producao vacina

Fabricante de válvulas assépticas, GEMÜ tem a seu favor estrutura mundial para ampliar estoques (imagem ilustrativa).

 

Num momento em que a indústria farmacêutica nacional e internacional está sob pressão por conta da pandemia da covid-19, toda sua cadeia fornecedora se vê numa missão conjunta em prol da saúde pública. É o caso da GEMÜ Válvulas e Sistemas de Medição e Controle, que tem sido requisitada para garantir a entrega de válvulas assépticas, a fim de garantir a ampliação de produção da vacina antigripal em 2020 – já que a proteção contra a influenza tradicional e H1N1 evita a superlotação do sistema de saúde.

As válvulas assépticas são utilizadas em sistemas de água ultra pura, para uso em injetáveis, tanto na fabricação de medicamentos, testes de diagnóstico e vacinas.

Em todo o mundo, o único produto que oferece a garantia de 100% de drenabilidade é a "válvula diafragma", carro-chefe da multinacional GEMÜ, que assim elimina qualquer risco de contaminação com bactérias ou microrganismos.

Para garantir a entrega do volume necessário emergencialmente e em projetos futuros, que já se antecipam no cenário brasileiro, a empresa conta com sua estrutura globalizada. A matriz na Alemanha inclui um centro de pesquisas e é líder mundial no fornecimento desse equipamento.

Além dessa unidade, estão operantes as fábricas no Brasil, China, França, Suíça, EUA, entre vários pontos espalhados pelo planeta. "A integração vertical é importante neste momento em que todas as unidades estão sendo acionadas em prol da saúde pública internacional", explica o gerente geral de vendas da GEMÜ para a área PFB (farmacêutica, alimentícia e biotecnologia), Hans Paul Mösl.

Alguns exemplos de projetos no Brasil em que a empresa mantém o fornecimento são laboratórios federais e particulares. "Sabemos que esses clientes prevêem o aumento da sua capacidade de produção para ampliar e antecipar o fornecimento de todos os lotes necessários da vacina antigripal neste ano", comenta Mösl.

Esse movimento exige a encomenda de equipamentos como a válvula asséptica, entre inúmeros outros aparelhos. Para garantir o transporte desses produtos, a unidade brasileira da GEMÜ conta com a manutenção do tráfego rodoviário entre estados e do transporte internacional de cargas. "Nosso compromisso hoje é manter bons estoques para atender a demanda atual e aquela que ainda vai surgir na indústria farmacêutica", enfatiza Hans Paul Mösl.

Assim como na indústria alimentícia e de biotecnologia, a área farmacêutica demanda produtos de grande precisão, que a GEMÜ fornece para toda a América Latina, com assistência nacional.

"Queremos tranquilizar todos os nossos clientes e parceiros, além de ratificar que somos uma empresa sólida e com recursos financeiros equilibrados, e portanto atravessaremos essa difícil fase, mantendo o atendimento normalmente e a entrega dos materiais dentro do planejado", garante Mösl.

 

Sobre a GEMÜ

A filial da multinacional alemã criada por Fritz Müller na década de 1960 disponibiliza ao mercado brasileiro válvulas de extrema eficiência e qualidade. A planta situada em São José dos Pinhais (PR), que conta com 100 colaboradores e completa 40 anos em 2021, produz válvulas e acessórios para o tratamento de água e efluentes em indústrias de todas as áreas, como siderurgia, fertilizantes e setor automobilístico, bem como para integrar sistemas de geração de energia. Na área de PFB (farmacêutica, alimentícia e biotecnologia), a GEMÜ é líder mundial e vende para toda a América Latina produtos de alta precisão, com atendimento local, além de consultoria com profissionais capazes de orientar na escolha da melhor solução em válvulas para cada aplicação.

 

Sobre Estudos Clínicos de medicamentos experimentais para combater o coronavírus:

Estudo in vitro com Ivermectina

Hidroxicloroquina apresenta bons resultados contra o coronavírus

Sobre o uso do Ibuprofeno, Cortisona e Tiazolidinediona em infecções por Coronavírus

Takeda está desenvolvendo terapia derivada do plasma para o coronavírus

Favipiravir demonstra eficácia no tratamento do Coronavírus