takeda farmaceutica

O tratamento será derivado do plasma sanguíneo. Globulina hiperimune policlonal anti-SARS-CoV-2 (H-IG) está sendo desenvolvida para tratar indivíduos infectados e de alto risco com COVID-19

 

A gigante farmacêutica japonesa Takeda anunciou que está desenvolvendo um medicamento contra o novo coronavírus, e que está em contato com órgãos reguladores de todo o mundo para acelerar o lançamento.

A empresa está iniciando o desenvolvimento de uma globulina hiperimune policlonal anti-SARS-CoV-2 (H-IG ) para o tratamento de indivíduos de alto risco infectados com COVID-19, além de estudar se os produtos atualmente comercializados e em desenvolvimento da Takeda podem ser utilizados para o tratamento eficaz de pacientes infectados. O SARS-CoV-2 é o vírus que causa o COVID-19.

As globulinas hiperimunes são terapias derivadas do plasma que anteriormente demonstraram ser eficazes no tratamento de infecções respiratórias virais agudas graves e podem ser uma opção de tratamento para o COVID-19. Como líder em terapias derivadas de plasma, com mais de 75 anos de experiência no desenvolvimento de produtos derivados de plasma, a Takeda tem a experiência necessária para pesquisar, desenvolver e fabricar um potencial H-IG policlonal anti-SARS-CoV-2, ao qual a Takeda está se referindo como TAK-888.

"Somos uma empresa dedicada à saúde e bem-estar das pessoas em todo o mundo, faremos tudo o que pudermos para enfrentar a nova ameaça do coronavírus", disse o Dr. Rajeev Venkayya, presidente da Unidade de Negócios de Vacinas da Takeda e co-líder da a equipe de resposta COVID-19 da empresa. "Identificamos recursos e capacidades relevantes em toda a empresa e esperamos poder expandir as opções de tratamento para pacientes com COVID-19 e para os prestadores de cuidados."

Atualmente, a Takeda está discutindo com várias agências nacionais de saúde e reguladoras, e parceiros de assistência médica nos EUA, Ásia e Europa para acelerar rapidamente a pesquisa do TAK-888. Isso requer acesso ao plasma fonte de pessoas que se recuperaram com sucesso do COVID-19 ou que foram vacinadas, após o desenvolvimento da vacina. Esses doadores convalescentes desenvolveram anticorpos para o vírus que poderiam potencialmente minimizar a gravidade da doença em pacientes com COVID-19 e possivelmente preveni-la.

O H-IG funciona concentrando os anticorpos específicos de patógenos do plasma coletado de pacientes recuperados ou de doadores vacinados no futuro. A transferência de anticorpos para um novo paciente pode ajudar o sistema imunológico dessa pessoa a responder à infecção e aumentar sua chance de recuperação. Como é improvável que o plasma necessário para o TAK-888 venha dos atuais doadores de plasma, a Takeda inicialmente produzirá a terapia em uma área segregada dentro de suas instalações de fabricação na Geórgia, e o desenvolvimento e produção do mesmo não deve afetar negativamente a capacidade da Takeda de produzir outras terapias derivadas do plasma.

 

Leia: Como se prevenir do coronavírus

 

"As terapias derivadas do plasma são medicamentos essenciais que salvam vidas, dos quais milhares de pessoas com doenças raras e complexas dependem todos os dias ao redor do mundo", disse o Dr. Chris Morabito, chefe de pesquisa e desenvolvimento da unidade de negócios de terapias derivadas de plasma da Takeda. "Nossa herança, combinada com nossa amplitude, experiência e capacidades, posiciona a Takeda de forma exclusiva para realizar o potencial de terapias derivadas de plasma, como o TAK-888".

Além disso, a Takeda está explorando se terapias e moléculas comercializadas selecionadas em sua biblioteca de medicamentos podem ser candidatos viáveis ​​ao tratamento eficaz do COVID-19. Esses esforços estão em um estágio inicial, mas recebem alta prioridade na empresa.

Um grupo de trabalho próprio de especialistas internos em saúde pública, vacinas, terapias derivadas de plasma e P&D continuará a buscar oportunidades para alavancar nossa experiência e uma ampla rede de parceiros globais para tratar o COVID-19. COVID-19 é a doença causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV-2), que pode causar pneumonia e já resultou em mais de 3.000 mortes em todo o mundo desde a sua recente descoberta. Até o momento, não existem vacinas ou terapias aprovadas para prevenir ou tratar o COVID-19.

  

 

 

Sobre teste de medicamentos experimentais para combater o coronavírus:

Hidroxicloroquina apresenta bons resultados contra o coronavírus

Terapia combinada de hidroxicloroquina e azitromicina no tratamento do COVID-19

 - Sobre o uso do Ibuprofeno, Cortisona e Tiazolidinediona em infecções por Coronavírus

Takeda está desenvolvendo terapia derivada do plasma para o coronavírus

Favipiravir demonstra eficácia no tratamento do Coronavírus

Mefloquina é testada na Rússia no tratamento do COVID-19 

Medicamento Interferon alfa 2b é testado por Cuba e China contra o Coronavírus