campanha vacina influenza

 

Atento à necessidade de apoiar o enfrentamento da Covid-19 e de promover a capacitação e a qualificação profissional, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) lançou nesta terça-feira, 31/08, durante sua 508ª Reunião Plenária, em Recife, o curso Serviço de Vacinação por Farmacêuticos. O conteúdo está disponível, gratuitamente, por meio da plataforma do CFF edufarma.org.br para profissionais de todo o país que estejam inscritos nos CRFs. As aulas foram elaboradas por membros da assessoria da presidência do CFF, consultores ad hoc e uma equipe de professores e convidados, especializados na área de vacinação, incluindo técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O curso é composto por 60 horas de atividades, divididas em 40 horas na modalidade a distância/autoinstrucional, e 20 horas na modalidade presencial, reunindo as principais informações para possibilitar o desenvolvimento de competências necessárias à prestação de serviços de vacinação. A proposta pedagógica contextualiza o panorama da vacinação no País, com destaque para os papéis que podem ser desempenhados pelo farmacêutico.

O presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, lembra que essa é mais uma iniciativa para apoiar o enfrentamento da Covid-19 no País, com o propósito de contribuir para o aumento no número de farmacêuticos vacinadores. “Vivemos uma emergência mundial, de grande desafio para todos nós, profissionais da saúde. Esperamos que, ao concluir o curso, o colega farmacêutico esteja preparado para contribuir para a prevenção de doenças evitáveis por meio de vacinas e para apoiar a sociedade brasileira neste difícil momento”.

Durante o processo de elaboração do curso, também foram considerados todos os requisitos exigidos em legislações sanitárias e profissionais. As aulas consolidam aspectos imunológicos relacionados aos imunizantes, que vão desde os principais tipos de vacinas, calendários vacinais, a importância da notificação de eventos adversos, e aborda detalhes sobre conservação, fatores que podem levar a erros de medicação e informações específicas sobre as vacinas contra a Covid-19. A modalidade a distância e autoinstitucional é composta por 54 videoaulas, incluindo os vídeos de boas-vindas, introdução ao curso e à plataforma e relatos de experiências para contextualizar os conteúdos. A estrutura principal é formada por 42 videoaulas, divididas em 6 módulos:

1 – Impacto da vacinação e o papel do farmacêutico;

2 – Aspectos imunológicos;

 3 – Vacinas, doenças preveníveis e calendários vacinais;

4 – Rede de Frio;

5 – Etapas e gestão do serviço;

6 – Segurança do paciente.

 

A assessora da presidência do CFF, Josélia Frade, uma das responsáveis pela produção e desenvolvimento da proposta pedagógica, explica que a avaliação do módulo realizado a distância será por meio da própria plataforma online com a resolução de 35 questões de múltipla escolha, que devem ser concluídas em até cinco tentativas. “Para ser considerado apto nesta etapa, o farmacêutico deverá obter aproveitamento mínimo de 60%, acertando mais de 21 questões”.

 

Módulo presencial

Já as 20h de modalidade presencial deverão ser realizadas em dois dias, em quatro turnos. As atividades terão início com a revisão da modalidade a distância e autoinstrucional, por meio de desenvolvimento de mapa mental e quis, seguida por análise de demanda vacinal e por seis ciclos de práticas:

1o dia

Prática 1: discussão de casos clínicos

Prática 2: elaboração do plano de cuidado

2o dia

Prática 3 – Elaboração do plano de cuidado – prática clínica simulada

Prática 4 – Etapas pós-vacinação: discussão de casos clínicos

Prática 5 – Paramentação, higiene das mãos e preparo de dose

Prática 6 – Treinamento de técnicas de aplicação pelas vias IM e SC

Nesta etapa, serão realizadas nove avaliações, sendo cinco delas somativas e quatro formativas. As avaliações estão detalhadas no tópico “Organização estrutural: modalidade presencial”. Bem como, ao final dessa modalidade, o participante deverá realizar a avaliação da qualidade do curso dentro da plataforma edu.farma.

Com objetivo de otimizar a realização do módulo presencial, farmacêuticos de estados circunvizinhos, já aprovados na parte teórica, poderão participar de turmas em unidade federativa distinta daquela na qual estão inscritos, desde que haja disponibilidade de vagas. O número máximo de participantes por turma será de 30 alunos, cada uma com dois facilitadores. Para o ano de 2021, a previsão é que sejam realizadas 40 turmas, com a capacitação de até 1.200 profissionais. Existe a estimativa de realização de pelo menos 51 turmas, onde até 1.530 participantespoderão ser atendidos.

Um dos coordenadores do curso é o conselheiro Federal de Farmácia pelo Distrito Federal, Forland Oliveira Silva, que também leciona em duas das videoaulas: uma sobre componentes do sistema imunitário e outra sobre constituintes das vacinas. Forland acredita que a capacitação representa uma ferramenta para que os profissionais aprimorem as técnicas de vacinação e possam contribuir com a Campanha Nacional de Imunização. “Esse curso foi feito com todo o carinho e irá beneficiar toda a sociedade”.

Ao promover a capacitação de farmacêuticos para a prestação do serviço de vacinação, o CFF espera alcançar farmacêuticos de todas as regiões. Veja no quadro abaixo:

 

Acesse o documento com as Orientações Gerais sobre o curso.