Ludhmila Abrahão Hajjar, que atua na linha de frente no tratamento de pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia, é o nome mais defendido para assumir o Ministério da Saúde.

 

 

Após notícias de que Eduardo Pazuello vai deixar o cargo de Ministro da Saúde, entre os nomes cotados o da médica Ludhmila Abrahão Hajjar, que atua na linha de frente no tratamento de pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia, é o mais defendido.

O médico Roberto Kalil Filho, do Hospital Sírio-Libanês, disse que trabalha com a médica Ludhmila Hajja há mais de 10 anos e ela é uma profissional bastante técnica, determinada e uma cientista, ele completou dizendo o Brasil estará com alguém competente no Ministério da Saúde. Em entrevista a CNN ele disse que a missão dela será a de minizar os danos da pandemia e defender a política de vacinação contra covid-19.

A GloboNews disse que fontes afirmaram que a médica este no planalto em reunião com o presidente Jair Bolsonaro. Segundo a coluna de Mônica Bergamo Bolsonaro se reuniu com a médica mas não bateu o martelo, a colunista também informou que o próprio Eduardo Pazuello esteve na conversa.

Durante a tarde deste domingo o nome da médica chegou aos Trends Topics do Brasil no Twitter. Alguns usuários e jornalistas lembraram do posicionamento da médica que é contra o tratamento precoce e criticou durante algumas entrevistas a forma como o governo enfrenta a pandemia por coronavírus.

Arthur Lira, presidente da Câmara do deputados, defendeu hoje de Ludhmila Hajjar para o cargo de ministra da Saúde. Em sua rede social ele escreveu "Coloquei os atributos necessários p/ o bom desempenho à frente da pandemia: capacidade técnica e de diálogo político com os inúmeros entes federativos e instâncias técnicas. São exatamente as qualidades que enxergo na doutora Ludhmila" completou "Espero e torço para que, caso nomeada ministra da Saúde, consiga desempenhar bem as novas funções. Pelo bem do país e do povo brasileiro, nesta hora de enorme apreensão e gravidade. Como ministra, se confirmada, estarei à inteira disposição."

Antes ele havia criticado a condução da pandemia no Brasil "O enfrentamento da pandemia exige competência técnica, sem dúvida nenhuma. Mas exige ainda mais uma ampla e experiente capacidade de diálogo político, pois envolve todos os entes federativos, o Congresso, o Judiciário, além do complexo e multifacetado Sistema Único de Saúde."

Outros nomes cotados para o cargo são: deputado Dr. Luizinho e do médico Marcelo Queiroga.

Através de nota o Ministério da Saúde informou que até o momento Pazuello segue no cargo, a nota diz “O Ministério da Saude informa que até o presente momento o ministro Eduardo Pazuello segue à frente da Pasta, com sua gestão empenhada nas ações de enfrentamento da pandemia no Brasil” 

Os rumores da troca no Ministério da Saúde acontecem no momento mais crítico da pandemia, o Brasil manteve nos últimos dias uma média acima de 2 mil mortes diárias e se tornou o país que mais registra casos de novas infecções por covid-19 por dia. 

 

Por Fábio Reis 

* A reprodução é permitida desde que citada a fonte com link para https://pfarma.com.br