abbvie

Houve um crescimento das receitas em 26,3%, chegando a US$10,4 bilhões

 

 

A AbbVie, companhia biofarmacêutica baseada em pesquisa, anunciou que no segundo trimestre de 2020, encerrado em 30 de junho deste ano, as receitas cresceram 26,3 por cento, chegando a US$ 10,4 bilhões – crescimento impulsionado principalmente pelo portfólio de Imunologia, com os novos medicamentos (aumento de 8,1 por cento em base operacional), como também pela unidade de negócios de Onco-hematologia, cujas receitas líquidas globais foram de US$1,591 bilhão, um aumento de 25,5 por cento, em bases operacionais.

Este é o primeiro período fiscal a incluir resultados referentes à Allergan, desde a conclusão de sua aquisição, no último dia 8 de maio.

Neste segundo trimestre de 2020, o investimento de P&D foi de US$1,3 bilhão. O pipeline da AbbVie continua avançando com programas de pesquisa clínica para as novas indicações de RINVOQ (upadacitinibe) e SKYRIZI (risanquizumabe), últimos lançamentos em Imunologia, e em Onco-hematologia, com múltiplos estudos de VENCLEXTA (venetoclax).

No Brasil, RINVOQ está aprovado pela Anvisa para o tratamento de artrite reumatoide moderada a grave, SKYRIZI para tratar psoríase em placas moderada a grave em pacientes adultos que são candidatos a terapia sistêmica ou fototerapia e VENCLEXTA para tratar leucemia mieloide aguda e leucemia linfocítica crônica.1

"A AbbVie apresentou outro forte desempenho trimestral, acima de nossas expectativas iniciais. O impacto da COVID-19 foi menor do que esperado, demonstrando a robustez e resiliência de nossas marcas”, afirmou Richard A. Gonzalez, chairman e CEO da AbbVie. "A integração da Allergan vai muito bem, com forte recuperação do portfólio de Allergan Aesthetics, impactado pela COVID-19, contribuindo com resultados acima das expectativas”.

 

 

Por assessoria de imprensa