seringua vacina covid19 japao

Segundo informações obtidas pela NHK, seringas especiais poderão aumentar o número de doses por frasco da vacina contra a Covid-19 desenvolvida por companhias britânica e americana.

 

 

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão assinou um contrato de aquisição de 120 milhões de doses com a empresa farmacêutica britânica AstraZeneca. Também fez um acordo para comprar 50 milhões de doses da Moderna, empresa de biotecnologia dos Estados Unidos. O ministério está, atualmente, examinando as vacinas desenvolvidas por essas companhias.

Autoridades do setor de saúde e fabricantes de medicamentos de ambos os países dizem que seringas especiais podem possibilitar a obtenção de dose extra por frasco tanto no caso da vacina da AstraZeneca como da vacina da Moderna.

As autoridades de saúde britânicas e americanas recomendam o número total de doses em basicamente 10 por frasco. Os funcionários do Ministério da Saúde do Japão dizem que estão buscando meios para usar seringas especiais que possam aumentar o número de doses por frasco para 11. Contudo eles se abstiveram de fazer comentários sobre o assunto uma vez que os processos de aprovação ainda não foram concluídos.

Acredita-se que o aumento do número de inoculações conduza a um aumento substancial do fornecimento e da rapidez na programação das vacinações.

 

 

Fabricante japonesa vai produzir seringa capaz de extrair 7 doses de vacina contra coronavírus 

A fabricante de equipamentos médicos japonesa Terumo afirmou que vai produzir seringas capazes de extrair sete doses por frasco de uma vacina contra o coronavírus.

O anúncio ocorreu em meio aos esforços do Japão para assegurar seringas especiais capazes de extrair seis doses de um único frasco da vacina produzida pela Pfizer-BioNTech. Seringas convencionais utilizadas no país podem extrair somente cinco doses.

A Terumo revelou que iniciará a produção da nova seringa já no final deste mês.

A seringa tem como base um tipo produzido para uma nova variante de influenza que se disseminou em 2009. Ela possui uma agulha de 16 milímetros de comprimento, que é adequada para injeção nos músculos.

A Terumo diz que a seringa é produzida de modo a evitar que qualquer conteúdo acabe sobrando em seu interior.

A empresa declarou ter obtido a aprovação do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, na sexta-feira passada, para produzir e comercializar a nova seringa.

A Terumo já está preparando a produção em uma fábrica na província de Yamanashi, proximidades de Tóquio. Ela planeja produzir 20 milhões de seringas no exercício que vai até março de 2022.

 

Com informações da TV Japonesa NHK