cidades criassem suas próprias iniciativas.

Para evitar que as pessoas em quarentena ficassem totalmente isoladas, Taiwan fornecia comida a eles e entrava em contato constantemente para checar como andavam de saúde e para conversar.

 

Tranquilize e eduque o público, enquanto combate a desinformação

Além das entrevistas diárias do ministro da Saúde e Bem-Estar, o CECC, o vice-presidente de Taiwan, um proeminente epidemiologista, fez regularmente anúncios de serviço público transmitidos do escritório do presidente e disponibilizados via internet. Esses anúncios incluíam quando e onde usar uma máscara, a importância da lavagem das mãos e o perigo de acumular máscaras para impedir que elas se tornem indisponíveis para os profissionais de saúde da linha de frente.

O CECC também fez planos para ajudar escolas, empresas e trabalhadores terceirizados.

 

O exemplo de Taiwan no enfrentamento do Coronavírus

O governo de Taiwan aprendeu com sua experiência em SARS em 2003 e estabeleceu um mecanismo de resposta à saúde pública para permitir ações rápidas para a próxima crise. Equipes de funcionários bem treinadas e experientes foram rápidas em reconhecer a crise e ativaram as estruturas de gerenciamento de emergências para lidar com o surto emergente.

Em uma crise, os governos costumam tomar decisões difíceis pressionados pela incerteza e pelo tempo. Essas decisões devem ser culturalmente apropriadas e sensíveis à população. Por meio do reconhecimento precoce da crise, briefings diários ao público e mensagens simples de saúde, o governo conseguiu tranquilizar o público, fornecendo informações oportunas, precisas e transparentes sobre a epidemia em evolução. Taiwan é um exemplo de como uma sociedade pode responder rapidamente a uma crise e proteger os interesses de seus cidadãos.
Jason Wang

 

Artigo original "Response to COVID-19 in Taiwan - Big Data Analytics, New Technology, and Proactive Testing" publicado em Jama.

Por C. Jason Wang, MD, PhD; Chun Y. Ng, MBA, MPH; Robert H. Brook, MD, ScD

Adaptador por Fábio Reis para PFARMA

 

Referências: 

1. Gardner L. Update January 31: modeling the spreading risk of 2019-nCoV. Johns Hopkins University Center for Systems Science and Engineering. Published 2020. Accessed February 20, 2020. https://systems.jhu.edu/research/public-health/ncov-model-2

2. Pan T, Yeh J. Number of Taiwanese working in China hits 10-year low. Focus Taiwan. Published December 17, 2019. Accessed February 21, 2020. https://focustaiwan.tw/business/201912170022

3. Statistics on the number of Chinese people working overseas in 2018 [in Chinese]. News release. Directorate General of the Budget and Accounting; December 17, 2019. Accessed February 21, 2020. https://www.dgbas.gov.tw/public/Attachment/91217104242H1AK10HM.pdf

4. Wang S, Lin K. Foreign visitors to Taiwan up 7% in 2019. Focus Taiwan. Published January 6, 2020. Accessed February 20, 2020. https://focustaiwan.tw/society/202001060014.

5. NHCC [National Health Command Center]. Taiwan Centers for Disease Control. Updated February 1, 2018. Accessed February 22, 2020. https://www.cdc.gov.tw/En/Category/MPage/gL7-bARtHyNdrDq882pJ9Q

 

 

Leia também:

Alta do dólar e coronavírus podem fazer medicamento ficar mais caro no Brasil

Índia limita exportação de medicamentos por causa do Coronavírus

Como se prevenir do coronavírus