hidroxicloroquina

Levantamento da healthtech Medipreço aponta que as regiões Sudeste e Sul lideram a busca pelo medicamentos do 'kit covid'

 

 

Recentemente, o Ministério da Saúde confirmou, em documento enviado para a CPI da Covid, que os medicamentos conhecidos como 'kit covid' não devem ser utilizados em pacientes com coronavírus. Agora, o Senado investiga como o governo pode ter beneficiado laboratórios, por meio de gastos públicos com a compra desses remédios. Pesquisa realizada com a base de dados da Medipreço, startup parceira no cuidado à saúde e bem-estar de colaboradores de empresas, e do painel de monitoramento de produtos controlados da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), aponta que a procura pela hidroxicloroquina cresceu 58,5% neste ano em relação a 2020. No entanto, houve uma queda de 95,1% na procura por ivermectina.

O levantamento mostra ainda que a procura pelos dois medicamentos aumentou 15 mil vezes desde 2019. A hidroxicloroquina foi pesquisada apenas seis vezes no aplicativo da Medipreço em 2019, 962.628 vezes em 2020 e 763.134 vezes no primeiro semestre de 2021. Já a ivermectina foi buscada 92 vezes em 2019, 748.779 vezes em 2020 e 18.164 no primeiro semestre de 2021. A região que mais procurou pela hidroxicloroquina foi o Sudeste, enquanto o Sul buscou mais pela ivermectina.

 


Hidroxicloroquina

Região

em 2019

em 2020

em 2021

*projeção com base nos dados até junho

Centro-Oeste

          1

115.324

170.272

Nordeste

4

154.202

177.364

Norte

-  

38.478

48.680

Sudeste

1

424.774

661.154

Sul

-  

229.850

468.798

Total Geral

          6

  962.628

1.526.268



Ivermectina

Região

em 2019

em 2020

em 2021

*projeção com base nos dados até junho

Centro-Oeste

              9

  101.991

      3.006

Nordeste

            28

  119.937

      10.820

Norte

            12

    38.441

          1.558

Sudeste

            32

  332.011

      8.656

Sul

            11

  156.399

      12.288

Total Geral

            92

  748.779

    36.328

 

 

Além disso, na base de dados da Medipreço, o preço da hidroxicloroquina variou, em média, 265% em 2021. Já a ivermectina, 108%. "Esse percentual é uma média de todas as apresentações disponíveis de cada um dos produtos. Essa variação acontece devido ao aumento da procura. Além disso, os preços mudam de acordo com a região e formato de distribuição dos medicamentos", explica Alexandre Máximo, CEO da Medipreço.

Por meio de uma plataforma de gestão de saúde continuada, a Medipreço permite que colaboradores das empresas parceiras comprem medicamentos e produtos de saúde com descontos em relação ao varejo tradicional, além de usar a análise de dados para oferecer estratégias inteligentes e trazer diagnósticos assertivos de prevenção de doenças dentro das companhias. "Por meio dessa avaliação inteligente de dados, feita de forma anonimizada e respeitando todas as regras da LGPD, conseguimos compreender e apontar tendências da saúde corporativa e também alguns comportamentos de mercado. Isso possibilita traçar estratégias eficientes para prevenção de doenças nas organizações", completa o porta-voz.